Jornal do Commercio
MATA SUL

Estrago das chuvas seria menor com barragens construídas

Após enchentes de 2010, cinco barragens foram prometidas para proteger região, mas apenas uma teve poder efetivo contra as águas do fim de semana

Publicado em 29/05/2017, às 03h19

Drama da população da Mata Sul se repete sete anos depois. Sem funcionamento de Serro Azul tragédia seria maior / Foto: Sérgio Bernardo/ JC Imagem
Drama da população da Mata Sul se repete sete anos depois. Sem funcionamento de Serro Azul tragédia seria maior
Foto: Sérgio Bernardo/ JC Imagem
LUIZA FREITAS

Sete anos se passaram desde a tragédia que assolou a Zona da Mata Sul de Pernambuco e a rigor nenhuma das cinco barragens prometidas para evitar novas enchentes foi oficialmente entregue. Com inauguração prevista para o próximo mês, mas praticamente pronta, Serro Azul, localizada em Palmares, foi a única que teve efeito para conter as águas. Enquanto isso, as barragens de Panelas, em Cupira; Gatos, em Lagoa dos Gatos; Guabiraba, em Barra de Guabiraba; e Igarapeba, em São Benedito do Sul, estão com as construções paradas, faltando mais de 50% para a conclusão das obras.

Segundo o secretário-executivo de Recursos Hídricos de Pernambuco, coronel Mário Cavalcanti, a cerimônia de inauguração de Serro Azul seria nos próximos 15 dias. “Estávamos realizando alguns testes e faltavam apenas os acabamentos, como pintura”, explica. “É preciso considerar que o Rio Una tem uma nascente muito elevada, de quase mil metros, então a água desce com muita violência. Sem Serro Azul, a situação teria sido pior”, reforça o coronel. A estrutura tem capacidade para represar 303 milhões de metros cúbicos, dos quais 48 milhões foram ocupados com as chuvas do fim de semana.

Para essa obra, o governo estadual desembolsou cerca de R$ 200 milhões. Outros R$ 300 milhões foram repasses da União. E é justamente a liberação de recursos federais a justificativa para a paralisação das outras quatro obras (confira arte abaixo). “Fizemos esse pleito (liberação de recursos para barragens) ao ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) e vamos reforçá-lo na visita do presidente Temer a Pernambuco”, disse o secretário de Planejamento, Márcio Stefanni.



 A previsão inicial de entrega para as cinco barragens ficava entre os anos de 2013 e 2014. Além da interrupção dos repasses da União (que ficaram ainda mais escassos com a crise econômica iniciada em 2014), uma série de falhas técnicas na elaboração dos projetos retardou o andamento das obras. É o caso da barragem de Gatos, que teve sua realização interrompida já em 2011. “A construção de uma barragem não é igual a de uma estrada, por exemplo. O projeto tem que ser muito detalhado e correto”, explica o secretário de Recursos Hídricos.

HABITAÇÃO

Até as 22h de ontem, o balanço oficial era de que 30 mil pessoas haviam ficado sem moradia (de forma permanente ou temporária), número que pode variar de acordo com a chegadas das equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil nas áreas mais afetadas.

Em 2010, 80 mil pessoas ficaram desabrigadas. Na época, a promessa dos governos estadual e federal (através do Ministério das Cidades) era de que 16.853 moradias seriam construídas para a população afetada, distribuída em conjuntos habitacionais. A Secretaria Estadual de Habitação afirmou que hoje irá informar quantas dessas unidades foram entregues.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Recomendados para você


Comentários

Por ismael barbosa campos,29/05/2017

É isso ai senhor : governador vamos prometer que o ano que vem já tem eleições, quem sabe esse povo sofrido já que não tem mais esperança em nada da um votinho pro senhor.

Por LYRA,29/05/2017

Em primeiro lugar não entendo o porque de um coronel ser secretário executivo de um governo, ainda mais de um governo formado por corruptos, será que esse coronel chegou a esse posto por merecimentos ou por serviços diversos prestados a os bandidos, entenda-se políticos? Quero que provem o quanto realmente se gastaria para a construção de cada uma dessas barragens, sem a figura da desgraça do superfaturamento que retorna para os bolsos dos políticos e seus ASPONES a título de propinas e, temos que tomar conhecimento de o quanto já foi gastos naquelas que não estão nem mesmo com 50% da obras concluídas, será que o total orçado, mesmo que superfaturado, já não foi totalmente consumido/evaporado? Com a palavra os ditos órgãos "competentes" TCE e MPE.

Por Luiz Félix de freitas Silva Félix,29/05/2017

É sempre assim: Políticos mentirosos e corruptos sempre prometem e nunca cumprem. Resultado: Vem as chuvas e quem paga o pato é a sofrida população. 2018 está se aproximando e o povo cada vez mais está revoltado e votando menos. Vamos ver milhares de bandidos com cara de anjo pedindo voto e o troco será dado com milhões de votos nulos. Um cidadão revoltado, Luiz Félix.

Por GILSANDRO,29/05/2017

TEMOS QUE PARABENIZAR O GOVERNADOR FALECIDO E SEU FANTOCHE ATUAL PELA EXCELENTE GESTÃO EM PROMETER E SE APOSSAR DO ERÁRIO DO POVO. O DINHEIRO QUE ESSES CANALHAS SURRUPIARAM FAZ MUITA FALTA PARA O POVO TÃO SOFRIDO. ANO QUE VEM VOTA NULO NELES.

Por Helder Caires,29/05/2017

É bom lembrar que o dinheiro do BNDES é dinheiro dos impostos de quem TRABALHA!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM