Jornal do Commercio
DENÚNCIA

Caatinga é devastada no Sertão do Pajeú

Entidade alerta para a derrubada de árvores nativas e extração irregular de areia e pede providências ao governo de Pernambuco

Publicado em 06/12/2015, às 07h30

Com a perda de mata ciliar e a seca, o Rio Pajeú, mais importante da região, praticamente desapareceu / Divulgação

Com a perda de mata ciliar e a seca, o Rio Pajeú, mais importante da região, praticamente desapareceu

Divulgação

Claudia Parente
cparente@jc.com.br

Em novembro passado, o bispo de Afogados da Ingazeira (Sertão do Pajeú), dom Egídio Bisol, entregou uma carta assinada por várias entidades ao governador Paulo Câmara, denunciando o desmatamento de áreas de caatinga e a extração de areia em grande escala. A mesma denúncia já havia sido feita em abril, mas diferentemente do que prometeu o governador na ocasião, as medidas repressivas não foram tomadas. O resultado é que a região, castigada por uma seca severa há quatro anos, está devastada, com o que resta das árvores nativas sendo arrancado para a produção de lenha.

“No último zoneamento que fizemos em conjunto com o governo do Estado, constatamos que quase todos os municípios do Sertão do Pajeú já perderam em torno de 75% de mata nativa”, alerta o pároco de Ingazeira, Luiz Marques, mais conhecido como padre Luizinho, que integra o Grupo Fé e Política dom Francisco, encabeçado pelo bispo dom Egídio. O padre alerta que o principal corpo hídrico da região, o Rio Pajeú, caminha para a extinção. “O rio praticamente não existe mais. As ingazeiras, que outrora ocupavam as margens, estão se acabando. Sem mata ciliar, não há água.”

Se não bastasse, o rio agonizante também recebe esgoto sem tratamento e suas margens viraram depósito de lixo, segundo a carta-denúncia. As construções irregulares, invadindo áreas de riachos, resultaram na contaminação de reservatórios que abastecem a região, como os Açudes de Serrinha e Jazigo, em Serra Talhada. 


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

O grupo também alerta que, semanalmente, pelo menos 150 caminhões transportam lenha nas rodovias que cortam a região, sem qualquer controle ou fiscalização de órgãos ambientais. As entidades denunciam ainda que a extração irregular de minerais (areia e saibro) está causando forte impacto na vida de pequenos agricultores da região e provocando o ressecamento dos aquíferos.

No documento entregue ao governador, as entidades também reclamam da falta de estrutura da Agência Estadual do Meio Ambiente (CPRH) para combater o desmatamento. Segundo Padre Luizinho, a CPRH fez algumas operações na região nos últimos nove meses e chegou a apreender caminhões com lenha e destruir fornos usados na fabricação de lenha, mas não é suficiente. “Sabemos que há apenas quatro fiscais para todo o Estado”, reclamou o padre Luizinho, sugerindo que o governo lance mão da Polícia Militar. “Se o Estado não se fizer presente, não haverá como impedir essas agressões ao meio ambiente.”



Comentários

Por Josiel,19/12/2016

Esses bispos parece que não conhecem o governador de PE. Ele não liga pra o estado. No máximo, tenta maquiar uma coisinha aqui, outra ali, e pronto. O sertão só existe nas eleições. Além disso, questões ambientais são problemas pra quem tem um certo grau de intelectualidade. O que não parece ser o caso do governador.

Por Pe. Clério Airon,18/12/2015

Uma semana após a denúncia sobre os demandos contra a Caatinga, feitas pelo senhor bispo diocesano de Afogados da Ingazeira, Dom Egídio Bisol, as queimadas se sucedem no Pajeú, sendo forte o índice de destruição em Triunfo.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM