Jornal do Commercio
Nova planta

Encontrada na Amazônia uma nova espécie de planta

Ainda sem nome, a nova espécie de planta faz parte da família fabácea, das leguminosas, como o feijão e o pau-brasil

Publicado em 20/04/2017, às 15h43

Douglas Daly demonstrando em campo uma técnica que desenvolveu para identificação de plantas / Foto: Serviço Florestal Brasileiro/Divulgação
Douglas Daly demonstrando em campo uma técnica que desenvolveu para identificação de plantas
Foto: Serviço Florestal Brasileiro/Divulgação
Da Editoria Cidades

Uma nova espécie de planta da família fabácea, mais conhecida como leguminosas, foi encontrada em Rondônia durante o trabalho de campo do Inventário Florestal Nacional (IFN), em 2015. Mas, a identificação só foi feita no início de abril de 2017, pelo curador de Botânica Amazônica e diretor do Instituto de Sistemática Botânica do Jardim Botânico de Nova York, Douglas Daly, e pela curadora substituta do herbário do Jardim Botânico do Rio de Janeiro e especialista nessa família, Marli Morin.

A amostra encontra-se no Herbário Rondoniensis da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), em Porto Velho, responsável por receber o material botânico coletado em Rondônia. A identificação ainda está em andamento e o que se sabe, até o momento, é que a nova espécie de planta pertencente ao gênero Zygia.

Ainda levará um tempo até a nova espécie receber um nome. O especialista do gênero precisa ver a amostra e fazer um estudo minucioso do exemplar para, então, comprovar que realmente se trata de uma nova espécie de planta e publicar a descoberta. O feijão e o pau-brasil são integrantes da família fabácea.

Daly e Morin participaram, no início deste mês, do workshop Estratégias e Ferramentas para Identificação Botânica no âmbito do IFN, promovido pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB) em parceria com o Jardim Botânico de NY e Embrapa Amazônia Oriental. O workshop teve como objetivo reunir os especialistas e profissionais envolvidos com a identificação botânica do Inventário Florestal para discutir novas técnicas de identificar as amostras coletadas.



PERNAMBUCO

Em Pernambuco, o levantamento da situação das florestas teve início em 16 de março de 2017. Até o início de abril, tinha sido concluída a coleta de dados em 50 das 249 unidades previstas em todo o Estado, o que corresponde a 20% de todo o trabalho de campo, feito por amostra.

Ao longo da pesquisa estão sendo encontrados registros de novas espécies de planta para os Estados, informa o SFB. Em Sergipe, por exemplo, das 269 espécies identificadas, 66 são novos registros para lá, numa proporção de uma a cada quatro plantas coletadas.

Em alguns estados, com flora menos conhecida, o IFN tem verificado novas espécies de planta ou que são, pelo menos, indicativas de serem novas para a ciência, como é o caso do espécime da família fabácea encontrado em Rondônia.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM