Jornal do Commercio
SOCIOEDUCANDOS

Reeducando morre carbonizado em rebelião com fuga em massa na Funase

Informações preliminares dão conta da fuga de cerca de 30 socioeducandos da unidade

Publicado em 24/03/2017, às 18h00

A PM foi acionada por volta das 15h e ainda realiza buscas atrás dos fugitivos / Foto: Diego Nigro/JC Imagem
A PM foi acionada por volta das 15h e ainda realiza buscas atrás dos fugitivos
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
JC Online

Atualizada às 21h45

Uma rebelião seguida de fuga em massa de 33 socioeducandos foi registrada na tarde desta sexta-feira (24), no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) de Vitória de Santo Antão, Zona da Mata. Segundo informações da Polícia Militar, um interno foi morto durante a confusão após ser esfaqueado e depois teve o corpo carbonizado.

A PM foi acionada por volta das 15h e realizou buscas nos municípios em busca dos fugitivos, que, conforme a polícia, estavam espalhados por diversas regiões em pequenos grupos. De acordo com policiais do 21º Batalhão da Policia Militar, até o momento foram recuperados 12 socioeducandos, que foram encaminhados para o batalhão. Os agentes informaram ainda que outros socioeducandos foram recuperados e encaminhados para o Case. No entanto, eles não souberam informar com precisão a quantidade de internos que já voltou para a unidade.

Ainda de acordo com agentes, a briga começou após uma rixa interna entre grupos rivais de dentro da Case. A confusão se iniciou no Bloco B, se espalhando depois para o Bloco A da unidade. Alguns internos se aproveitaram da confusão e fugiram através de um buraco feito no muro do Bloco B da instituição. No momento da rebelião, a Funase contava com 9 agentes socioeducativos.

Atendimento

De acordo com informações da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), a unidade atualmente tem capacidade para atender 72 jovens. 



Rebeliões na Funase

No último domingo (19), outra rebelião foi registrada na Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) do município de Abreu e Lima, no Grande Recife.  Na ocasião, outro socioeducando foi morto durante confronto. Policiais do 21º Batalhão da Policia Militar informaram ainda que uma rebelião, ocorrida há dois dias, resultou em uma tentativa de homicídio também no Case de Vitória de Santo Antão.

Confira a íntegra da nota divulgada pela Funase sobre a rebelião:

Depois de uma rebelião ocorrida na tarde de hoje (24-3-17), na unidade da Funase de Pacas, em Vitória de Santo Antão, zona da Mata de Pernambuco, 32 internos conseguiram escapar por um buraco feito no muro do bloco B da instituição. Houve registro de uma morte. Dos 32 fugitivos, 04 já foram recapturados pela PM.

O jovem morto por outros internos ainda não foi identificado. A Corregedoria da Funase está em Pacas investigando as causas da rebelião. A unidade de Pacas abriga jovens entre 15 e 16 anos. 

Pacas tem capacidade para 72 internos e enontrava-se com 61 socioeducandos no momento da fuga.

A PM está fazendo buscas nas redondezas com o objetivo de recuperar os outros 28 fugitivos restantes.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Souza,25/03/2017

MENORES ASSASSINOS andam por aí soltos e matando mais gente. Isso é país de que ? De débeis mentais e políticos corruptos, picaretas, trambiqueiros e TRAIDORES DA PÁTRIA que não respeitaram os juramentos ao assumirem cargos públicos.

Por Almeida,25/03/2017

Que país é este ? É o Brasil habitado por débeis mentais e políticos corruptos, picaretas, trambiqueiros e TRAIDORES DA PÁTRIA que não respeitaram os juramentos ao assumirem cargos públicos, desviaram continuamente o dinheiro do povo, e geraram milhares de menores assassinos que andam por aí soltos e matando mais gente, cujo destino é serem mortos em breve. Políticos desgraçados esses políticos brasileiros que só se importam em ficar no poder.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM