Jornal do Commercio
Protesto

Recife e Petrolina participam da Marcha pela Ciência neste sábado

A Marcha pela Ciência é um evento mundial e será realizada em mais de 500 cidades do mundo

Publicado em 20/04/2017, às 08h33

Espaço Ciência participa de protesto contra o corte de verbas para o setor, no Recife / Foto: Divulgação/Espaço Ciência
Espaço Ciência participa de protesto contra o corte de verbas para o setor, no Recife
Foto: Divulgação/Espaço Ciência
Da Editoria Cidades

O Espaço Ciência se junta à comunidade científica do Brasil e do mundo, neste sábado (22), para reivindicar maior reconhecimento e políticas públicas para o setor, em protesto nas ruas da cidade do Recife. No País, a Marcha pela Ciência ganha mais importância diante do cenário de redução nas verbas. Em 2010, os recursos do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação para o setor eram da ordem de R$ 8,8 bilhões. O valor caiu para R$ 2,8 bilhões.

A Marcha pela Ciência será realizada em mais de 500 cidades em todos os continentes. No Brasil, ela acontece em 17 municípios, incluindo o Recife e Petrolina, no Estado de Pernambuco. A concentração, na capital, será na Praça do Marco Zero (Bairrro do Recife). Como parte do protesto, o Espaço Ciência e Observatório da Sé não abrirão para o público neste sábado (22). As duas instituições participarão da manifestação.

A data escolhida para o manifesto, 22 de abril?, coincide com o Dia Internacional da Terra. Nascida nos EUA e realizada pela primeira vez este ano, a Marcha pela Ciência surgiu da insatisfação de estudantes norte-americanos de pós-graduação. O presidente dos EUA, Donald Trump, eleito no fim de 2016, iniciou o mandato em 2017 com uma série de medidas polêmicas, entre as quais cortes de investimento e mudanças nas políticas públicas voltadas ao financiamento de ciência e tecnologia.

Em território brasileiro, O governo aprovou um corte de R$ 42 bilhões no orçamento federal, que incluiu redução de 44% dos gastos com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Desde 2010, a queda nos recursos para o setor foi de R$ 6 bilhões.



CORTES

De acordo com o químico Antônio Carlos Pavão, diretor do Espaço Ciência, este cenário reflete uma falta de compreensão quanto ao papel da ciência e tecnologia. "O descaso apenas aprofunda o colonialismo científico no Brasil", ressalta Pavão.

Ele disse que o Espaço Ciência tem sentido os efeitos dessa redução de verbas. A Ciência Jovem, Feira Internacional de Ciências, tinha em 2012 um orçamento com R$ 500 mil do CNPq e R$ 52 mil da Facepe. Em 2017, o evento terá de ser realizado com R$ 90 mil do CNPq e R$ 10 mil da Facepe.

E a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que em Pernambuco é coordenada pelo Espaço Ciência, era realizada com R$ 150 mil do CNPq/MCTI e R$ 40 mil da Facepe. Para 2017, até agora, nenhum valor foi garantido.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM