Jornal do Commercio
Meio Ambiente

Em vigor desde 1996, Política de Meio Ambiente do Recife é atualizada

A revisão da lei está sendo conduzida pela Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente da cidade

Publicado em 20/04/2017, às 11h26

A lei prevê o pagamento de seguro ambiental por parte dos postos de combustíveis no Recife / Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
A lei prevê o pagamento de seguro ambiental por parte dos postos de combustíveis no Recife
Foto: André Nery/Acervo JC Imagem
Da Editoria Cidades

A Política Municipal de Meio Ambiente do Recife, em vigor desde 1996, está sendo revisada e atualizada para incorporar novos conceitos, instrumentos de preservação e normas criadas nos últimos anos. Passadas duas décadas, é hora de acrescentar ao documento, que norteia a forma de gestão ambiental da cidade, ações que já vêm sendo colocadas em prática.

Com a atualização do documento, o município aproveita para reivindicar ao Estado o recebimento de um percentual sobre a Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental. A taxa, prevista em lei federal, já existe e o valor pago pelas empresas é dividido entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e o órgão ambiental estadual.

Dos 100% arrecadados, o Ibama fica com 40% e entrega 60% ao Estado. “Estamos solicitando o repasse de 45% dos 60% destinados ao Estado”, diz o secretário-executivo de Controle Ambiental da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Recife, Carlos Ribeiro. A minuta do projeto de lei que trata da taxa, e corre em parelelo à revisão da política ambiental, está pronta para ser enviado à Câmara de Vereadores.

“Os recursos vão financiar o sistema de meio ambiente e custear despesas que assumimos desde que passamos a fazer licenciamento ambiental, em 2009. Serão investidos em equipamentos e melhoria nas ações de controle e fiscalização”, afirma. O valor da taxa é definido em função do porte e do potencial poluidor da atividade ou empreendimento. É cobrada a empresas que atuam com óleos, contaminantes e extração mineral, por exemplo.



SEGURO

Outra novidade no texto, que está sendo revisado pela secretaria e pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam), é a inclusão do pagamento do seguro ambiental para atividades e empreendimentos com potencial poluidor considerado de nível alto. “São empresas que trabalham com gás tóxico ou líquidos inflamáveis”, afirma Carlos Ribeiro.

A empresa terá de procurar no mercado apólices de seguro que contemplem a modalidade ambiental, diz o secretário-executivo. Postos de combustíveis da cidade do Recife já foram orientados pela secretaria a adotar essa medida de segurança contra vazamentos, contaminação e outros danos. “A revisão da lei é feita com uma discussão participativa”, destaca.

Além da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente e do Comam, o debate envolveu representantes da sociedade civil, vereadores e integrantes do poder público estadual e municipal. A Política Municipal de Meio Ambiente do Recife é um dos capítulos do Código de Meio Ambiente e do Equilíbrio Ecológico da Cidade, Lei Municipal nº 16.243/96.

“É um documento com orientações, princípios e diretrizes”, destaca Carlos Ribeiro. A inclusão da educação ambiental no sistema público municipal, de acordo com ele, é outra iniciativa adotada no Recife e que estava fora da política de meio ambiente da cidade. A primeira versão do texto foi entregue ao Comam, para análise, em março de 2017. Após aprovação no conselho o projeto de lei seguirá para a Câmara Municipal.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM