Jornal do Commercio
GELO

Iceberg gigantesco se forma na Antártica

Com espessura de 350 metros, o iceberg não provocará um impacto no nível dos oceanos porque já flutuava sobre a água

Publicado em 12/07/2017, às 07h25

O desprendimento ocorreu entre segunda e quarta desta semana / Foto: JOHN SONNTAG / NASA / AFP
O desprendimento ocorreu entre segunda e quarta desta semana
Foto: JOHN SONNTAG / NASA / AFP
AFP
Atualizada às 9h20

Um iceberg de um trilhão de toneladas, um dos maiores já registrados, se desprendeu de um bloco de gelo gigantesco na Antártica, anunciaram nesta quarta-feira (12) os cientistas da Universidade de Swansea, no Reino Unido.

"O desprendimento aconteceu entre segunda-feira e quarta-feira", afirmaram os cientistas, que monitoravam a evolução do bloco de gelo de 5.800 quilômetros quadrados (55 vezes a superfície de Paris).

Com espessura de 350 metros, o iceberg, que será batizado provavelmente de "A68", não provocará um impacto no nível dos oceanos porque já flutuava sobre a água.



Gigantesca barreira de gelo

O iceberg era parte de uma gigantesca barreira de gelo, "Larsen C", que retém geleiras capazes de elevar em 10 cm o nível dos oceanos caso acabem no Oceano Antártico, segundo os pesquisadores.

Privado deste enorme bloco de gelo, Larsen C é "potencialmente menos estável", ressaltam.

"Larsen C" poderia seguir o exemplo de "Larsen B", outra barreira de gelo que se desintegrou de forma espetacular em 2002. 

O "Larsen C" tinha, há vários anos, uma fissura enorme que se alargou nos últimos meses (apenas em dezembro aumentou 18 km). No início de julho estava unido à Antártica ao longo de somente cinco quilômetros.

A formação de icebergs é um processo natural, mas o aumento da temperatura acelera o mesmo, segundo os cientistas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM