Jornal do Commercio
FRAUDE AMBIENTAL

Estudo acusa ExxonMobil de ter alimentado dúvidas sobre clima

Mudanças climáticas já seriam conhecidas pela empresa desde a década de 1980

Publicado em 23/08/2017, às 02h32

'A ExxonMobil enganou o público', concluíram os especialistas em História das Ciências. / Foto: AFP
'A ExxonMobil enganou o público', concluíram os especialistas em História das Ciências.
Foto: AFP
AFP
Céline SERRAT

A ExxonMobil sabia desde os anos 1980 que a mudança climática era um fenômeno real causado pelo homem, mas em público alimentou as dúvidas, enganando seus acionistas e os cidadãos, segundo um estudo publicado nesta terça-feira.

O artigo, que amplia uma pesquisa do site InsideClimate News divulgada em 2015, se baseia na análise de 187 documentos produzidos pelo gigante petroleiro americano entre 1977 e 2014: publicações científicas, documentos internos e artigos pagos no New York Times.

"Identificamos uma contradição sistemática entre o que a Exxon dizia sobre as mudanças climáticas nos círculos privados e acadêmicos e o que dizia em público no New York Times", explicou à AFP Geoffrey Supran, um dos autores do estudo publicado na Environmental Research Letters.

Assim, em 83% das publicações científicas e em 80% dos documentos internos estudados se reconhece que a mudança climática é "real e causada pelo homem", mas paralelamente, em "81% dos artigos publicados no New York Times expressam dúvidas" sobre isso.



Para os autores, Supran e Naomi Oreskes, da Universidade de Harvard, ao ter financiado a pesquisa científica, a ExxonMobil "contribuiu para o progresso da ciência sobre o clima", mas enquanto isso "alimentou as dúvidas" sobre o fenômeno.

"A ExxonMobil enganou o público", concluíram os especialistas em História das Ciências.

Ocultação

Supran e Oreskes explicaram ter desenvolvido o estudo depois que a companhia desmentiu as informações de alguns veículos de mídia, que acusaram a empresa de ter ocultado dados científicos sobre as mudanças climáticas.

"Rechaçamos claramente as acusações (...) Nossa empresa, de forma contínua, pública e aberta, investigou e falou dos riscos ligados às mudanças climáticas", defendeu a empresa, na qual o atual secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, passou 41 anos, dirigindo-a entre 2006 e 2016.

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Julgamento de Lula Julgamento de Lula
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou, no histórico 24 de janeiro de 2018, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ampliou a pena para 12 anos e 1 mês de reclusão
Copa do Nordeste 2018 Copa do Nordeste 2018
A 15ª edição da Copa do Nordeste tem um sabor especial. 2018 marca a volta das transmissões de futebol da TV Jornal. Ao lado da co-irmã de Caruaru e de nove afiliadas do SBT Nordeste, a emissora vai levar ao público todas as emoções do torneio
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM