Jornal do Commercio
Amor

Família vende canetas em Boa Viagem para custear tratamento de criança

Thiago Xavier foi diagnosticado com uma doença chamada Distrofia neuroaxonal infantil e por isso tem os movimentos cada vez mais comprometidos

Publicado em 17/06/2017, às 10h51

Para ajudar com os custos, Linda e Alan Xavier (juntamente com os filhos) vendem canetas na praia de Boa Viagem, em frente ao edifício Acaiaca, todos os fins de semana e feriados até às 13h. / Foto: Vanessa Cortez / TV Jornal
Para ajudar com os custos, Linda e Alan Xavier (juntamente com os filhos) vendem canetas na praia de Boa Viagem, em frente ao edifício Acaiaca, todos os fins de semana e feriados até às 13h.
Foto: Vanessa Cortez / TV Jornal
JC Online

Família é apoio, não importam as circunstâncias, e é por causa da sua que o menino Thiago Xavier, de apenas 4 anos, tenta sobreviver todos os dias. O garoto foi diagnosticado com uma doença chamada distrofia neuroaxonal infantil e por isso tem os movimentos cada vez mais comprometidos com o avanço da patologia.

Em busca de tratamento, os pais e irmãos do menino vieram com ele do Pará para o Recife há mais de um ano e começaram os cuidados no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, em Santo Amaro, na área central da capital pernambucana. Hoje, Thiago é atendido no Hospital Otávio de Freitas e na AACD. "Ele nasceu uma criança perfeita, mas aos 7 meses ele apresentou estrabismo. A partir de um ano, começou a cair muito e isso foi evoluindo até que começamos uma busca por respostas para isso. Mas, no Pará não souberam diagnosticar o que ele tinha e nos encaminharam aqui para o Recife, porque é uma cidade referência no diagnóstico de doenças neurológicas", explica Linda Xavier, mãe do garoto.

Para ajudar com os custos, Linda e Alan Xavier (juntamente com os filhos) vendem canetas na praia de Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, em frente ao Edifício Acaiaca, todos os fins de semana e feriados, até às 13h. A doença de Thiago é degenerativa e não tem cura. "Quanto mais o tempo passa, mais ele vai perdendo os movimentos. Antes, por exemplo, ele conseguia pegar nos óculos do rosto, mas hoje já não consegue mais", explica o pai.



A situação de Thiago poderia até desanimar toda a família, mas, de acordo com Linda, é justamente ele quem dá forças para eles continuarem na luta pela criança. "Cada dia que eu vejo o sorriso dele me dá força para continuar e também temos muita fé em em Deus de que Thiago vai ser curado. O que for possível fazer por ele, nós vamos fazer", comenta a mãe.

Para ajudar, além das canetas, a família também disponibiliza uma conta bancária. Os dados para quem quiser doar são:

Banco: Caixa Econômica Federal

Agência: 3261

Op: 013

Conta poupança: 00030636-3


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Jodeval Duarte,17/06/2017

É impossível não se sensibilizar com o drama desta família. Seu exemplo comove e nos leva a perguntar - e seria bom que alguém tivesse a resposta - como seria se Linda, Alan e Thiago vivessem em um país sério. Que impacto teria em toda a sociedade vê-los vendendo canetas para lutar pela vida do filho.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM