Jornal do Commercio
ZONA NORTE

Cortejo dos santos juninos une fé e tradição popular no Recife

Procissão pare reverenciar os três santos do mês saiu do Morro da Conceição em direção ao Sítio da Trindade

Publicado em 18/06/2017, às 22h13

Desfilaram 19 bandeiras elaboradas em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro vindas de diferentes municípios da Região Metropolitana do Recife / Fotos: Léo Motta/ JC Imagem
Desfilaram 19 bandeiras elaboradas em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro vindas de diferentes municípios da Região Metropolitana do Recife
Fotos: Léo Motta/ JC Imagem
JC Online

Nem a chuva forte tirou a beleza da 10ª Procissão dos Santos Juninos do Recife, que aconteceu ontem, no bairro de Casa Amarela, Zona Norte da cidade. Partindo do Morro da Conceição em direção ao Sítio Trindade, o cortejo uniu a devoção aos santos católicos à tradição dos folguedos populares nordestinos. Ao todo, desfilaram 19 bandeiras elaboradas em homenagem a Santo Antônio, São João e São Pedro vindas de diferentes municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR).

A concentração começou às 16h, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Lá, o padre José Ricardo realizou a sagração de todas as bandeiras e abeçoou o andor. A saída atrasou por causa da forte chuva que caiu no fim da tarde, mas pouco depois das 18h os fiéis seguiram pela Rua da Harmonia e Estrada do Arraial até chegar ao Sítio Trindade. O percurso foi feito em companhia de integrantes da Associação dos Bacamarteiros de Pernambuco.

“Sou fiel a Nossa Senhora da Conceição e essa festa é uma felicidade para mim. Depois que cheguei na terceira idade, quero é procurar motivo para festa, com todos os santos”, disse a aposentada Maria Luiza de Oliveira, 64 anos, que há três anos desce o Morro acompanhando a procissão de junho.



A maior parte do público é formada de idosos ou famílias que levam crianças para perpetuar a tradição, e acompanham todo o percurso. O farmacêutico Alexandre Luiz Costa, 51, mora em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, e há pelo menos oito anos leva o neto mais velho para seguir o trajeto e participar da festa. “É importante mostrar para ele a tradição junina, além de ser uma festa tranquila, que dá para aproveitar sem preocupação”, garantiu. Hoje, já são quatro netos que o acompanham até o Sítio Trindade.

RECEPÇÃO

No parque, a procissão foi recebida pela banda junina 19 de Fevereiro, que se juntou à banda Vereda Tropical, à Forrovioca e ao trio pé de serra Forró Luado. No Sítio Trindade, a programação misturou e diversificou o público. “Meu pai veio para a festa uma vez, gostou e recomendou. É um lugar animado e bem familiar, dá para passear com tranquilidade”, afirmou o mecânico William Costa, 19, que foi conferir a programação com a namorada, a estudante Luciana Lopes, 17.

Após a chegada da procissão, houve no Sítio Trindade a apresentação do espetáculo "Quero Ver Paia Vuá", com mais de cem artistas que contaram a história da tradição dos festejos aos santos do mês de junho.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM