Jornal do Commercio
CHUVA

O dia em que o Recife reviveu o boato de Tapacurá

Posts nas principais redes sociais causaram clima de pânico na capital pernambucana

Publicado em 05/05/2011, às 23h32

Fábio Jardelino / Carlos Eduardo Santos
Do JC Online

Boatos de que barragens teriam estourado e que uma tempestade cairia sobre o Recife tomaram conta das redes sociais no decorrer desta quinta-feira (5), provocando um caos generalizado pela cidade. Por volta das 16h, shoppings da Grande Recife fecharam suas portas, além de Faculdades como a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Católica e Faculdade Mauricio de Nassau, que liberaram seus alunos das aulas noturnas. Orgãos públicos também liberaram seus funcionários antes do horário previsto.

Infográfico

Barragens da Mata Sul

Vários pontos da Cidade ficaram realmente alagados por causa do nível dos rios, que subiu com o pico de maré das 17h15. No bairro do cordeiro, Zona Oeste do Recife, o canal Santa Rosa transbordou e criou um lago na Rua Odete Monteiro, que dá acesso à Paralela da Caxangá.

Confira no vídeo abaixo o ponto de alagamento:

Em áreas mais nobres da cidade, não houve muita diferença. Locais como a Rua Alberto Paiva, ao lado do Colégio São Luiz, nas Graças, ou a Rua Dr. João Santos, ao lado do shopping Plaza, Casa forte, além da Rua João Tudi de Melo, no Parnamirim, em frente ao restaurante Guaiamum Gigante, viraram "rios". Carros pequenos tiveram que retornar ou pegar desvios, muitas vezes na contramão. Quem tentou seguir assumiu o risco de ficar preso na água.

Confira no vídeo abaixo outro ponto de alagamento:

O trânsito ficou complicado na cidade até as 21h, quando começou a se normalizar. O balanço geral da Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), das 0h até as 17h30 da quinta, foi de 70 semáforos com algum tipo de defeito. Além disso, ainda foram registradas mais de 40 colisões de veículos, sem vítimas graves.



Támbém foram registrados pontos de alagamento nos dois sentidos do Cais José Estelita, Bairro do Recife, e nas Avenidas Dr. José Rufino, na Estância, Avenida Dois Rios, no Ibura, Avenida Recife, em Areias, Avenida Rui Barbosa, nas Graças, e na Rua Leonardo Bezerra Cavalcante, Casa Forte.

A situação estava tão crítica no meio da tarde que o Governador Eduardo Campos concedeu entrevista em diversas rádios para acalmar a população com informações verdadeiras do que estava ocorrendo nas barragens do Estado.

Confira a entrevista na Rádio Jornal:




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM