Jornal do Commercio
Mobilidade

Mais 15 estações de aluguel de bicicletas no Recife e em Olinda

Projeto Bike PE pretende instalar dez unidades no Recife e cinco em Olinda até a 1ª quinzena do próximo mês. A meta é chegar a 700 pontos até o fim do ano

Publicado em 28/06/2013, às 08h07

 / Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

Do JC

Os ciclistas vão ganhar novas estações do projeto Bike PE até o fim da primeira quinzena do próximo mês. Desse total, dez serão instaladas no Recife e outras cinco em Olinda, na Região Metropolitana.

Entre os locais escolhidos na capital, estão a Avenida Conde da Boa Vista e as Praças do Derby e do Entroncamento. Na Cidade Patrimônio, o Mercado Eufrásio Barbosa e a Praça doze de março são alguns dos pontos contemplados.

O primeiro sistema intermunicipal de compartilhamento de bicicletas do Brasil é uma iniciativa da Secretaria Estadual das Cidades, em parceria com o Itaú e as prefeituras do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. A ideia é disponibilizar 70 estações e 700 bikes em 20 bairros dos três municípios até o fim deste ano.

Um mês após o início do funcionamento das dez primeiras estações (todas no Recife), já é possível constatar que o projeto agradou a população. Mais de 3.840 pessoas se inscreveram no site do Bike PE em 30 dias. “A iniciativa mostra o quanto que a população pernambucana estava carente de ações como essas, que envolvam o lazer e também facilitem a mobilidade urbana sustentável”, afirma o Secretário das Cidades Danilo Cabral.

Ainda de acordo com ele, 13% da população utiliza a bicicleta para transporte ou lazer. “Queremos alcançar o máximo de usuários e ampliar a rede de bairros atendidos”.

Daniel Valença, um dos coordenadores da Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife (Ameciclo), afirma que o projeto apresenta muitos pontos positivos, mas ainda requer melhorias. “Até agora, todas as estações foram instaladas sobre as calçadas. Isso atrapalha a mobilidade do pedestre que já utiliza um espaço tão mal cuidado”. Outro fator negativo apontado por ele é a falta de integração do Bike PE com o sistema Porto Leve, no bairro do Recife. “Se houvesse uma integração entre esses dois sistemas, daria para alguém que trabalha no Centro pegar uma bike na estação do metrô, por exemplo, e chegar ao destino”, opina. “Com a chegada dessas novas estações, a gente ganha novos destinos. Assim, as pessoas poderão se tornar ciclistas do dia a dia”.

O empresário Jorge Prindezis, 52 anos, faz parte da parcela da população que nunca utilizou as bicicletas públicas, mas pretende aderia à ideia. Ele mora em Boa Viagem e gasta uma hora e trinta minutos para chegar ao trabalho de carro. “Gasto R$ 30 de combustível todos os dias para ir de casa ao meu trabalho. Usar a bicicleta vai valer a pena porque, além de economizar dinheiro, economizo tempo”.

O serviço de aluguel de bikes funciona de forma semelhante ao Porto Leve e é administrado pela Serttel/Samba com o apoio do Itaú Unibanco. As bikes estão à disposição dos usuários todos os dias, das 6h às 22h. Para usar o sistema compartilhado, basta se cadastrar pela internet (www.bikepe.com.br). Quem utiliza Vale Eletrônico Metropolitano (VEM) tem o direito de usar as bicicletas, pagando apenas R$ 10 por ano.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM