Jornal do Commercio
ATITUDE CIDADÃ

Famílias do Agreste pernambucano ganham cisternas construídas por voluntários cariocas

Iniciativa faz parte do projeto Água para Vidas, da ONH Habitat. As seis cisternas, localizadas em Riacho das Almas, ficaram prontas sexta-feira

Publicado em 15/04/2017, às 09h32

Construção de seis cisternas foi realizada por 10 jovens cariocas em cinco dias.  / Foto: Mateus Mendes / Divulgação Habitat
Construção de seis cisternas foi realizada por 10 jovens cariocas em cinco dias.
Foto: Mateus Mendes / Divulgação Habitat
Da editoria de Cidades

Para quatro famílias que residem nos Sítios Xambá e Areais, na zona rural de Riacho das Almas, cidade do Agreste pernambucano e distante 136 quilômetros do Recife, a Sexta-feira Santa foi de comemoração. Cada uma ganhou uma cisterna, com capacidade para armazenar até 16 mil litros de água. Os recipientes foram construídos, em cinco dias, por um grupo de 10 alunos da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em parceria com a ONG Habitat para a Humanidade Brasil. Além de colocar a mão na massa, o grupo conseguiu o dinheiro necessário para a obra, R$ 58 mil, através de um site de financiamento coletivo.

“Esperamos que com a cisterna melhore nossa vida. Estamos tão felizes que nem sabemos como agradecer. É muito sofrimento, está tudo muito seco aqui. São cinco anos sem inverno, sem chuva”, afirma a agricultora Josefa Margarida da Silva Alves, 48 anos. Uma das cisternas foi construída no quintal da casa da filha dela, Maria Jucélia, que é casada e tem uma filha de seis anos. “Com a cisterna teremos água boa para cozinhar e beber”, comenta Josefa. Para conseguir o líquido, a família percorre pelo menos três quilômetros.

Riacho das Almas é um dos municípios que sofre com a pior seca dos últimos cem anos no Nordeste. Este ano, a Habitat para a Humanidade já construiu outras seis cisternas, em parceria com uma igreja. O projeto chama-se Água para Vidas. A previsão é beneficiar mais 20 famílias até o final deste ano, numa ação em conjunto com uma escola carioca.

Cada cisterna é construída por uma dupla de voluntários e pelas famílias contempladas, que são orientadas e apoiadas por uma equipe da ONG. O grupo da PUC-RJ (a maioria de alunos da pós-graduação em engenharia ambiental) começou as construções segunda-feira passada. Segundo o coordenador do projeto, Mateus Mendes, as famílias que recebem as cisternas são escolhidas a partir de critérios de renda. A estimativa é que cada reservatório guarde água suficiente para ser usada por um ano.

A psicóloga Helena Dimantas, 28, foi uma das voluntárias. “Participar desse projeto superou minhas expectativas. Aprendi muito. E vivi uma realidade totalmente diferente da minha no Rio de Janeiro. Não há dinheiro que pague”, conta Helena. Ela pretende convidar a escola onde cursou o ensino básico a se engajar na iniciativa. A maioria dos R$ 58 mil foi doada por cariocas.



CAPACITAÇÃO

O projeto Água para Vidas existe há cinco anos e já beneficiou 430 famílias em 15 municípios pernambucanos. Além das cisternas, contempla a reforma e ampliação de telhados para captação de água de chuva; e cursos de capacitação em temáticas como gestão de recursos hídricos, direitos humanos e políticas públicas.


Recomendados para você


Comentários

Por JOSÉ IVALMIR,16/04/2017

Louvável o trabalho da Equipe.....mas a seca é a vergonha histórica de todos os governantes que se alimentam da miséria e da dor de milhões de nordestinos.....desde priscas eras.....da ARENA, do PT, do PSB.....sempre a mesma conversa.....slogans .......e, depois, fome porque da fome se alimenta a mesa dos Políticos "Inteligentes".......homens de Estado.

Por Papirando,15/04/2017

Estão de parabéns! Mas o descaso do Estado é cada vez maior, pois benfeitores de outros estados precisam vir fazer o que era dever do Excelentíssimo Governador e Prefeitos dessas regiões.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Prêmio ISS Recife Prêmio ISS Recife
Principal item da receita própria dos municípios, o Imposto Sobre Serviços (ISS) entra no cofre das prefeituras tanto para custear despesas quanto para viabilizar investimentos nas cidades.
#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM