Jornal do Commercio
SEGURANÇA

Golpe do falso sequestro exige atenção

Médica morreu atropelada ao tentar atender às exigências dos bandidos

Publicado em 11/01/2017, às 08h30

Ela foi atropelada por um ônibus enquanto, atormentada, tentava atender às exigências dos bandidos / Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Ela foi atropelada por um ônibus enquanto, atormentada, tentava atender às exigências dos bandidos
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
JC Online

O golpe é “batido”, “manjado”, mas continua colecionando vítimas. Receber uma ligação telefônica em que uma pessoa anuncia o sequestro de um ente querido ainda é motivo de desespero para muita gente. Transtornos que podem ser evitados se certas orientações da polícia forem observadas. Na noite da última segunda-feira, no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife, a modalidade criminosa motivou mais que um simples desfalque financeiro: terminou com a morte da médica Maria Tereza Wavrik Neves, de 70 anos. Ela foi atropelada por um ônibus enquanto, atormentada, tentava atender às exigências dos bandidos.

Por volta das 21h, a médica recebeu a ligação em que uma pessoa dizia estar de posse de sua neta e de seu genro, e que pretendia matar os dois. Para “libertá-los”, pediu para que ela fizesse recargas no valor de R$ 100 em quatro números de telefone, todos com o prefixo 021, do Rio de Janeiro.

Desesperada, Tereza foi até uma loja de conveniência localizada em um posto de combustível na esquina das Avenidas Norte e Professor José dos Anjos. Agitada e com o celular no ouvido, foi alertada por clientes e funcionários do estabelecimento que se tratava de um golpe e que ela deveria desligar o telefone. 

Maria Tereza não ouviu os avisos e tentou ir para outro estabelecimento, do lado oposto da Avenida Norte, por orientação dos criminosos, que perceberam outras pessoas tentando ajudá-la. Foi quando um ônibus da linha Morro da Conceição, da empresa Globo, a atingiu em cheio, arrastando-a por 30 metros. Maria Tereza Neves faleceu no local.

Em que pese o desespero de receber a notícia do suposto sequestro de um parente, a polícia orienta as pessoas observar algumas particularidades que caracterizam o golpe. “As ligações geralmente têm prefixos de fora do Estado ou são de números privados. O sotaque das pessoas que ligam, na maioria das vezes, também é de outra região”, explica Ramon Teixeira.

Ramon orienta a pessoa a desligar imediatamente o telefone e entrar em contato com o parente em questão. “Também é preciso manter a calma e jamais passar informações pessoais, que podem ser usadas contra a vítima”, completa. Na era das redes sociais, o policial faz um lembrete importante. “É preciso evitar fazer check-ins (marcação de localização) dos lugares onde a pessoa está”.

A Secretaria de Defesa Social (SDS) afirma que não tem como computar de forma específica as ocorrências relativas ao golpe do falso sequestro. A subnotificação, inclusive, é um dos grandes entraves às investigações da modalidade criminosa no Estado. “O número de ocorrências certamente é bem maior do que as que chegam para a polícia. Por isso não temos um controle estatístico adequado”, explica o delegado.

Na manhã de ontem, na sede do Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, área central do Recife, a família de Maria Tereza não quis falar com a imprensa. O corpo da médica foi sepultado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, no Grande Recife, no final da tarde de ontem.

INVESTIGAÇÃO

Embora a Polícia Civil ainda não tenha confirmado, a tendência é que o caso seja investigado pela Delegacia de Delitos de Trânsito, e não como um caso de extorsão mediante sequestro. O motorista do coletivo não fugiu do local e prestou todos os esclarecimentos à Polícia ainda na noite do atropelamento. 

Segundo a primeira funcionária ouvida pela reportagem, a médica era uma pessoa tranquila, educada e que tratava bem todos no estabelecimento. “Ela sempre vinha aqui para comprar cigarros, todo mundo a conhecia. Era uma ótima pessoa”. Citopatologista de formação, Maria Tereza Wavrik Neves também prestava serviços ao Hospital Naval do Recife e a uma clínica de exames médicos para candidatos à habilitação no Detran.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Antonio Miguel,11/01/2017

Seu GUVERNADOR PAAAAAAAAAAULO CAMARA DE COMPENSAÇÂO TARIFÁRIAAAAAAAAAAAAAAAA Desta TERRA de Bravos Guerreiros PErnambuco IMORTAl IMORTAL Seu TRAIDOR de uma FIGA do povo Pernambucano! Não bastasse os coletivos e o metrô, a violência agora tá chegando até pelo celular!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM