Jornal do Commercio
SEMANA DO MEIO AMBIENTE

ONG aplica soluções para tornar casas sustentáveis

Projeto da Habitat para a humanidade foi desenvolvido na Bomba do Hemetério e Alto José Bonifácio

Publicado em 02/06/2015, às 08h06

Telhado é pintado de branco para reduzir temperatura do imóvel / Bobby Fabisak/ JC Imagem

Telhado é pintado de branco para reduzir temperatura do imóvel

Bobby Fabisak/ JC Imagem

Claudia Parente

Soluções simples e ambientalmente corretas estão mudando a vida de dez famílias do Alto José Bonifácio e da Bomba do Hemetério, na Zona Norte do Recife. Elas foram as primeiras beneficiadas do Projeto Melhorias Habitacionais Sustentáveis, da ONG Habitat para a Humanidade. A partir das demandas da comunidade, a entidade desenvolveu um projeto para reduzir o consumo de água, energia elétrica e aumentar a ventilação natural das moradias. Os resultados começam a surgir.

“Passava o dia todo com o ventilador ligado. Minha casa era muito quente”, conta Maria Lúcia de Santana, 41 anos, que mora com a filha de 6 anos na Bomba do Hemetério. Para reduzir o desconforto da temperatura e o consumo de energia, o pessoal da ONG ampliou a casa, elevou as paredes para aumentar a ventilação e trocou o telhado de brasilit por outro, sem amianto. A saída inovadora para reduzir temperatura interna foi pintar o telhado de branco por fora. “É uma barreira para luz, pois impede que passe totalmente para a casa em forma de calor”, explica o técnico em edificações da ONG Diego Saraiva. “Não tenho do que me queixar. Antes, pagava R$ 60 a 70 por mês de energia. Hoje, pago pouco mais de R$ 30”, comemora Maria Lúcia, que também ganhou torneiras com arejadores para reduzir o consumo de água.

Na casa da aposentada Maria Alves, o problema era o desabastecimento. A pequena caixa-d’água não bastava para atender a demanda dela e do filho. A solução foi simples. A ONG instalou uma calha e um cano de PVC com tela para captar e filtrar a água da chuva, que vai direito para dois reservatórios de 200 litros. “Agora não fico mais sem água”, diz. 

Nem ela nem a dona de casa Valéria da Silva, do Alto José Bonifácio. Valéria também foi contemplada com o sistema de captação de água de chuva e ainda resolveu outro problema incômodo. O imóvel tinha apenas uma janela. Era quente e escuro. “Até de dia eu tinha que acender as luzes”, conta. Para clarear, a ONG instalou telhas translúcidas na cozinha, sala e banheiro e mais cinco janelas, depois de ampliar a casa. “Aqui falta energia sempre. Mas agora tenho a do Sol.”

Cada projeto foi orçado em R$ 4 mil. A ONG doa 30% e a família paga o restante em um ano e oito meses. “O melhor desse projeto é que ele despertou nas pessoas o gosto pela casa. Agora, só pensam em melhorá-la”, destaca Diego Saraiva, informando que a entidade pretende ampliar o trabalho na comunidade.

Leia mais na edição do JC desta terça-feira




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM