Jornal do Commercio
Entrevista

'Se não prestarem atenção vão perder seus filhos', alerta mãe sobre o Baleia Azul

Mãe de um adolescente de 15 anos que participava do jogo relata o drama da família

Publicado em 21/04/2017, às 06h41

Mulher soube que filho estava jogando Baleia Azul por meio do pastor da igreja que frequenta / Ricardo Labastier/JC Imagem
Mulher soube que filho estava jogando Baleia Azul por meio do pastor da igreja que frequenta
Ricardo Labastier/JC Imagem
Margarette Andrea

Mãe de seis filhos, que cria sozinha no Ibura, Zona Sul do Recife, a dona de casa Adriana (nome fictício), de apenas 33 anos, está assustada com o alcance do Baleia Azul, aplicativo russo que induz adolescentes a se mutilar e cometer suicídio. Seu filho de 15 anos acessou o link pelo Facebook e chegou a 19ª de 50 missões, que foi sacrificar um gato e beber seu sangue. 

Jornal do Commercio - A senhora desconfiou que tinha algo errado com seu filho?
Mãe - Ele fez 49 cortes nos braços e coxas. Nada profundo, como se fossem arranhões. Eu achei estranho e perguntei várias vezes o que era, mas ele não respondeu. Eu tinha ouvido falar do Baleia Azul, mas não sabia como era, então não atinei.<EM>

JC - E como a senhora descobriu do que se tratava?
Mãe - Na sexta-feira de madrugada eu fui botar o irmão dele na cama e vi que ele estava com febre. Mandei ele tomar um remédio e ele ficou estranho de repente (falou com olhar distante).

JC - Estranho como?
Mãe - Ele chorava muito e pedia perdão. Dizia que tinha dado meu nome e estava recebendo ameaças. Pediu para eu chamar o pastor lá em casa e foi o pastor que me contou que ele estava participando do Baleia Azul e tinha um comportamento estranho.

JC - E o que a senhora fez?
Mãe - Eu fiquei observando. Mas aí fui chamada na escola. Ele tinha contado aos amigos que sacrificou um gato e bebeu o sangue dele. A notícia se espalhou pelo colégio todo muito rápido. Eu entrei na internet para pesquisar sobre o jogo.



JC - O que a senhora sentiu quando recebeu essa notícia?

Mãe - Eu fiquei chocada. Até que ponto ele chegou por causa de um jogo! E tem a questão de saúde. Gatos têm bactérias que afetam o sistema nervoso. Para ver a gravidade desse jogo, o tanto que mexe com o psicológico das crianças!

JC - Seu filho falou o que o levou a entrar nesse jogo?
Mãe - Não. Ele só disse que recebeu um link pelo Facebook, acessou e caiu em um grupo.

JC - E imagina por que alguém criaria um jogo assim?
Mãe - Não sei com que propósito fazem isso. No mínimo foi uma pessoa doente.

JC - O que a fez procurar a polícia?
Mãe - Para que isso tenha um fim. Para que consigam achar o verdadeiro culpado e parem com isso. Também procurei o Conselho Tutelar, mas estava fechado. Para um psicólogo falar com ele e também requererem exames.

JC - O que a senhora diria para as mães de adolescentes?
Mãe - Para elas prestarem atenção nos filhos. Observarem mais seu comportamento. Eu consegui evitar que o meu cometesse suicídio. Mas muitos por aí, se não prestarem atenção, vão perder seus filhos.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM