Jornal do Commercio
ALERTA EM PERNAMBUCO

Participante do jogo Baleia Azul presta depoimento na DPCA do Paulista

A jovem teria entrado no jogo na última segunda-feira (17) e se negou a cumprir um dos desafios, por isso foi punida pelos responsáveis do jogo. A Polícia já investiga o caso

Publicado em 19/04/2017, às 18h25

A menina tem 13 anos de idade e, segundo a mãe, entrou no jogo por curiosidade / Foto: Erick França/ Rádio Jornal
A menina tem 13 anos de idade e, segundo a mãe, entrou no jogo por curiosidade
Foto: Erick França/ Rádio Jornal
JC Online
Com informações da Rádio Jornal

Nesta quarta-feira (19), uma adolescente de 13 anos, que apresenta cortes no braço, foi levada pela mãe até o Departamento de Polícia da Criança e Adolescente (DPCA) do Paulista, na Região Metropolitana do Recife, para prestar depoimento. A suspeita é que os ferimentos no corpo da menina tenham relação com o jogo da Baleia Azul, uma atividade que tem deixado profissionais de saúde, pais e autoridades em alerta.

Segundo o delegado Jorge Ferreira, a jovem teria entrado no jogo na última segunda-feira (17). "Essa menina teria se recusado a cumprir uma das tarefas e por isso sofreu uma sanção, que foi riscar na pele do braço 13 cortes, que corresponde à idade dela. A irmã dela presenciou isso e alertou a mãe, que estava no trabalho. A mãe quando chegou, questionou o que estava acontecendo e a adolescente acabou contando a verdade, que fazia parte desse grupo, estava sendo ameaçada e não conseguia sair", afirma.

Ainda de acordo com o delegado, este é o primeiro caso do jogo registrado em Pernambuco. Três casos já foram comprovados ao redor do mundo. No Brasil, segundo a Polícia Federal, já foram registradas pelo menos três vítimas - Mato Grosso, Minas Gerais e Paraíba, que teriam sido envolvidas com essa prática.



O caso já está sendo investigado. O aparelho de celular da jovem vai passar por perícia.

"Fiquei com muito medo de perder minha filha. Apavorada. Ela disse que entrou por uma rede social, por curiosidade", conta a mãe da adolescente. O delegado destaca a importância dos pais fiscalizarem e orientarem seus filhos sobre as redes sociais. "O alerta para isso é grande e importante. O adolescente é muito vulnerável a questão da curiosidade. É necessário que os pais fiquem atentos no que os filhos fazem na internet. Quanto mais cedo a gente usar de prevenção, melhor vai ser", completa.

Crimes

Segundo o delegado, os "mentores" do jogo podem responder por vários crimes, como lesão corporal, ameaça e indução ao suicídio.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por JUSTICEIRO,20/04/2017

AINDA COM ESSE JOGO? POR FAVOR, ISSO É FACIL DE PRENDER OS BANDIDOS. É SÓ COLOCAR POLICIAIS COM PERFIS FAKE E LOCALIZAR ESTES BANDIDOS MALUCOS. Ponto! É prender pra dar exemplo! UM BANDO DE SOCIOPATA nas redes sociais. PAIS VIGIEM SEUS FILHOS, DO CONTRÁRIO VOCÊS AMANHÃ OS ENTERRARÃO. NINGUÉM CONHECE ATÉ ONDE VAI A MANIPULAÇÃO DESTES MANÍACOS. Violação no Código Penal art. 122. AVANTE E FORÇA para prender estes safados!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM