Jornal do Commercio
Enem 2017

PF deflagra operação em 13 estados para coibir fraudes no Enem 2017

O esquema envolvia candidatos que fraudavam o Enem, recebendo o gabarito da prova de especialistas em disciplinas específicas

Publicado em 12/11/2017, às 18h07

Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão / Foto: ABr
Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão
Foto: ABr
JC Online

Atualizada às 20h01

A Polícia Federal em Pernambuco, com o apoio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), deflagrou neste domingo (12) a Operação Passe Fácil, com o objetivo de desarticular um esquema de fraudes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em Pernambuco, um candidato enquanto realizava a prova.

O esquema envolvia candidatos que fraudavam o exame a partir da resolução da prova por especialistas de cada disciplina, chamados de "pilotos". Há indícios que eles passavam o gabarito por meio de pontos eletrônicos. "Eles fechavam a prova de matemática e iam muito mal nas outras, que saem da prova e tentam repassar o gabarito dessas disciplina específica para os candidatos que ainda estavam fazendo prova", afirmou o delegado delegado Renato Madsen, responsável pelas investigações.

O Inep forneceu à PF o histórico  sobre as pessoas investigadas em outros exames. "Nós começamos a levantar esses históricos. Vimos alguns elementos que levantavam suspeitas. Por exemplo, pessoas que já tinham sido aprovadas em outras provas do Enem para cursos de alta dificuldade e que estavam de novo fazendo a prova. Isso juntando com outros dados que foram cruzados a gente conseguiu identificar esses 31 suspeitos", afirmou o delegado delegado Renato Madsen, responsável pelas investigações.



Pela manhã, a Polícia Federal cumpriu 31 mandados de condução coercitiva e busca pessoal em 13 estados do Brasil: Pernambuco, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, São Paulo e Distrito Federal. Os crimes investigados são estelionato, uso de documento falso, fraudes em certames de interesse público e associação criminosa. As penas ultrapassam os 25 anos de reclusão. 

A partir do já foi apurado através da apreensão de celulares e dos depoimentos dos investigados, já foi constatada a participação de um dos candidatos em fraudes em exames anteriores. A PF buscou executar as ordens judiciais com discrição para preservar o andamento da aplicação das provas. 

Pernambuco

Em Pernambuco, foi cumprido apenas um mandado de condução coercitiva. Um candidato foi detido em São José do Egito, no sertão pernambucano, a 360 quilômetros do Recife, logo após fazer a prova. Ele prestou depoimento na delegacia de Patos, na Paraíba, a 63 km de São José, e em seguida liberado. Renato Madsen, delegado da Polícia Federal que conduz as investigações em Pernambuco disse que a PF começou a levantar esses históricos de alguns elementos que levantavam suspeitas. "Por exemplo pessoas que já tinham sido aprovadas em outras provas do Enem para cursos de alta dificuldade e que estavam de novo fazendo a prova", afirmou o delegado. Juntando essas informações com outros dados, a polícia conseguiu identificar esses 31 suspeitos. O delegado Renato Madsen disse ainda que não houve qualquer prejuízo às provas aplicadas no Estado. As investigações irão prosseguir e deve haver novos desdobramentos nos próximos dias.


Recomendados para você


Comentários

Por zeca,13/11/2017

Esta provado que o brasileiro tem o habito feio de roubar, tanto nas pequenas coisas como nas grandes coisas. Infelizmente o que parecia ser um vestibular simples se apresenta como uma forma ilícita de fraudar. Talvez daqui as mais ou menos 300 anos o Brasil estará com uma geração de pessoas com as mesmas características do povo europeu e dos demais países de primeiro mundo. Lamentável, mas é uma realidade. Infelizmente essa geração esta impregnada de corrupção, falta de respeito e desobediência a todas as leis.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM