Jornal do Commercio
Protesto

Recife e Petrolina participam da Marcha pela Ciência neste sábado

A Marcha pela Ciência é um evento mundial e será realizada em mais de 500 cidades do mundo

Publicado em 20/04/2017, às 08h33

Espaço Ciência participa de protesto contra o corte de verbas para o setor, no Recife / Foto: Divulgação/Espaço Ciência
Espaço Ciência participa de protesto contra o corte de verbas para o setor, no Recife
Foto: Divulgação/Espaço Ciência
Da Editoria Cidades

O Espaço Ciência se junta à comunidade científica do Brasil e do mundo, neste sábado (22), para reivindicar maior reconhecimento e políticas públicas para o setor, em protesto nas ruas da cidade do Recife. No País, a Marcha pela Ciência ganha mais importância diante do cenário de redução nas verbas. Em 2010, os recursos do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação para o setor eram da ordem de R$ 8,8 bilhões. O valor caiu para R$ 2,8 bilhões.

A Marcha pela Ciência será realizada em mais de 500 cidades em todos os continentes. No Brasil, ela acontece em 17 municípios, incluindo o Recife e Petrolina, no Estado de Pernambuco. A concentração, na capital, será na Praça do Marco Zero (Bairrro do Recife). Como parte do protesto, o Espaço Ciência e Observatório da Sé não abrirão para o público neste sábado (22). As duas instituições participarão da manifestação.

A data escolhida para o manifesto, 22 de abril?, coincide com o Dia Internacional da Terra. Nascida nos EUA e realizada pela primeira vez este ano, a Marcha pela Ciência surgiu da insatisfação de estudantes norte-americanos de pós-graduação. O presidente dos EUA, Donald Trump, eleito no fim de 2016, iniciou o mandato em 2017 com uma série de medidas polêmicas, entre as quais cortes de investimento e mudanças nas políticas públicas voltadas ao financiamento de ciência e tecnologia.

Em território brasileiro, O governo aprovou um corte de R$ 42 bilhões no orçamento federal, que incluiu redução de 44% dos gastos com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Desde 2010, a queda nos recursos para o setor foi de R$ 6 bilhões.



CORTES

De acordo com o químico Antônio Carlos Pavão, diretor do Espaço Ciência, este cenário reflete uma falta de compreensão quanto ao papel da ciência e tecnologia. "O descaso apenas aprofunda o colonialismo científico no Brasil", ressalta Pavão.

Ele disse que o Espaço Ciência tem sentido os efeitos dessa redução de verbas. A Ciência Jovem, Feira Internacional de Ciências, tinha em 2012 um orçamento com R$ 500 mil do CNPq e R$ 52 mil da Facepe. Em 2017, o evento terá de ser realizado com R$ 90 mil do CNPq e R$ 10 mil da Facepe.

E a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que em Pernambuco é coordenada pelo Espaço Ciência, era realizada com R$ 150 mil do CNPq/MCTI e R$ 40 mil da Facepe. Para 2017, até agora, nenhum valor foi garantido.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM