Jornal do Commercio
Prevenção

Baleia Azul: Polícia alerta para riscos de 'jogo' que pode levar a automutilação

Já foram registradas pelo menos três vítimas no Brasil. Em Pernambuco, existe investigação em andamento

Publicado em 17/04/2017, às 17h29

Polícia Federal faz investigação de cibercrimes  / Fotos Públicas
Polícia Federal faz investigação de cibercrimes
Fotos Públicas
Da Editoria de Cidades

Um assunto tem levantado debates entre pais de adolescentes, especialistas em saúde mental e agentes de polícia: o envolvimento de jovens em práticas no mundo virtual que podem estimular a automutilação e levar a comportamentos suicidas. As discussões levaram a Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco a divulgar um alerta sobre a atividade, que popularmente ficou chamada de jogo da Baleia Azul. Segundo a PF, já foram registradas pelo menos três vítimas no Brasil (Mato Grosso, Minas Gerais e Paraíba) que teriam sido envolvidas com essa prática. Na Paraíba, a Polícia Militar investiga casos em uma escola, onde alunos já estariam em processo de mutilação. Em Pernambuco, segundo a PF, não foi constatada a existência de casos específicos, mas já existe um investigação em andamento.

“O trabalho é para ver se, em grupos do Facebook, isso está acontecendo. Na Paraíba, já houve uma classe inteira participando, em grupo fechado, desse jogo Baleia Azul. Mas, em Pernambuco, não há casos confirmados. É feita uma investigação de cibercrime normal que detecta, entre crimes como pedofilia ou outros de competência da Polícia Federal, esse tipo de ocorrência também”, esclarece o assessor de comunicação da PF, Giovani Santoro. Ele explica que o alerta parte da necessidade de ajudar a prevenir danos entre os adolescentes, autolesões e comportamentos suicidas.

Para o psicólogo Igor Lins Lemos, mestre e doutor em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento pela Universidade Federal de Pernambuco, esse tipo de prática não deve ser caracterizada como jogo. “É incorreto a forma de denominar esse tipo de estratégia sádica que colocaram na internet. Jogo é tudo aquilo que tem um caráter lúdico, de entretenimento, de conquistas. E mesmo esse tipo de atividade, que se apresenta com um tipo de passo a passo do que deve ser feito em níveis, pode ser tudo, menos um jogo”, explica Igor, que é pesquisador da área de dependências tecnológicas.



Como estratégia de prevenção, a Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco tem realizado uma série de palestras gratuitas sobre crimes cibernéticos nas escolas. “Como o cibercrime é algo dinâmico, com novos jogos e perigos acontecendo, incluímos informações sobre o Baleia Azul no conteúdo das palestras. A próxima será ministrada, nesta terça-feira (18), para 200 alunos dos ensinos médio e fundamental”, diz Giovani, que tem feito de duas a três palestras por semana.

O assessor de comunicação da PF acrescenta que, devido a demandas de escolas, empresas, igrejas e associações, a PF tem realizado atualmente mais atividades educativas sobre cibercrimes do que drogas. A instituição que desejar fazer agendamento da atividade deve entrar em contato pelo telefone: 81 2137-4076, de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

CRIME

A PF informa ainda que a conduta dos mentores do Baleia Azul é criminosa. "Induzir (criar a ideia de suicídio em alguém), instigar (incentivar alguém que já estava pensando em suicídio) ou auxiliar (ajudar materialmente o suicida) o suicídio de outra pessoa é crime, de acordo com o artigo 122 do Código Penal, punido com pena de dois a seis anos de prisão, caso o suicídio seja consumado, ou de um a três anos de prisão, caso a tentativa de suicídio resulte em lesão corporal grave", diz a PF, em nota. 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM