Jornal do Commercio
ACIDENTE

Vítima de acidente no Espinheiro relata violência da colisão

O JC conversou com a esposa do pintor, que está internado no Hospital da Restauração (HR)

Publicado em 23/10/2017, às 20h14

O acidente aconteceu por volta das 12h15 desta segunda-feira / Foto: Divulgação/Samu
O acidente aconteceu por volta das 12h15 desta segunda-feira
Foto: Divulgação/Samu
Editoria de Cidades

O pintor Carlos Roberto da Silva, 65 anos, estava a caminho do trabalho, na Zona Oeste do Recife, quando o ônibus em que estava, da linha Rio Doce/ CDU, colidiu com uma árvore no bairro do Espinheiro, Zona Norte da capital. Internado no Hospital da Restauração (HR), na área Central da cidade, desde o início da tarde desta segunda-feira (23), a vítima relatou à família a violência da colisão.

“Meu marido estava em pé na parte da frente do ônibus, próximo à cobradora. Ele conta que foi tudo muito de repente e que acha que o motorista pode ter perdido o controle do veículo. Disse que foi arremessado como uma bola e que muitos de desesperaram depois da pancada. Alguns até desmaiaram de nervosismo”, contou Maria Luciene da Silva, 50, esposa do pintor, em entrevista ao JC.



Carlos passou por exames e, segundo a companheira, tem ferimentos na clavícula, costela e na perna. Outras três pessoas estão no HR, incluindo uma que teve a mão amputada após o acidente. Não há informações sobre sexo ou identificação da vítima.

ACIDENTE

O acidente aconteceu por volta das 12h15 desta segunda-feira. De acordo com o Samu, 26 pessoas ficaram feridas. Vinte e uma foram socorridas pelo próprio Samu, que deslocou 11 ambulâncias, quatro motolâncias e 35 profissionais para o local. Um vídeo registrou o momento da colisão. O caso será investigado pela Delegacia do Espinheiro.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Graça,24/10/2017

Tinha que ser um Rio doce- CDU!! Sempre cheio! Passagem caríssima pra ficar 2 horas em pé! As pessoas estão começando a se agrupar e pagar um UBER. Sai mais barato que a passagem, vai sentado e chega mais rápido. Sem falar nos assaltos!!! É uma vergonha! Ninguém faz nada! Daqui a pouco vem mais um aumento de passagem.

Por Luiz Félix de Freitas Silva,24/10/2017

Com certeza, mais um irresponsável motorista desses ônibus em alta velocidade. que ele pague caro por isso. Haja Revolta. Luiz Félix.

Por Monkey on the Bus,24/10/2017

Todo dia acidentes são "cantados" com esses ônibus lotados e motoristas dirigindo como uns loucos. Sabe qual é a coisa mais contraditória? No carro, que você está sentado e que tem uma maior proteção, você é obrigado a usar o cinto. No ônibus você vai em pé nessas carroças muitas vezes a uma velocidade de 60 km/h. Quando acontece alguma colisão dá nisso que vimos. A pergunta que fica é: Cadê o cinto de segurança ou pelo menos protocolos básicos de segurança para as "carroças motorizadas"? SEM NENHUM EXAGERO: ATÉ GADO É MAIS BEM TRANSPORTADO QUE AS PESSOAS NESSAS CARROÇAS. Ass. Monkey on the Bus: Um macaquinho pendurado nos ônibus do Recife.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM