Jornal do Commercio
TRÂNSITO

Ciclistas fazem protesto, em Olinda, contra impunidade no trânsito

Ato, realizado quinta-feira, marcou os dois meses de morte do ciclista Sebastião Tenório, vítima de atropelamento no bairro de Casa Caiada

Publicado em 19/05/2017, às 11h35

No local onde Sebastião foi atropelado houve a colocação de uma bicicleta branca / Foto: Divulgação
No local onde Sebastião foi atropelado houve a colocação de uma bicicleta branca
Foto: Divulgação
Da editoria de Cidades

Protestar contra a impunidade no trânsito e pedir um basta à violência foram os motes de um ato realizado em Casa Caiada, Olinda, no Grande Recife, na noite de quinta-feira. A ação marcou também os dois meses da morte do ciclista Sebastião Tenório, 53 anos, ocorrida no dia 11 de março. Teve apoio dos grupos de ciclistas Pedala Olinda, Ciclo pedal JB2, Ameciclo Recife e TM Bike.

Segundo a família de Sebastião Tenório, que organizou o ato, ele estava concluindo sua travessia numa faixa de pedestres, desmontado da bicicleta, quando foi atropelado. No local - a Avenida Dr. José Augusto Moreira - foi instalada uma "ghost bike" (bicicleta fantasma, pintada de branco), para que a morte não seja esquecida.



INVESTIGAÇÃO

"Recebemos a notícia por telefone e corremos até o local. Ele ainda estava lá... O atropelamento já é revoltante, mas quando a gente viu que Sebastião estava com a preferência, na faixa, doeu mais ainda. Essa morte poderia ter sido evitada. Quem mata no trânsito é assassino e deve ser punido com rigor", afirma Graça Queiroz, esposa dele.

O caso está sob responsabilidade da Delegacia de Rio Doce. Conforme a família do ciclista, a polícia já identificou o motorista e está na fase de investigações.

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM