Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Ainda não há prazo para conclusão de perícia em prédio que desabou em Garanhuns

Peritos estiveram no local nessa quarta-feira (12), mas devem voltar mais três vezes para concluir a inspeção e apontar as causas da queda

Publicado em 13/07/2017, às 08h54

Prédio que desabou estava localizado no bairro Aloísio Pinto / Foto: Eduardo Peixoto/Rádio Jornal Garanhuns
Prédio que desabou estava localizado no bairro Aloísio Pinto
Foto: Eduardo Peixoto/Rádio Jornal Garanhuns
JC Online
Com informações da Rádio Jornal

Ainda não há um prazo para que o resultado da perícia apontando a causa do desabamento de um prédio em Garanhuns, no Agreste do Estado, na segunda-feira (10), seja divulgado. A inspeção começou nessa quarta-feira (12) e os peritos devem voltar ao local mais três vezes. As datas das próximas visitas não foram informadas

Embora a perícia ainda esteja em fase inicial, o delegado Patrick Dias, responsável pela investigação, indica que a estrutura do edifício pode ter apresentado falhas. "Preliminarmente, o que se pode verificar é que a estrutura de concreto armado apresenta falhas de execução, especificamente quanto a emenda das colunas, que seriam curtas, mas isso é uma informações preliminar. Ainda vai haver um estudo técnico mais aprofundado", explicou.



Documentação da obra

A Prefeitura de Garanhuns havia informado que abriu um procedimento interno para levantar toda a documentação relativa à execução e regularidade da obra. A edificação (o bloco C de um conjunto residencial de três prédios na rua Desembargador João Paes) já havia sofrido desmoronamento parcial durante sua construção em 2008 e passou por vistoria há seis anos, quando o município determinou serviços de manutenção.

Mortos e feridos no desabamento

O servidor público municipal Antônio Arcoverde, de 32 anos, e Edvaldo Soares, 66, morreram soterrados. A mulher de Antônio, a bióloga Genicélia Cardoso, 26, e a filha do casal, de apenas 20 dias, foram retiradas dos escombros. A mulher com pequenos arranhões e a bebê, ilesa. Familiares disseram que o casal procurava um novo apartamento para se mudar, devido aos problemas estruturais do prédio. Já Edvaldo iria se mudar na terça-feira (12).


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM