Jornal do Commercio
ERRO FATAL

Morte de vítima de violência policial comove Itambé

Edvaldo da Silva Alves faleceu vítima de um tiro na perna

Publicado em 11/04/2017, às 15h20

Sob o efeito de calmantes, Maria de Lurdes da Silva, mãe de Edvaldo, se pergunta por que o filho foi morto / Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Sob o efeito de calmantes, Maria de Lurdes da Silva, mãe de Edvaldo, se pergunta por que o filho foi morto
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
JC Online

A cidade de Itambé, na Zona da Mata Norte, está chocada com a morte de Edvaldo da Silva Alves, de 23 anos. O rapaz foi atingido por um projetil de arma não letal, disparado por um policial militar durante uma manifestação contra a violência na cidade, realizada no último dia 17 de março.

 

O tiro atingiu a perna do rapaz, que perdeu muito sangue. O vídeo da agressão viralizou nas redes sociais. Edvaldo passou os últimos 25 dias internado no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, no Grande Recife, e faleceu na madrugada de hoje.



PAIS

Sob o efeito de calmantes, Maria de Lurdes da Silva, mãe de Edvaldo, apenas se pergunta: "Por que esse homem matou meu filho, meu Deus?", na casa humilde onde ele morava, no bairro Luiz Gonzaga.

"Meu filho era um homem de bem, não era bandido. Trabalhava, não usava drogas, era querido por todos", comenta Nivaldo Alves, pai de Edvaldo.

O corpo do rapaz deve chegar a Itambé por volta das 16h30. O enterro será realizado amanhã, no cemitério da cidade


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Mário Tiburcio,11/04/2017

É profundamente lamentável que assassinatos como este já tenham ocorrido e nunca se fez muita coisa. O azar desses marginais que mancham a farda da gloriosa polícia militar foram os vídeos. Caso esses vídeos não fossem mostrados, esses caras ainda iriam dizer que o rapaz havia reagido a abordagem, trocados tiros com eles, coisas desse tipo que todos nós já ouvimos e sabemos. E depois os seus pares vir falar em indenizar os familiares, ficou muito pior essa declaração. Depois cai no esquecimento, a mídia deixa de noticiar e fica por isso mesmo. Governador, sabemos que esses são a grande minoria, portanto , mande para fora da corporação o mais rápido possível para não contaminar os demais. Nós trabalhadores, homens e mulheres de bem desse Estado, já não suportamos mais tanta violência. E dessa forma já não sabemos mais a quem recorrer, pois as instituições que são para nos defender, só nos dão mais medo. Pensem nisso. Carinhosamente, Mário Tiburcio.

Por J.Alves,11/04/2017

A FIM DE CONFORMAR OS FAMILIARES, O GOVERNO JÁ DEU ORDENS PARA OS SEUS SECRETÁRIOS TRATAR COM ELES UMA FORMA DE IDENIZAÇÃO FINANCEIRA.

Por LYRA,11/04/2017

Imaginem os senhores se a família desse jovem assassinado de forma covarde e cruel por esses BANDIDOS fardados, tiverem alguns parentes de SANGUE NOS OLHOS, vão catar o endereço dos BANDIDOS e executarem todos aqueles que pertencerem as famílias dos marginais, ou seja, morrerão pessoas inocentes que nada tiveram com a irresponsabilidade e covardia dos parentes bandidos, tenho pena dos filhos desses marginais pelo que irão sofrer, pelo menos psicologicamente.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM