Jornal do Commercio
Acidente

Homem é atacado por tubarão em Piedade

A vítima estaria com a água na cintura quando foi atacada nas pernas

Publicado em 15/04/2018, às 15h41

Ataque aconteceu por volta das 15h deste domingo (15). / Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Ataque aconteceu por volta das 15h deste domingo (15).
Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
JC Online

Um homem foi atacado por um tubarão na tarde deste domingo (15), enquanto tomava banho de mar na Praia de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. O caso aconteceu em um dos pontos mais comuns de ataques na região: na altura da Igrejinha de Piedade.

O Corpo de Bombeiros foi acionado às 14h40 por banhistas e socorreu a vítima de helicóptero. Pablo Diego Inácio de Melo, de 30 anos, do Rio Grande do Norte, foi encaminhado diretamente ao bloco cirúrgico do Hospital da Restauração, no bairro do Derby, área central do Recife. 

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), Pablo Diego Inácio de Melo, de 34 anos, teve lesões graves nos dois braços e a perna direita amputada. Ele foi operado pela equipe de traumatologia e cirurgia vascular e seguiu para a unidade de terapia intensiva (UTI) do HR. O procedimento durou aproximadamente quatro horas.

Devido ao grau dos ferimentos, a perna direita foi amputada. Ele respira com a ajuda de aparelhos e faz uso de drogas vasoativas para manter a pressão arterial.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

O ataque

Outro banhista que estava no local filmou a ação. Ele contou que a maré estava cheia e que tentou avisar à vitima quando viu a barbatana do tubarão, mas não deu tempo de evitar o ataque. Já na areia da praia, sendo atendido pelo Corpo de Bombeiros, Pablo aparece com graves ferimentos nas duas pernas e na mão direita, muito ensanguentado e com respiração ofegante. 

"Começaram a gritar: 'Tubarão, tubarão!'"

A comerciante Maria Lourenço, de 57 anos, presenciou o momento do ataque e chegou a confundir a situação com o movimento que o esgoto faz na água do mar em dias de chuva. A comerciante, que trabalha no local há 25 anos, já testemunhou outros ataques: "É muito feio quando a gente vê... muito triste".



Maria conta que estava atendendo a vítima e alguns amigos na tarde deste domingo (15). "Ele estava com uma vodka e um enérgetico quando me perdiu um refrigente, mas era o único que não estavam bebendo", relata. Tempos depois, todos decidiram entrar na água. "Eu tenho certeza que foi um filhote de tubarão. Se fosse adulto, teria 'torado' a perna dele", afirma.

"Quando fui atender outros clientes, começaram a gritar: 'Tubarão, tubarão!' e eu logo disse que não, que devia ser o esgoto passando. Quando olhei, os amigos já estavam passando com ele todo ensanguentado na areia. Os bombeiros ajudaram a subir com ele para prestar os primeiros socorros", detalha.

Ao relembrar os outros casos que ocorreram no mesmo local, Maria recorda também que todos têm um aspecto em comum: o mar cheio. "Quando o mar tá enchendo, não adianta entrar. Só quando está secando que se pode tomar banho sozinho", conclui.

Estatísticas

O potiguar Pablo Diego Inácio de Melo, de 30 anos, é a 64ª vítima de ataque de tubarão nas praias de Pernambuco. Ele teve ferimentos nos membros superiores e no inferior direito, justamente no dia da semana em que mais incidentes deste tipo acontecem, segundo o levantamento do Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões, atualizado em 27 de fevereiro de 2018.

Por localidade, o último caso foi exatamente na área onde ocorre mais ataques de tubarão: a altura da igrejinha de Piedade soma 11 vítimas. O segundo lugar, com sete ataques, é Acaiaca, em Boa Viagem, e em terceiro, com seis, são locais sem registro. Jaboatão é também o segundo município pernambucano onde os registros são mais elevados, totalizando 22 casos. Recife fica em primeiro, com 27, e o Cabo de Santo Agostinho em terceiro, com seis.

A última vítima registrada faz parte também da maioria das pessoas que se banhavam no momento do incidente, totalizando 29. Outras 11 eram surfistas. Os últimos três casos aconteceram em Fernando de Noronha. A última vítima fatal foi atacada em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, em 2013. Bruna Silva Gobbi, de 18 anos, sofreu graves ferimentos na panturrilha e coxa esquerda e não resistiu.


Recomendados para você


Comentários

Por Nicanor,16/04/2018

Os tubarões estão em seu habitat. Alguém sugere matança, o que demonstra ser infinita a estupidez do ser “humano”.

Por André,15/04/2018

Gostaria de saber qual a impossibilidade de se fazer uma caça controlada, já que essa área parece tomada por tubarões. Esse comitê faz o q afinal?

Por Paulo,15/04/2018

Não devemos ignorar a sinalização, os avisos e os inúmeros ataques de tubarões já ocorridos. Prudente é não arriscar entrar no mar nestas áreas da praia.

Por Lukas George,15/04/2018

Sempre fui frequentador de Piedade, mas desde criança escutava meu pai falar do padre comido por "peixe" em piedade e do suposto cheiro de melancia que anunciava a presença de tubarão. Tubarão nessa localidade não é novidade, existe ataque lá desde sempre!

Por AMAURY AYRES,15/04/2018

Nascí praticamente na praia de Piedade, a 64 anos, essa localização, próxima a igreja, é por demais conhecida, como de preferência para tubarões atacarem , devido a água turva, pois o tubarão por ser um animal arisco, ele evita fazer ataque em águas claras, essa igreja já comportou um convento capucchino na minha infância , e vários frades(noviços) capucchinos morreram por ataque de tubarões. Há bastante sinalização alertando não se tomar banho, por conta da presença de tubarões, atraídos por um declive submerso, que torna a água mais escura, como tambem uma corrente marinha que passa lateralmente, arrastando as pessoas



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM