Jornal do Commercio
VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

Polícia ainda sem pistas de assassino de radialista e apresentador de TV

Luciano Pedrosa foi morto dentro de churrascaria por um desconhecido. Ele já havia recebido ameaças, mas nunca prestou queixa

Publicado em 10/04/2011, às 18h10

A polícia ainda não tem pistas do assassino do radialista e apresentador de TV Luciano Leitão Pedrosa, 46 anos, morto com um tiro à queima-roupa na cabeça, por volta das 21h do sábado (9), dentro de um restaurante em Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco. Um desconhecido entrou na Churrascaria Porto Luna, onde o radialista havia ido buscar uma quentinha, e disparou contra a vítima.

Uma testemunha considerada chave pela polícia será convocada para depor. A intenção dos investigadores é que essa testemunha ajude a fazer um retrato falado do criminoso que atirou contra Luciano Pedrosa. Logo após o crime, o pistoleiro correu até a esquina onde um cúmplice o aguardava e ambos escaparam em uma moto.

Segundo Paulo Rodrigues, dono do restaurante, o criminoso já chegou atirando sem dar qualquer possibilidade de defesa a Luciano Pedrosa. De acordo com a delegada de Vitória de Santo Antão, Maria Betânia Tavares, nenhuma hipótese para o crime pode ser descartada no momento, mas o radialista vinha sendo constantemente ameaçado por sua postura crítica tanto contra criminosos, quanto em relação às autoridades municipais.

Luciano Pedrosa apresentava o programa policial Ação e Cidadania, na TV Vitória, retransmissora da TV Brasil no município. No momento da ação estavam na churrascaria apenas o proprietário e três funcionários. O restaurante possui câmeras, mas não tem sistema de gravação das imagens. Ele já tinha comentado com pessoas próximas que tinha sofrido ameaças, mas nunca formalizou queixa.

A delegada solicitou à Guarda Municipal de Vitória de Santo Antão as imagens das câmeras da cidade no período das 20h30 às 21h30 do sábado. A delegada também vai encaminhar as testemunhas do crime ao Instituto Tavares Buril para que elas ajudem na confecção de um retrato falado do pistoleiro.

Luciano Pedrosa saiu de casa na noite de sábado para comprar comida. Ele passou pelo Centro de Vitória e chegou a parar alguns minutos para conversar com um taxista conhecido. Depois telefonou para um colega de trabalho e seguiu para o restaurante, onde foi morto.

Leia mais no JC desta segunda-feira




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.
20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius 20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius
Nos últimos 20 anos, o cinema pernambucano ganhou em diversidade e número de filmes produzidos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
?>