Jornal do Commercio
Espaço

Satélite que mede efeito das mudanças climáticas é colocado em órbita

Satélites foram financiados pela Itália, França e Israel

Publicado em 02/08/2017, às 07h49

Satélite passará dois anos em órbita / Foto: Jody Amiet / AFP
Satélite passará dois anos em órbita
Foto: Jody Amiet / AFP
AFP

O lançador europeu Vega colocou em órbita nessa terça-feira (1º) à noite dois satélites de observação, um deles dedicado aos efeitos da mudança climática sobre a vegetação.

O lançamento aconteceu no centro espacial de Kourou, na Guiana Francesa. 

Os dois satélites, OPSTAT-3000 e Venus, para uso civil e militar foram financiados por Itália, França e Israel, informou a Arianespace, a empresa de lançamento.



O Venus (Vegetation and Environment monitoring on a New Micro Satellite) é o primeiro satélite de observação da vegetação dedicado às mudanças climática, desenvolvido em conjunto pelo Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) da França e pela Agência Espacial israelense.

Durante dois anos e meio o pequeno satélite fará fotografias a cada dois dias de 110 locais selecionados no mundo para entender a evolução da vegetação e do impacto da mudança climática nos ecossistemas naturais e na agricultura.

O segundo objetivo de Venus será estudar durante um ano o sistema israelense de propulsão elétrica.

O OPTSAT-3000 integra um programa de observação da Terra do ministério da Defesa italiano.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM