Jornal do Commercio
Pesquisa

Cientistas conseguem eliminar HIV em animais vivos pela primeira vez

Na experiência, foram utilizados camundongos que tinham recebido células humanas infectadas com o vírus

Publicado em 05/05/2017, às 08h41

A expectativa é de realizar novos testes, desta vez em primatas, animais mais indicados para esta pesquisa / Foto: Osnei Restio/ Prefeitura de Nova Odessa
A expectativa é de realizar novos testes, desta vez em primatas, animais mais indicados para esta pesquisa
Foto: Osnei Restio/ Prefeitura de Nova Odessa
JC Online

Uma descoberta da Lewis Katz School of Medicine, da Universidade de Temple, na Filadélfia, EUA, vem dando esperanças para soropositivos ao redor do mundo. Segundo informações da instituição de ensino, os cientistas do centro médico teriam conseguido eliminar o vírus HIV alojado em animais vivos. Na experiência, em parceria com a Universidade de Pittsburgh, foram utilizados camundongos que tinham recebido células humanas infectadas com o vírus.

O professor e PHD vinculado ao Centro de Pesquisa de Doenças Metabólicas e do Departamento de Patologia da LKSOM, Wenhui Hu foi o coordenador da iniciativa.

A base para este avanço teria sido um estudo de prova de conceito, quando foram usados modelos transgênicos de ratos e camundongos com DNA de HIV-1 inseridos nos tecidos dos corpos dos animais.



“Nosso novo estudo é mais abrangente. Confirmamos os dados de nosso trabalho anterior e melhoramos a eficiência de nossa estratégia de edição de genes", afirmou professor Hu.

 

Próximos passos

A expectativa é de realizar novos testes, desta vez em primatas, animais mais indicados para esta pesquisa, com a intenção de mostrar ainda uma maior eliminação do DNA do HIV-1. Em 2020, pretende-se conseguir que os testes sejam feitos em humanos.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM