Jornal do Commercio
AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA

Justiça decreta prisão preventiva de motorista que matou duas mulheres em acidente na Tamarineira

Duas mulheres morreram e quatro pessoas, incluindo duas crianças, ficaram feridas após a colisão na noite desse domingo (26)

Publicado em 27/11/2017, às 12h00

João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, estava com 1,03 mg de álcool por litro de sangue / Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, estava com 1,03 mg de álcool por litro de sangue
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
JC Online
Atualizada às 16h35

Em audiência de custódia, realizada no fim da manhã desta segunda-feira (27), a Justiça decidiu pela decretação da prisão preventiva do estudante universitário João Victor Ribeiro de Oliveira Leal, de 25 anos, por duplo homicídio doloso e três lesões gravíssimas após o acidente provocado por ele no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, na noite desse domingo (26). o Advogado de João abandonou o caso devido à gravidade, e o jovem deve seguir ainda nesta tarde para o Centro de Triagem e Observação Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. Um dos filhos do casal, de apenas 3 anos, também não resistiu aos ferimentos e teve a morte confirmada nesta tarde.

De acordo com o assistente de acusação Carlos Queiroz, "acertadamente, o Ministério Público pediu a prisão preventiva e o juiz a decretou. Ele agora vai ser julgado dentro do devido processo legal, mas o fato é gravíssimo". Segundo Queiroz, o advogado que defendia o jovem abandonou o caso por conta da gravidade. "Na audiência, ele confessou o fato, e a partir de agora será custodiado no Cotel", confirmou.

Ainda conforme o assistente de acusação, João revelou fazer uso de Rivotril e ter ingerido bastante álcool, desde às 13h. O acusado, segundo Carlos, não se mostrou arrependido e não soube precisar de onde tinha saído e para onde estava indo.

A colisão ocorreu depois que João, que havia ingerido bebida alcoólica e conduzia um Ford Fusion, avançou o sinal vermelho em alta velocidade e atingiu um SUV Toyota RAV4, onde estavam cinco pessoas, no cruzamento da Avenida Rosa e Silva com a Rua Cônego Barata.



Duas mulheres morreram e quatro pessoas, incluindo duas crianças, ficaram feridas no acidente, que aconteceu por volta das 19h30.

João, que conduzia o Ford Fusion, teve ferimentos leves e foi levado para a UPA da Caxangá, na Zona Oeste do Recife, onde fez teste de alcoolemia, que apontou 1,03 mg de álcool por litro de sangue. Pela lei brasileira, o máximo permitido é de 0,05 mg de álcool por litro de sangue.

Estado de saúde

De acordo com informações de familiares, o pai das crianças está consciente, mas ainda não foi avisado sobre o acidente. Na colisão, a esposa dele Maria Emília Guimarães, de 39 anos e a babá que trabalhava com a família, Roseane Maria de Brito, de 23 anos, morreram.

Os filhos do casal, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, de 3 anos, e Marcela Guimarães Motta Silveira, de 5, tiveram traumatismo craniano e passaram por cirurgia; o mais novo não resistiu. No final dessa manhã, a menina foi transferida do Hospital da Restauração (HR), no bairro do Derby, para o Santa Joana, onde também está seu irmão.

Miguel Filho Motta Silveira, de 46 anos, teve quatro costelas quebradas e deslocamento de baço.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por mind ,30/11/2017

usuário de drogas não pode dirigir nenhum tipo de veiculo motorizado. todos deverão ter tutor que responderá por qualquer dano físico ou material caso seja pego dirigindo independente de envolvimento em acidentes. Em caso como esse esse rapaz deverá ficar internado em manicômio judicial pelo menos por 20 anos sem usar drogas prestando serviços no local e estudando sem direito a visita íntima. após esse periodo deverá ser mantido sob observação caso provoque mais algum delito retorna para o manicomio por mais 20 anos... e assim sucessivaamente.

Por Mark Twain,30/11/2017

Não seria bem “CULPA DA JUSTIÇA”, mas, sim, DA LEGISLAÇÃO. O Magistrado apenas aplica a lei ante uma interpretação prévia do fato ajustado à norma. Pois bem, por qual motivo a população, de uma maneira geral, sempre se coloca contra legisladores que tentam fazer votar leis mais duras nas Casas do Congresso?! Pra ser politicamente correto todo mundo aparece de bonzinho. Mas quando é pra assumir a postura e o desejo de se ter uma legislação coerente com a dura realidade na qual estamos inseridos, ninguém toma a dianteira. Muito ao contrário! Se cala e consente. Poder Legislativo: eis o endereço do queixume de quem imagina que um Magistrado faz as leis.

Por Mark Twain,30/11/2017

Interessante ressaltar aqui que, quando algum legislador, tipo um Bolsonaro da vida, tenta redigir leis mais duras em relação a todo e qualquer tipo de crime, inclusive leis severas para crimes de trânsito, sempre a população não presta o apoio devido, não ao parlamentar, per si, mas àquela legislação que poderia frear com mais eficiência a sanha violadora da norma penal. Surgem centenas de grupos dos chamados POLITICAMENTE CORRETOS, alienados, ignorantes e até mesmo gente esclarecida que atua na área do Direito Penal, tentando passar à população que aquele que violou a norma penal é um coitado, uma vítima social etc. Para se ter uma ideia de como essa coisa toda funciona nos bastidores das políticas de segurança pública no Brazil, tem professor(a) de Direito Penal, nas Universidades Federais e particulares, que se comporta em sala de aula da forma mais alienada possível, passando a imagem de um país que, definitivamente, não existe. Pregam que o agressor é um pobre coitado, uma vítima do sistema social burguês etc. ISSO MESMO! Quer um exemplo bem claro?! Vá à uma universidade federal, Curso de Direito, ou mesmo uma grande universidade particular aí do Recife/PE, para saber o que está sendo ensinado nas salas de aula da cadeira de Direito Penal. Você ficará horrorizado! Pensará que, tomando como exemplo esse sujeito que colidiu com um veículo e matou três pessoas, que o culpado por isso é você e não o próprio sujeito, pois você alimenta um sistema injusto, agride a possibilidade desse sujeito ser uma pessoa de bem e por aí vai. Isso é o que ensinado! Vi professoras e professores tentarem me ensinar, à época, que essa escória da sociedade só existe por conta do capitalismo, que tolhe a possibilidade de um sistema mais justo e, por via de consequência, acabaria fabricando esses agressores sociais, portanto, o grande culpado era eu, que não abria as portas de minha casa para maloqueiros, assassinos, vagabundos, alcoólatras, agressores sociais de todo tipo etc. Vejam só isso! SEM EXAGERO ALGUM ISSO TUDO QUE ESCREVO AQUI! Por isso que é muito difícil, no Brazil, redigir leis para serem votadas que reflitam, autenticamente, o sentimento e o desejo da maioria da população que anseia por justiça e reparação da parte de quem viola constantemente as leis penais. A alienação começa nas universidades, nos cursos de Direito, com as exceções de praxe. Tem professor de Direito Penal que viaja a países ditos socialistas e chegam à sala de aula, depois, dizendo que lá nesses países, que de socialistas não tem nada, encontra-se o "verdadeiro" paraíso bíblico. Esse alunado, quando escuta essas coisas, começa a criticar indistintamente o sistema, critica a ação mais enérgica da polícia, dos legisladores que desejam leis penais mais duras etc. Observando tudo isso de modo passivo está a população que, de resto, só se mexe ou lembra dessas coisas em momentos de comoção geral por conta de tragédias como a que ocorreu domingo passado aí no Recife/PE. Daqui a 10, 15, 20 anos, pode apostar nisso, tudo estará como antes. Eis um dos retratos de um povo fracassado, de uma nação fracassada em todos os sentidos.

Por fabio,29/11/2017

Esse assassino deliquente bateu num carro no autobar antes do acidente, e fugiu do local para não pagar a batida. Foi perseguido para que ela fosse paga, sem êxito e estava indo comprar cocaína. Duvida do que estou falando? colha os depoimentos dos amigos que estavam com ele.

Por RAFAEL ,27/11/2017

CONCORDO COM O ALEXANDRE, E COM O CASTRO AO MESMO TEMPO, INFELIZMENTE ELE VAI COLOCAR A CULPA NO VÍCIO DE DROGAS, MAS SE ENTRA NESSE VÍCIO PORQUE QUER, NINGUÉM BOTA MACONHA OU COCAÍNA A FORÇA EM NINGUÉM, ELE TEM QUE IR A JURI POPULAR, LÁ ELE SERÁ TRUCIDADO.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM