Jornal do Commercio
patrimônio

Projeto quer tombamento de painel de Brennand

A Batalha dos Guararapes, colocado no Centro do Recife, está abandonado

Publicado em 03/05/2013, às 06h02

Parte de baixo do painel está quase apagada / Priscilla Buhr/JC Imagem

Parte de baixo do painel está quase apagada

Priscilla Buhr/JC Imagem

Camilla Figueiredo
cfigueiredo@jc.com.br

O descaso com o mural de cerâmica A Batalha dos Guararapes, no Edifício Tiradentes, na Rua das Flores, Centro do Recife, pode estar com os dias contados. Um projeto de preservação será desenvolvido pelo curador da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto), Antônio Campos, e vai pedir que a obra do artista plástico Francisco Brennand seja tombada como patrimônio pelo Estado.

O painel, feito em 1961, está com a parte inferior quase apagada pela sujeira e pelo desgaste provocado pela água que cai dos aparelhos de ar-condicionado. Teoricamente, seria de responsabilidade do prédio onde está instalado.
“O mural é uma das criações mais importantes de Francisco Brennand. Como a Fliporto está tornando-se um programa permanente de valorização da cultura local, temos o dever de olhar pelas obras mais desprotegidas também”, explicou Campos.

A cena ocupa uma área de 75 metros quadrados e retrata o episódio histórico que resultou na expulsão dos holandeses das terras pernambucanas. Foi encomendada pelos irmãos mineiros Aloísio e Gilberto Farias, donos do Banco da Lavoura de Minas Gerais, que na época funcionava no prédio.

Em 2006, a administração do banco Santander, em cuja parede lateral está a obra, adotou um projeto do chargista e arquiteto Ronaldo Câmara para valorizar o lugar. “Eles investiram em coberta, canteiro de seixos abaixo da obra para evitar que as pessoas chegassem tão perto. Durou só uns anos e o povo começou a depredar o que havia sido feito”, comentou Câmara. Hoje, os únicos sinais da estrutura montada são o passeio quebrado e buracos na parede.

Leia mais na edição do JC desta sexta (3)




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM