Jornal do Commercio
Tecnologia

WhatsApp é novo aliado para combater assaltos a ônibus

Segundo a SDS, outubro teve 65 ocorrências, 39% a menos do que o mesmo mês em 2016

Publicado em 13/11/2017, às 18h54

Já são 1.274 assaltos contabilizados este ano pela SDS / Diego Nigro/JC Imagem
Já são 1.274 assaltos contabilizados este ano pela SDS
Diego Nigro/JC Imagem
Cidades

O WhatsApp é o mais novo aliado da população do Grande Recife no combate a assalto a ônibus. Quem tiver informações sobre ocorrências ou denúncia a respeito de criminosos, inclusive imagens, pode repassar em tempo real para a Polícia Civil pelo telefone (81) 99488-7091. Quando necessário, a Polícia Militar será deslocada de imediato para o local. A novidade foi apresentada ontem, em entrevista coletiva na Secretaria de Defesa Social (SDS), em Santo Amaro, área central do Recife.

“É uma forma de chegarmos mais rápido aos criminosos. O sigilo será garantido, mas em caso de trote teremos o número de quem ligou”, salienta o secretário-executivo da SDS, Humberto Freire. O recebimento e gestão das mensagens fica a cargo da Força-Tarefa Coletivos e o telefone não está disponível para ligações.

A medida é mais uma das inovações implementadas após reestruturação da FT Coletivos, por meio da Portaria nº 4383 de 17 de agosto. O novo formato é citado como principal fator para redução do número de assaltos a ônibus no Grande Recife, a partir de setembro. Segundo a SDS, o mês de outubro teve registro de 65 ocorrências, 39% a menos do que o mesmo mês em 2016, quando houve 107 casos. Em setembro, a queda foi de 43%, de 132 para 75. Em 2017, contudo, já se contabiliza 1.274 registros, quando o ano todo de 2016 teve 1.032.



“Estamos fazendo reuniões semanais, acompanhando tudo o que acontece, focando nos locais de maior ocorrência e os resultados são significativos, mas não há nada a se comemorar, há muito o que se fazer”, declara o secretário da SDS, Antônio de Pádua. Em outubro, foram 6.092 abordagens a ônibus e 54 mil a pessoas. Houve 272 prisões este ano.

DIVERGÊNCIA

Os dados da SDS continuam bem divergentes dos números do Sindicato dos Rodoviários, que contabiliza 3.376 ocorrências este ano, sendo 109 este mês, 281 em outubro e 372 em setembro. “Há uma queda tímida, mas ainda temos uma média muito alta (9,3 por dia)”, diz o presidente da entidade, Benílson Custódio. O sindicato diz que nem todas as ocorrências são registradas e a SDS, que a entidade pode contabilizar a mesma ocorrência mais de uma vez.

“De maneira alguma estamos nos sentindo mais seguros dentro dos ônibus. Minha mulher já foi assaltada, minha sogra, prima, tia... Cheguei ao absurdo de comprar dois celulares, um para o bandido”, desabafa o técnico em informática Henrique Brandão, 28 anos. “Eu ando assustada, não vejo fiscalização e não acredito em redução”, reforça a técnica em enfermagem Regiane Fernandes, 40.


Recomendados para você


Comentários

Por ADEMILSON JOSÉ GOMES,14/11/2017

Bem se o número que dizem ser para se comunicar com alguém da polícia, no meu ponto de vista a comunicação é monóloga. Adicionei o número e falei com o whatsapp pedindo para me confirmarem se o número tinha essa finalidade. Leram a pergunta e não responderam nada. SE O NÚMERO TINHA ESSA FINALIDADE NO MEU PONTO DE VISTA JÁ ESTÁ FUNCIONANDO MAL.

Por GABRIEL BARBOSA,14/11/2017

A obrigação de dar segurança aos seus clientes é das empresas de ônibus; os donos dessas empresas é que deveriam instalar câmeras em tempo real conectadas com uma central de monitoramento de cada empresa, e a partir daí as empresas acionarem a polícia.; quem utiliza os ônibus (carroças) andam de graça ou pagam? E as pessoas que não pagam, a empresa de ônibus fica sem receber ou recebe do governo? A obrigação de dar segurança aos seus clientes é das empresas de ônibus.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM