Jornal do Commercio
EDUCAÇÃO

Pais denunciam que não há vagas para novatos em algumas escolas de Jaboatão

Prefeitura garante que todos os alunos que procurarem a rede municipal vão estudar. Informa que abriu 12 mil novas vagas.

Publicado em 10/01/2017, às 17h42

Luciana tentou matricular a filha Luana no 7º ano da Escola Alice Vilar de Aquino. Não conseguiu vaga / Foto: Ricardo Labastier / JC Imagem
Luciana tentou matricular a filha Luana no 7º ano da Escola Alice Vilar de Aquino. Não conseguiu vaga
Foto: Ricardo Labastier / JC Imagem
Margarida Azevedo

Em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, pais não estão conseguindo matricular seus filhos em algumas escolas da rede municipal. A maior dificuldade é conseguir vaga para o 6º ano do ensino fundamental. Em pelo menos dois colégios localizados no bairro de Socorro – Escolas Alice Vilar de Aquino e Benjamin Constant – mães dormiram na frente dos prédios para amanhecer lá na segunda-feira, dia em que houve abertura de matrícula para novatos. Mesmo assim não conquistaram vaga. Mas a Secretaria Municipal de Educação assegura que todos os novatos terão vaga e que ofertará transporte caso eles precisem estudar em unidades distantes de suas residências. Alunos que já são da rede já têm a vaga reservada.

A Benjamin Constant tem turmas do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, além de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Disponibilizou apenas 26 vagas para novatos no fundamental, nenhuma do 6º ano. Foram abertas só 14 vagas para o 7º ano, sete para o 8º ano e cinco para o 9º ano. Em contrapartida, a unidade receberá 106 novos alunos somente do 6º ano que já são da rede municipal e virão transferidos de outras escolas. A capacidade do colégio é 540 alunos.

“Vim matricular meu filho no 6º ano e não encontrei vaga. Ele já é aluno da rede municipal, estuda na Escola Poeta Manuel Bandeira. Mas foi reprovado e gostaria de mudar de escola”, conta a dona de casa Lucineide Maria Nascimento, 32 anos. Ela estava na manhã desta terça-feira na Escola Benjamin Constant.

A massoterapeuta Luciana Barros, 43, também foi tentar matricular, nesta terça-feira, a filha Luana no 7º ano da Escola Alice Vilar de Aquino. Não conseguiu. “Ela estudou ano passado num colégio particular. Mas começou a pesar no orçamento e tive que tirá-la. Infelizmente não tem vaga. É a escola mais perto da minha casa. Não sei como farei”, diz Luciana. Segundo a direção da Escola Alice Vilar, foram abertas só 13 vagas para novatos do 6º ano, 14 para o 8º ano e nove para o 9º ano. Nenhuma para o 7º ano, justamente a que Luciana buscou.

A Secretaria de Educação informa que até a manhã desta terça-feira havia vagas em três colégios próximos, sendo um no mesmo bairro de Socorro, a Escola Poeta Manuel Bandeira, e dois no bairro vizinho de Dois Carneiros: as Escolas Dom Pedro e Albenice Maria da Silva. Em nota, o órgão diz que nenhuma criança ou adolescente ficará sem estudar.

GARANTIA

“A Prefeitura do Jaboatão dos Guararapes, por meio da Secretaria de Educação, esclarece que, ao disponibilizar mais de 12 mil novas vagas para o ano letivo de 2017, a atual gestão traçou como meta não permitir que nenhum estudante fique fora das salas de aulas. A orientação repassada aos diretores das unidades de ensino, portanto, foi a de matricular todos os alunos que procurarem as escolas da rede municipal”, enfatiza a atual gestão.

“Caso a demanda extrapole o número de vagas de uma determinada unidade, a secretaria informa que será realizado um remanejamento desses alunos para escolas próximas e, caso o estudante seja realocado para um centro de ensino distante do seu local de residência, a prefeitura irá providenciar o transporte destes”, complementa a prefeitura.

Recomendados para você


Comentários

Por IMPOSTOS ALTO RETORNO ZERO,11/01/2017

Depois os desinformado do sistema ficam dizendo, que só estuda quem não quer, escolas publicas sucateada e os colégio integral modelo para filhos de apadrinhado.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM