Jornal do Commercio
GELO

Iceberg gigantesco se forma na Antártica

Com espessura de 350 metros, o iceberg não provocará um impacto no nível dos oceanos porque já flutuava sobre a água

Publicado em 12/07/2017, às 07h25

O desprendimento ocorreu entre segunda e quarta desta semana / Foto: JOHN SONNTAG / NASA / AFP
O desprendimento ocorreu entre segunda e quarta desta semana
Foto: JOHN SONNTAG / NASA / AFP
AFP
Atualizada às 9h20

Um iceberg de um trilhão de toneladas, um dos maiores já registrados, se desprendeu de um bloco de gelo gigantesco na Antártica, anunciaram nesta quarta-feira (12) os cientistas da Universidade de Swansea, no Reino Unido.

"O desprendimento aconteceu entre segunda-feira e quarta-feira", afirmaram os cientistas, que monitoravam a evolução do bloco de gelo de 5.800 quilômetros quadrados (55 vezes a superfície de Paris).

Com espessura de 350 metros, o iceberg, que será batizado provavelmente de "A68", não provocará um impacto no nível dos oceanos porque já flutuava sobre a água.



Gigantesca barreira de gelo

O iceberg era parte de uma gigantesca barreira de gelo, "Larsen C", que retém geleiras capazes de elevar em 10 cm o nível dos oceanos caso acabem no Oceano Antártico, segundo os pesquisadores.

Privado deste enorme bloco de gelo, Larsen C é "potencialmente menos estável", ressaltam.

"Larsen C" poderia seguir o exemplo de "Larsen B", outra barreira de gelo que se desintegrou de forma espetacular em 2002. 

O "Larsen C" tinha, há vários anos, uma fissura enorme que se alargou nos últimos meses (apenas em dezembro aumentou 18 km). No início de julho estava unido à Antártica ao longo de somente cinco quilômetros.

A formação de icebergs é um processo natural, mas o aumento da temperatura acelera o mesmo, segundo os cientistas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM