Jornal do Commercio
Minha Casa Minha Vida

Construção de 194 moradias pelo Minha Casa Minha Vida é anulada em PE

A decisão partiu do ministro das Cidades, Bruno Araújo, que suspendeu portaria autorizando moradias populares pelo Minha Casa Minha Vida

Publicado em 18/05/2016, às 18h18

Casas populares construídas em Petrolina (PE) pelo programa Minha Casa Minha Vida foram entregues semana passada / Foto: Divulgação
Casas populares construídas em Petrolina (PE) pelo programa Minha Casa Minha Vida foram entregues semana passada
Foto: Divulgação
Da Editoria Cidades

Um total de 194 casas populares deixarão de ser construídas em Petrolina, município do Sertão de Pernambuco, com a decisão do ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), de suspender portarias que selecionavam projetos de moradia social pelo programa Minha Casa Minha Vida, na modalidade Entidades. Os projetos foram apresentados ao governo federal pela Ong Habitat para a Humanidade Brasil.

Vinculado à Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades, o Minha Casa Minha Vida Entidades beneficia famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil. É uma modalidade operada por instituições sem fins lucrativos ligadas a movimentos de luta por moradia. “Levamos de dois a três anos para viabilizar um projeto desse”, observa a arquiteta Socorro Leite, diretora-executiva nacional do Habitat Brasil.

Socorro Leite acrescenta que os moradores beneficiados se envolvem com o projeto desde o princípio. “O nível de mobilização é muito diferente do Minha Casa Minha Vida executado pelo mercado formal. O trabalho social começa muito antes da construção das habitações”, declara a arquiteta. “E isso se reflete na sustentabilidade da produção. A inadimplência é menor nessa modalidade”, destaca.

A Habitat teve projetos interrompidos em Pernambuco, Tocantins e Goiás, somando 499 unidades residenciais. Todos tinham sido selecionados pela presidente afastada Dilma Roussef. As casas previstas para Petrolina fazem parte da terceira etapa do Projeto Novo Tempo, o primeiro do Sertão executado nessa modalidade. “A primeira e a segunda etapa foram entregues semana passada”, diz Socorro Leite.

De acordo com ela, a Habitat conseguiu construir ou está executando mais de duas mil moradias pelo Minha Casa Minha Vida Entidades nesses três Estados e também no Ceará. Mais da metade está em Pernambuco, nos municípios de Petrolina e Paulista (Grande Recife, ainda em processo). Depois de receber a casa, a família tem prazo de dez anos para pagar pelo imóvel, comprometendo até 5% da renda.

“É um projeto importante, que vem sendo discutido e aperfeiçoado, mas a partir de agora a gente não sabe se essa modalidade será mantida. O fato é que as pessoas existem e não têm moradia. É um corte que impacta na população mais frágil. Essas pessoas estão na luta há muitos anos. Não podemos aceitar que um ato dessa natureza possa destruir o sonho de milhares de famílias”, destaca a arquiteta.

O ministro tomou posse semana passada e também cancelou a reunião da Coordenação do Conselho Nacional das Cidades, agendada para quinta-feira (19). Socorro Leite lembra que o Conselho é responsável pelas Conferências das Cidades, que estão discutindo a participação do Brasil na Terceira Conferência da ONU sobre Moradia (Habitat III), programada para o mês de outubro de 2016 em Quito, capital do Equador.

“Nossa preocupação é que a atual gestão do ministério não reconheça o importante papel que esse conselho tem na discussão das políticas urbanas do País. Debater e definir políticas com a participação da sociedade é um avanço que o Brasil teve e que é referência para o mundo. Será um grande retrocesso esse governo fragilizar esse espaço”, diz Socorro.

Recomendados para você


Comentários

Por vilma bezerra ferreira,15/04/2018

e voces estao certos de estarem revoltados com esta robalheira que esta neste pais este desmando esta falta de justiça pois nos temos mais de acredito que umas 60 leis mais neuma delas e cumprida principalmente por quem as faz realmente nao tiro a razao dos revoltosos pois toda revolta tem uma rasao de ser mais devem se revoltar mais tambem faserem alguma coisa e nao so falar tambem estou com os revoltosos

Por VILMA BEZERRA FERREIRA ,14/04/2018

GOSTARIA EU DE PODER ESTAR AI JUNTO COM ALGUNS PARENTES QUE TENHO AI POIS ESTOU AQUI EM JABOATAO PAGANDO UM ALUGUEL CARO SEM TER QUASE COMO CUMPRIR COM ISTO TODOS OS MESES PORFAVOR ME PERDOEM O DESABAFO GOSTARIA DEMAIS DE TER MINHA CASA E DIZER E MINHA MESMO TENDO QU E PAGAR ALGUMA COISA MAS SERIA MINHA

Por Graça,19/05/2016

Já começaram!! Suspenderam a pílula do câncer, a fosfoetanolamina, os cursos de extensão, mestrados e doutorados da UFPE serão pagos....mais uma vez o pobre vai se ferrar! precisaremos comprar os eletrodomésticos por consórcio como antigamente....Cuidem bem da sua TV LCD ,geladeira Smartfone...pois depois...só Deus sabe!!

Por milton cordova junior,19/05/2016

Golpe foi aquele dado em 2014 (mediante eleições manipuladas) dado pela maior mediocre e incomPTente "nunca antes visto na história deste país", a tal da mediocre da Dilma, que ARRASOU com o Brasil. Os numeros estão aí, nós todos vamos pagar a conta e o que espanta é um bando de FANATICOS ESTUPIDOS que insistem em apoiar a TERRORISTA - que, aliás, deveria estar na cadeia pelos crimes cometidos na década de 60. Ou assaltar banco e matar gente não é crime?????

Por POR GOLPISTAS,19/05/2016

Tá na hora de ficar de olho nos deputados golpistas daqui de pernambuco, pra na próxima eleição deixá-los chorando.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM