Jornal do Commercio
PROGRAMAÇÃO

Conheça 13 roteiros para desbravar o Recife a pé

Passeios alternativos contemplam rotas que passam por cemitério, fortes e igrejas históricas

Publicado em 15/06/2017, às 17h50

Cultura, história, arte e gastronomia estão reunidos em 13 roteiros para conhecer o Recife a pé / Foto: JC Imagem
Cultura, história, arte e gastronomia estão reunidos em 13 roteiros para conhecer o Recife a pé
Foto: JC Imagem
JC Online

Cultura, história, arte e gastronomia estão reunidos em 13 roteiros para conhecer o Recife a pé seja em meio a um feriado, fim de semana ou durante os agitados dias comuns na capital pernambucana. Nos mais diversos endereços, é possível conhecer os recifes que abrigam uma igreja erguida no século XVII por uma irmandade de negros; uma rua que briga entre seus casarões a mais antiga sinagoga das Américas – a Kahal-Zur Israel; o Centro Islâmico da cidade ou até mesmo um espaço Hare Krishna.

1. RECIFE AFRO

 

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem

Neste roteiro é possível verificar a importância da cultura africana na construção da identidade do povo recifense, apontando os principais pontos da disseminação cultural africana e seu valor histórico. No caminho estão:

IGREJA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS DO RECIFE:

Erguida no século XVII por irmandade de negros. No altar existem santos negros como o rei Baltazar, São Elesbão, São Benedito, Santo Antônio de Catagerona e Santa Ifigênia. Foi palco de coroações de rainhas de maracatus, hoje realizadas do lado externo do templo.

MONUMENTO A ZUMBI DOS PALMARES:

Foi o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, o maior dos quilombos do período colonial. A escultura é trabalho de Abelardo da Hora e fica no Pátio do Carmo.

PÁTIO DO TERÇO:

Fica em frente à Igreja de Nossa Senhora do Terço. No local, é realizada na segunda-feira de carnaval a Noite dos Tambores Silenciosos, cerimônia que mescla a cultura do carnaval com cultos de matriz africana, em memória aos espíritos ancestrais e orixás protetores das nações. Foi local de residência de Badia, renomada Yalorixá do Recife, idealizadora da Noite dos tambores silenciosos. Na entrada do pátio, escultura de Abelardo da Hora homenageia as nações de maracatu.

PÁTIO DE SÃO PEDRO:

Rodeado por casas coloniais e pela fachada barroca da Catedral de São Pedro dos Clérigos, é um rico reduto cultural, abrigando a Estátua de Solano Trindade, Memorial Chico Science, o Memorial Luiz Gonzaga e o Museu de Arte Popular, o Núcleo Afro do Recife e um núcleo do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães. É palco de eventos voltados à produção cultural pernambucana. No pátio, há estabelecimentos gastronômicos que oferecem petiscos e refeições.

2. BAIRRO DA BOA VISTA

 

Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem

Passeio a pé pelo bairro da Boa Vista, na centro do Recife, que surgiu a partir de aterros ainda no século XVI, começa a ganhar corpo a partir do século XVIII e se expande no XIX, ganhando igrejas, novas ruas, palácios, sobrados, solares, pátios, mercado e comércio pulsante, sendo hoje um dos mais movimentados da cidade, numa mistura de residências, paisagens históricas, edifícios modernos, vida noturnas agitada e um polo LGBT.

ROTEIRO SUGERIDO:

CINEMA SÃO LUIZ:

Mais antigo cinema de rua em funcionamento na cidade. Chama atenção por seu painel de Lula Cardoso Ayres e a decoração interna com teto adornado em estucaria e
vitrais coloridos.

LOJA MAÇÔNICA CONCILIAÇÃO:

Loja maçônica que funciona em histórico palacete e abriga em suas dependências um pequeno museu. É aberta a visitação mediante agendamento.

PONTE DA BOA VISTA:

Construída em trilhos, possui brasões e textos em suas cabeceiras que narram fatos da história do País.

RUA DA IMPERATRIZ / CASA ONDE NASCEU JOAQUIM NABUCO:

Repleta de sobrados históricos, é um dos berços do comércio recifense. Em uma das casas nasceu o abolicionista Joaquim Nabuco.

IGREJA MATRIZ DA BOA VISTA:

Com a fachada produzida em Lisboa e montada no Recife, é um belo exemplar de construção religiosa do século XIX.

INSTITUTO ARQUEOLÓGICO, HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DE PERNAMBUCO:

Importante centro de pesquisas e documentação, abriga museu com peças que vão da fundação da Capitania Hereditária de Pernambuco a mobiliário do início do século XX.

PRAÇA MACIEL PINHEIRO/ FONTE/ CASA DE CLARICE LISPECTOR:
Praça com bela fonte no centro e casario histórico no entorno. Ao lado encontra-se a casa onde viveu a escritora Clarice Lispector. Foi reduto de famílias judias no começo do século XX.

IGREJA DA SANTA CECÍLIA/ IGREJA DO ROSÁRIO/ RUA DO ARAGÃO:

Casario histórico, igrejas antigas, brechós e lojas de móveis marcam o ambiente, numa mistura de comércio,
moradia e religiosidade.

PÁTIO DE SANTA CRUZ/ IGREJA DE SANTA CRUZ/BARES E RESTAURANTES:

Típico pátio de igreja recifense, abriga no entorno da igreja matriz casarões com bares e restaurantes que
animam o local.

MERCADO DA BOA VISTA:

Um dos mais antigos da cidade, reúne muita gente em seus bares para encontro de amigos, boemia e apresentações artísticas, principalmente nos finais de semana.


3. BAIRRO DO RECIFE

 

Arnaldo Carvalho/JC Imagem

 

O bairro onde nasceu a cidade e atravessou séculos se transformando oferece agradáveis surpresas em suas ruas, esquinas e praças. Com um conjunto arquitetônico considerável e repleto de exemplares dos mais diversos estilos que vão do colonial ao modernista, é possível fazer um verdadeiro laboratório de arquitetura pelas ruas, mergulhar na cultura e gastronomia da cidade e vivenciar o cotidiano dos moradores e trabalhadores locais, que enchem as ruas em momentos de lazer, contemplação e atividades culturais.

ROTEIRO SUGERIDO:

MARCO ZERO:

Reconhecida como local de fundação da cidade, a Praça Rio Branco possui em seu piso a obra “Rosa dos ventos” de Cícero Dias e marca o Km 0 do Recife.

NOVO PORTO:

Complexo de equipamentos de gastronomia, lazer e entretenimento em antigos armazéns do porto do Recife.

CAIS DO SERTÃO:

Museu dedicado à cultura sertaneja a partir da obra de Luiz Gonzaga.

FORTE DO BRUM E MEMORIAL DA JUSTIÇA:

Um antigo forte militar do século XVII e uma estação de trem transformada em centro de memória da justiça pernambucana. Ambos funcionam como museus.

PAÇO DO FREVO:

Museu, centro de documentação, memória, salvaguarda e pesquisa do ritmo que é a cara do Recife, considerado patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO.

RUA DO BOM JESUS:

Antiga Rua dos Judeus, abriga entre seus casarões a mais antiga sinagoga das Américas – a Kahal-Zur Israel. Na mesma rua está a Embaixada dos Bonecos Gigantes.

IGREJA MADRE DE DEUS:

Um dos mais belos templos barrocos, repleto de pinturas, talhas douradas e rico acervo de arte sacra.

PAÇO ALFÂNDEGA/ RUA DA MOEDA:

Um centro de compras funciona em um prédio que já foi convento, Santa Casa e alfândega portuária. No topo há terraço com vista panorâmica para a cidade. Em frente, a Rua da Moeda oferece bares e restaurantes com diversão garantida.

PRAÇA DO ARSENAL:

Conhecida como Praça do Arsenal, a Praça Artur Oscar homenageia um dos generais que comandaram a campanha de Canudos. Possui jardim e fonte, tendo em seu entorno a Torre Malakoff, a Capitania dos Portos, o Paço do Frevo e equipamentos de cultura e lazer.

TORRE MALAKOFF:

Construída na metade do séc. XIX, a torre serviu por muito tempo como observatório astronômico e sede da capitania dos portos em Pernambuco. Seu nome homenageia a fortaleza homônima na Península da Criméia. Atualmente é um espaço cultural e continua com ações para a observação dos astros.

4. BAIRRO DE SANTO ANTÔNIO E SÃO JOSÉ

Foto: Edmar Melo/JC Imagem

 Surgidos a partir do domínio holandês, os bairros da Ilha de Santo Antônio e de São José são repositórios de relíquias históricas da cidade, que se misturam ao movimentado comércio popular em praças, becos, travessas, largos e avenidas. Com dezenas de esculturas, monumentos, igrejas, bibliotecas, museus, forte e mercado, os dois bairros pulsam como o coração da cidade.

ROTEIRO SUGERIDO:

PRAÇA DA REPÚBLICA:

Conta com jardim de Burle Marx e conjunto de esculturas. No entorno
estão o Palácio do Campo das Princesas, Teatro de Santa Isabel, Palácio da Justiça e o Antigo Liceu.

CONJUNTO FRANCISCANO:

Na rua do Imperador, o Conjunto Franciscano conta com a
Igreja de Santo Antônio, claustro conventual, conjunto de azulejos, Museu Franciscano de Arte
Sacra, Capela Dourada e Igreja de São Francisco das Chagas.

GABINETE PORTUGUÊS DE LEITURA:

Espaço para pesquisa e leitura da comunidade
portuguesa. Conta com rico acervo de livros, obras de arte, obras raras e vitrais.

MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO:

Igreja matriz do bairro, das mais belas construções barrocas do Estado.

RUA NOVA:

Surgida a partir da antiga casa de pólvoras holandesa, abriga conjunto de casarões, a Igreja da Conceição dos Militares e prédio da antiga Confeitaria Glória, onde morreu João Pessoa.

PRAÇA JOAQUIM NABUCO:

Tem ao centro um grande monumento em homenagem ao abolicionista que dá nome ao local. No entorno, um painel em azulejos de Abelardo da Hora e o Restaurante Leite, mais antigo de Pernambuco, em funcionamento desde o século XIX.

CASA DA CULTURA:

Antiga casa de detenção que funciona como centro de artesanato. Ao seu lado está a antiga estação central, que abriga o Museu do Trem.

CONJUNTO CARMELITA:

Conjunto barroco formado pela Basílica do Carmo, uma das mais movimentadas da cidade, convento e Igreja de Santa Teresa D ?Ávila.

PÁTIO DE SÃO PEDRO:

Pátio com piso em pedras cercado por casario dos séculos XVIII e XIX com bares, restaurantes, museus e a imponente Igreja de São Pedro dos Clérigos.

PÁTIO DO LIVRAMENTO:

Largo de pedestres com lojas de comércio popular em casarões históricos e a Igreja de Nossa Senhora do Livramento dos Homens Pardos.



MERCADO SÃO JOSÉ E BASÍLICA DA PENHA:

Lado a lado, duas das mais imponentes construções do bairro. O mercado em ferro é uma mostra da cultura recifense – artesanato, pescados, frutas, verduras, temperos, ervas medicinais e artigos religiosos sincréticos são encontrados por lá. Bem próxima, em meio ao barulho de vendedores, a Basílica da Penha impressiona por suas colunas, afrescos e altares.

FORTE DAS CINCO PONTAS:

Fortificação do século XVII que abriga o Museu da Cidade do Recife.

5. BAIRRO DA MADALENA

 

Foto: Flora Pimentel/JC Imagem

 Antigo arrabalde surgido a partir de engenho de açúcar, conserva em suas ruas exemplares de palacetes, solares e sobrados da aristocracia açucareira. Com ruas arborizadas e áreas verdes, tem ainda uma praça de Burle Marx dedicada à vegetação da caatinga e um histórico e bonito mercado público, famoso pelas iguarias regionais servidas em seus bares e restaurantes.

ROTEIRO SUGERIDO:

PRAÇA EUCLIDES DA CUNHA/ CACTÁRIO DA MADALENA:

Projetada por Burle Marx, conta com vegetação típica do sertão nordestino e uma escultura de Abelardo da Hora. Em frente à praça está o Clube Internacional do Recife.

RUA BENFICA:

Por toda a rua é possível observar sobrados e palacetes da antiga aristocracia açucareira de Pernambuco.

MUSEU DA ABOLIÇÃO:

Museu instalado numa antiga casa de engenho que pertenceu ao Conselheiro João Alfredo.

MERCADO DA MADALENA:

Um dos mais antigos e movimentados mercados públicos da cidade. O maior movimento é nas madrugadas e manhãs, quando é procurado por pessoas saindo de shows e noitadas para recuperar as energias.

6. RECIFE SAGRADO

 

Foto: Ashlley Melo/JC Imagem

ROTEIRO SUGERIDO:

IGREJA MADRE DE DEUS:

No bairro do Recife, contém peças provenientes da antiga Igreja do Corpo Santo.

CAPELA DOURADA:

Expressão máxima do barroco pernambucano, integra o Museu Franciscano de Arte Sacra.

IGREJA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS:

Construída pela irmandade de negros escravos e forros, foi por muitos anos palco de coroação de rainhas de maracatu.

BASÍLICA DO CARMO:

Templo dedicado à padroeira do Recife, sendo um dos mais movimentados da cidade. O destaque é a capela mor.

IGREJA DE SANTA TERESA DA ORDEM TERCEIRA DO CARMO:

Igreja com impressionante coleção de quadros espalhados por paredes e forro dedicados à vida e obra de Santa Teresa.

BASÍLICA DA PENHA:

Templo neorrenascentista com afrescos de Murillo La Greca e talhas de Valentino Besarel.

7. RECIFE HOLANDÊS-CENTRO

 

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Um dos períodos históricos que mais chama atenção e mais habita o imaginário coletivo brasileiro é o período de dominação holandesa no país. De 1630 a 1654, a região Nordeste, com exceção da Bahia, foi dominada pelos flamengos e teve no Recife o epicentro da guerra pelo açúcar.

ROTEIRO SUGERIDO:

FORTE DO BRUM:

Museu dedicado ao exército brasileiro que conta entre suas peças com objetos do período holandês. O nome do forte deriva de uma corruptela de seu antigo nome holandês.

RUA DO BOM JESUS:

Antigo mercado de escravos e reduto de famílias judias no século XVII. Na via é possível encontrar a mais antiga Sinagoga das Américas e a casa de Duarte Saraiva.

PONTE MAURÍCIO DE NASSAU:

Construída durante o governo de Nassau, é considerada a mais antiga do Brasil.

PRAÇA DA REPÚBLICA:

A área da praça corresponde ao antigo jardim do Palácio Friburgo, construído por Maurício de Nassau.

PRAÇA DO DIÁRIO/ MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO:

Antigo centro da Cidade Maurícia, a praça era conhecida como Praça do Comércio e a atual Matriz do bairro está sobre o local da antiga casa de pólvoras.

PRAÇA 17:

Na atual Igreja do Espírito Santo funcionou à época um templo calvinista conhecido como Igreja dos Franceses.

PÁTIO DO CARMO:

O pátio conta hoje com o conjunto carmelita, erguido sobre o antigo Palácio da Boa Vista, local de descanso de Nassau. Alguns estudiosos afirmam que o torreão ao sul do Convento do Carmo é remanescente do velho palácio.

RUA DO IMPERADOR/ MARTINS DE BARROS E PÁTIO DO LIVRAMENTO:

Casarões que foram construídos nos antigos lotes da Cidade Maurícia, estreitos e altos, comos os encontrados na Martins de Barros e no Livramento indo até as imediações do Mercado de São José. Na Rua do Imperador está o casarão na esquina do primeiro observatório astronômico das Américas e do Hemisfério Sul.

FORTE DAS CINCO PONTAS:

Construído com o nome de Forte Frederico Henrique, foi apelidado de cinco pontas por causa de sua estrutura com cinco baluartes. O nome permaneceu, apesar de hoje contar com apenas quatro.

8. TEMPLOS DO RECIFE

 

Foto: Diego Nigro/JC Imagem


ROTEIRO SUGERIDO:

BASÍLICA DA PENHA/ CARMO:

Localizadas no centro da cidade, as duas basílicas são dois centros de peregrinação e movimentação religiosa.

SINAGOGA KAHAL ZUR ISRAEL:

O centro cultural judaico de Pernambuco possui exposição referente aos primeiros judeus que estiveram por aqui e achados arqueológicos da sinagoga do século XVII. Há também a reconstituição da sinagoga no primeiro andar.

IGREJA PRESBITERIANA DA BOA VISTA:

Exemplar de arquitetura neogótica, é um dos mais antigos e bonitos templos protestantes do Recife.

CENTRO ISLÂMICO DO RECIFE:

Instalado numa casa da Rua da Glória, apresenta a filosofia islamismo para quem quiser conhecer e visitar o local.

CASA DA BADIA/ NÚCLEO AFRO DO RECIFE:

Os Pátios de São Pedro e do Terço são interligados pela Rua das Águas Verdes e são importantes centros de memória da cultura afro pernambucana, contando com locais como a Casa de Badia, Núcleo Afro, monumento aos maracatus, estátua de Solano Trindade, Casa do Carnaval, entre outros.

CENTRO HARE KRISHNA:

No bairro da Boa Vista, além de centro religioso conta também com restaurante vegetariano.

9. CASA FORTE/ POÇO DA PANELA

Foto: Diego Nigro/JC Imagem

Passeio a pé que contempla paisagens urbanas arborizadas que remetem à expansão da
cidade a partir do século XVIII com os banhos de rio, o surgimento dos trilhos no século XIX e antigos engenhos.

ROTEIRO SUGERIDO:

PRAÇA DE CASA FORTE:

Primeiro projeto do paisagista Roberto Burle Marx, que valoriza a vegetação amazônica inclusive espécimes aquáticas, como a vitória-régia. Na ambiência da praça, casarões históricos com restaurantes, cafés, lanchonetes e lojas comerciais compõem o cenário. Ali também está a igreja matriz do bairro e um tradicional colégio com sua capela.

POÇO DA PANELA:

Pequeno bairro com um conjunto arquitetônico formado por casarões, sobrados, ruas de pedra, praças e a Igreja de Nossa Senhora da Saúde.

CASA DE ARIANO SUASSUNA/ CASA DE MIGUEL ARRAES:

Casas que pertenceram a personalidades estão entre outros sobrados e casarões históricos pelas ruas de pedra do bairro.

BAOBÁ DA ALMIRANTE TAMANDARÉ:

Um dos maiores exemplares de baobá da cidade, fica perto de construções históricas e conjuntos de bares e restaurantes.

MUSEU DO HOMEM DO NORDESTE:

Importante museu antropológico dedicado à formação do Nordeste do Brasil. Em seu complexo há cinema com programação de filmes de arte, café e centro de pesquisas.

10. RUA DA AURORA

 

Edmar Melo/JC Imagem

ROTEIRO SUGERIDO:

CINEMA SÃO LUIZ:

Mais antigo cinema de rua da cidade ainda em funcionamento, chama atenção pela decoração de paredes e teto, vitrais e painéis.

MUSEU DE ARTE MODERNA ALOÍSIO MAGALHÃES - MAMAM:

Espaço dedicado à arte moderna e contemporânea com valioso acervo e exposições temporárias. Ocupa palacete que já funcionou como residência aristocrática, Clube Internacional e Prefeitura da Cidade.

CONJUNTO ARQUITETÔNICO NEOCLÁSSICO:

Belo conjunto de casarões, entre eles o palacete do Conde da Boa Vista e o Teatro Arraial.

PALÁCIO JOAQUIM NABUCO:

Palácio que abriga a Assembleia Legislativa de Pernambuco. Destaque para a cúpula dourada do edifício.

GINÁSIO PERNAMBUCANO:

Prédio neoclássico que abriga uma das mais antigas instituições de ensino do país. Dentro da escola funciona o Museu de História Natural Louis Jacques Brunet.

ESCULTURAS E MONUMENTOS:

Pela rua algumas esculturas chamam atenção como as estátuas Ariano Suassuna, João Cabral de Melo Neto e Manuel Bandeira, o busto de Joaquim Nabuco, Monumento ao manguebeat, local da primeira partida de vôlei do país, Tortura Nunca Mais e o Monumento ao Frevo.

11. CASA AMARELA

 

Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem

ROTEIRO SUGERIDO:

SÍTIO TRINDADE E CASARIO DA ESTRADA DO ARRAIAL:

Exemplares de casarões neoclássicos, ecléticos e modernistas. O sítio tem espaço para esportes, lazer, escavações arqueológicas e realização de eventos. Destaque para o consulado da China, a antiga sede do América Futebol Clube, o Departamento Nacional de Mineração e a Igreja do Bom Jesus do Arraial.

PARÓQUIA LUTERANA DE CASA AMARELA:

Uma das mais antigas denominações protestantes na cidade, tem igrejinha neogótica e recebe visitantes que queiram conhecer a doutrina.

BODEGA DO ARTUR:

Tradicional mercearia de bairro que hoje é ponto de encontro e bar.

MERCADO PÚBLICO E FEIRA:

Um dos mais antigos mercados públicos da cidade, com estrutura em ferro, tem em seu entorno uma feira livre, bares, comércio popular, incluindo a lendária “casa amarela”, o cemitério do bairro e intenso movimento.

12. CEMITÉRIO DE SANTO AMARO

 

Foto: Marcos Pastich / Divulgação

O cemitério Bom Jesus da Redenção, mais conhecido por cemitério de Santo Amaro, no Recife, é um destes locais repletos de obras artísticas de valor. Inaugurado em 1851, guarda túmulos e mausoléus de figuras de vulto da história pernambucana e outros desconhecidos. Em seus 14 hectares e meio é possível verificar túmulos de barões do açúcar, líderes abolicionistas, poetas, escritores, músicos, políticos e anônimos com peças que remetem à vida e obra dos que ali repousam como Joaquim
Nabuco, Barão de Mecejana, Chico Science, Carlos Pena Filho, Capiba, Menina Sem Nome, Manoel Borba, Naná Vasconcelos, Miguel Arraes, entre tantos outros.

13. CIRCUITO DA POESIA

 

Hélia Scheppa/ Arquivo JC Imagem

Encontre grandes poetas em lindos cenários do Recife. Nos sobrados da cidade, pelas ruas e pontes, nos bares e festas populares, a poesia está sempre presente. Esculturas de grandes artistas da literatura e da música compõem o Circuito da Poesia.

Antônio Maria – Rua do Bom Jesus;

Chico Science – Rua da Moeda;

Ascenso Ferreira – Cais da Alfândega;

Naná Vasconcelos – Marco Zero;

Carlos Pena Filho – Praça do Diário;

Mauro Mota – Praça do Sebo;

Solano Trindade - Pátio de São Pedro;

Liêdo Maranhão – Mercado de São José;

Capiba – Rua do Sol;

Luiz Gonzaga – Antiga Estação Central;

Ariano Suassuna – Rua da Aurora;

Naná Vasconcelos – Marco Zero;

Carlos Pena Filho – Praça do Diário;

Mauro Mota – Praça do Sebo;

Solano Trindade - Pátio de São Pedro;

Liêdo Maranhão – Mercado de São José;

Capiba – Rua do Sol;

Luiz Gonzaga – Antiga Estação Central;

Ariano Suassuna – Rua da Aurora;

João Cabral de Melo Neto – Rua da Aurora;

Manuel Bandeira – Rua da Aurora;

Clarice Lispector – Praça Maciel Pinheiro;

Alberto da Cunha Melo – Parque 13 de Maio;

Celina de Holanda Cavalcanti – Avenida Beira Rio - Torre;

Joaquim Cardozo – Ponte Maurício de Nassau.

Os roteiros fazem parte do novo manual com roteiros turísticos alternativos a pé da Prefeitura do Recife.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Eduardo Ferreira,16/06/2017

Não foi listado o Centro de Artesanato de Pernambuco no Recife Antigo

Por ED,16/06/2017

Manda o Prefeito do PSB o melhor de Recife.recuperar o Teatro do Parque,construir o Hotel Marina, reabrir a antiga Boate Chantecler .fazer o projeto de navegabilidade do Rio Capibaribe,recuperar a praça Maciel Pinheiro,pintar e melhorar o estado crítico e de abandono que estão as pontes históricas do Recife.

Por Henry David Thoreau,16/06/2017

Quando essa cidade pobre, subdesenvolvida, atrasada e fracassada chamada Recife for primeiro mundo, como as cidades americanas, aí sim, poder-se-á pensar em fazer esses tais passeios a pé. Viaje aos USA! Venha conhecer o primeiro mundo, o mundo civilizado e de sucesso. USA: join us!

Por LANDIO PASSOS,15/06/2017

Anres de qualquer atitude, a Prefeitura e os orgãos competentes deveriam limpar a cidade que e muito suja; providenciar uma melhor segurança para a população e os turistas; ensinar aos comerciantes de uma maneira geral, atender as pessoas com mais educaçao e respeito;, arrumar uma solução para os mendigos e marginais e ploliferam o centro da cidade principalmente a noit; , arrumar uma solução para os vendedores ambulantes que ocupam as ruas e calçadas da cidade, etc.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM