Jornal do Commercio
DOR

Cavalo agoniza por cerca de seis horas em praça no bairro de Parnamirim

Moradores e vendedores da localidade tentaram acionar órgãos públicos, mas a ajuda demorou a chegar

Publicado em 24/03/2015, às 10h30

Bicho aparentava estar sentindo dores e não conseguia ficar em pé por muito tempo / Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Bicho aparentava estar sentindo dores e não conseguia ficar em pé por muito tempo

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Da Editoria de Cidades

Um cavalo passou cerca de seis horas agonizando na Praça Doutor José Vilela, no bairro de Parnamirim, Zona Norte da capital, nesta segunda-feira (23). Pessoas sensibilizadas com a situação tentaram acionar órgãos públicos, como o Centro de Vigilância Ambiental e Controle de Zoonoses (CVA) do Recife, mas a ajuda demorou a chegar.

O animal apresentava sinais de maus-tratos e estava deitado sob árvores. O bicho aparentava estar sentindo dores e não conseguia ficar em pé por muito tempo. “Eu passei pela praça por volta das 11h e parei para ajudar. Liguei para o Centro de Vigilância Ambiental muitas vezes, mas ninguém atendia. O resgate só chegou às 17h”, afirma o garçom Valter José, 43 anos.

O gerente do Centro de Vigilância Ambiental e Controle de Zoonoses, Jurandir Almeida, explica que o cavalo recebeu atendimento duas vezes. A primeira vez aconteceu às 10h, quando o animal estava em outra praça do bairro. Os agentes constataram que era um caso de cólica, aplicaram o medicamento e o soltaram.

O recolhimento não pôde ser feito porque as baias do centro, em Peixinhos, também na Zona Norte, se encontravam interditadas até ontem. O local registrou casos de mormo, uma doença fatal para cavalos. Novos espaços limpos e seguros estavam sendo construídos para evitar a contaminação. 

“Coincidentemente, a intervenção terminou ontem à tarde, então levamos o animal. As pessoas não conseguiram entrar em contato com o CVA porque a chuva provocou problemas na central telefônica”, afirmou Jurandir Almeida. 


Comentários

Por Elisabeth Maria Engel,16/09/2016

Porque ainda muitas pessoas não se conscientizaram que os animais são seres com direito à vida, proteção e respeito? Como nós, homens e mulheres, os animais sentem dor, tristeza, fome, frio, sentimento de rejeição, etc. Maltratar um animal é repudiar o próprio Criador. Maltratar um animal é ser covarde. Maltratar um animal é não ser gente. As leis que protegem os animais deveriam ser extremamente severas. Deixo aqui minha indignação e profunda tristeza.

Por Carmen Albuquerque,25/03/2015

É curioso como os órgãos públicos, ditos IRresponsáveis, sempre encontram uma desculpa para justificar a incompetência. Meu Deus, ninguém suporta mais tanta mentira e enrolação. Enquanto ficam buscando desculpas para enganar os trouxas, o pobre do animal e tantos outros que vemos por aí, ficam à mercê da sorte e da boa vontade dos ditos IRracionais, que são os humanos. Por onda anda a fiscalização para proibir a circulação de carroças puxadas por cavalos e burros? Sempre lemos em algum meio de comunicação, que as carroças de tração animal, foram banidas da cidade. Só se for na imaginação deles. Aqui no Recife Antigo, por exemplo, estou cansada de ver carroças passando no meio do trânsito, puxadas por animais magros, desnutridos e assustados. E um imbecil em cima chicoteando o coitado. Que tal se as posições fossem invertidas? O cavalo iria na carroça e o "animal" puxando e sendo chicoteado. Seria ótimo. Bem, espero que o pobre animal de reportagem salve-se da crueldade do verme que o maltratou e abandonou para morrer ao relento.

Por Antonio Ferreir,25/03/2015

A prefeitura do Recife e suas secretarias de nada deveriam fechar, não fazem nada, não tem utilidade alguma e só serve de cabide de emprego e mamata.

Por valeria casado,24/03/2015

É inacreditável a insensibilidade e o descaso dos órgãos competentes. A gente liga e nunca consegue atendimento. Cadê a SEDA????? Essa Secretaria serve para que????? Ver um animal agonizando neste estado é de uma crueldade sem limites. Não basta a gente ver todos os dias os carroceiros chicotear e maltratar os cavalos???? É triste....

Por Flavia,24/03/2015

Lamentável..



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM