Jornal do Commercio
Protesto

Perto de completar dois anos, família pede resposta sobre Caso Beatriz

Familiares e amigos da menina Beatriz Mota, morta em dezembro de 2015, realizam protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas nesta segunda (13)

Publicado em 13/11/2017, às 13h56

Lucia Mota, mãe de Beatriz, fez um discurso emocionado em frente ao Palácio  / Luisi Marques/JC Imagem
Lucia Mota, mãe de Beatriz, fez um discurso emocionado em frente ao Palácio
Luisi Marques/JC Imagem
Da Editoria de Cidades

Familiares e amigos da menina Beatriz Angélica Mota, 7 anos, assassinada em dezembro de 2015 dentro de uma escola em Petrolina, no Sertão do Estado, realizam um protesto nesta segunda-feira (13) em frente ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo do Estado. Os pais da menina, Lúcia Mota e Sandro Romilton, vieram até o Recife cobrar respostas da Polícia Civil e da delegada responsável pelo caso, Gleide Ângelo. O crime completa dois anos sem solução no próximo dia 10 de dezembro.

"Nosso objetivo hoje é reivindicar mais transparência nas investigações. É inadmissível a forma como a Polícia vem trabalhando no caso, sem nos dar uma resposta. Em agosto, nós pedimos para ter acesso ao inquérito e até agora não tivemos resposta. Todos os prazos que doutora Gleide acertou comigo, não cumpriu nenhum. Farei até greve de fome se necessário, mas hoje eu só saio daqui com uma resposta", afirmou a mãe da menina.



"Desde o início sempre pedimos a Polícia que nos deixassem a par do que estava acontecendo. Mas no caso de Lagoa Grande, a gente descobriu pela imprensa. Eu imagino que não querem liberar o inquérito para a gente porque há muitas falhas na investigação, no confronto de dados. Eu quero me digam o que falta, onde a gente pode colaborar", desabafou Sandro.

Coletiva

No início da tarde desta segunda, os pais da menina Beatriz foram recebidos por uma comissão de representantes do governo do Estado, formada pelo Chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, e o secretário-executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto. Às 16h, uma coletiva de imprensa deve ser realizada em frente ao Palácio do Campo das Princesas, onde a família da menina deve ser pronunciar sobre o encontro.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por EDWIN,13/11/2017

Total irresponsabilidade e omissão do estado.se fosse um familiar de uma autoridade policial já estaria resolvido o caso.a família devia procurar o Ministério Público.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM