Jornal do Commercio
Entrevista

'Se não prestarem atenção vão perder seus filhos', alerta mãe sobre o Baleia Azul

Mãe de um adolescente de 15 anos que participava do jogo relata o drama da família

Publicado em 21/04/2017, às 06h41

Mulher soube que filho estava jogando Baleia Azul por meio do pastor da igreja que frequenta / Ricardo Labastier/JC Imagem
Mulher soube que filho estava jogando Baleia Azul por meio do pastor da igreja que frequenta
Ricardo Labastier/JC Imagem
Margarette Andrea

Mãe de seis filhos, que cria sozinha no Ibura, Zona Sul do Recife, a dona de casa Adriana (nome fictício), de apenas 33 anos, está assustada com o alcance do Baleia Azul, aplicativo russo que induz adolescentes a se mutilar e cometer suicídio. Seu filho de 15 anos acessou o link pelo Facebook e chegou a 19ª de 50 missões, que foi sacrificar um gato e beber seu sangue. 

Jornal do Commercio - A senhora desconfiou que tinha algo errado com seu filho?
Mãe - Ele fez 49 cortes nos braços e coxas. Nada profundo, como se fossem arranhões. Eu achei estranho e perguntei várias vezes o que era, mas ele não respondeu. Eu tinha ouvido falar do Baleia Azul, mas não sabia como era, então não atinei.<EM>

JC - E como a senhora descobriu do que se tratava?
Mãe - Na sexta-feira de madrugada eu fui botar o irmão dele na cama e vi que ele estava com febre. Mandei ele tomar um remédio e ele ficou estranho de repente (falou com olhar distante).

JC - Estranho como?
Mãe - Ele chorava muito e pedia perdão. Dizia que tinha dado meu nome e estava recebendo ameaças. Pediu para eu chamar o pastor lá em casa e foi o pastor que me contou que ele estava participando do Baleia Azul e tinha um comportamento estranho.

JC - E o que a senhora fez?
Mãe - Eu fiquei observando. Mas aí fui chamada na escola. Ele tinha contado aos amigos que sacrificou um gato e bebeu o sangue dele. A notícia se espalhou pelo colégio todo muito rápido. Eu entrei na internet para pesquisar sobre o jogo.



JC - O que a senhora sentiu quando recebeu essa notícia?

Mãe - Eu fiquei chocada. Até que ponto ele chegou por causa de um jogo! E tem a questão de saúde. Gatos têm bactérias que afetam o sistema nervoso. Para ver a gravidade desse jogo, o tanto que mexe com o psicológico das crianças!

JC - Seu filho falou o que o levou a entrar nesse jogo?
Mãe - Não. Ele só disse que recebeu um link pelo Facebook, acessou e caiu em um grupo.

JC - E imagina por que alguém criaria um jogo assim?
Mãe - Não sei com que propósito fazem isso. No mínimo foi uma pessoa doente.

JC - O que a fez procurar a polícia?
Mãe - Para que isso tenha um fim. Para que consigam achar o verdadeiro culpado e parem com isso. Também procurei o Conselho Tutelar, mas estava fechado. Para um psicólogo falar com ele e também requererem exames.

JC - O que a senhora diria para as mães de adolescentes?
Mãe - Para elas prestarem atenção nos filhos. Observarem mais seu comportamento. Eu consegui evitar que o meu cometesse suicídio. Mas muitos por aí, se não prestarem atenção, vão perder seus filhos.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM