Jornal do Commercio
Carnaval de Olinda

Chuva não desanima foliões de Olinda na segunda de Carnaval

Desfiles de blocos tradicionais marcam a manhã do penúltimo dia de folia

Publicado em 12/02/2018, às 11h24

Desfile do Eu Acho é Pouquinho não sofreu com a chuva / Foto: Bobby Fabisack/JC Imagem
Desfile do Eu Acho é Pouquinho não sofreu com a chuva
Foto: Bobby Fabisack/JC Imagem
JC Online

Quem foi se divertir em Olinda nesta segunda-feira (12) de Carnaval não se desanimou com as chuvas que caíram nas ladeiras da cidade histórica. O penúltimo dia da Festa do Momo na Marim dos Caetés é marcado pelo desfile de blocos e agremiações tradicionais, que neste ano não foi diferente. O 'Eu Acho é Pouquinho', versão infantil do 'Eu Acho é Pouco', provou que a folia é para todos os públicos. Já a troça 'Pitombeira dos Quatros Cantos' garantiu a festa de milhares de adultos.

O Eu Acho é Pouquinho não decepcionou em garantir a festa para a criançada. Com saída marcada para as 9h, na sua sede, na Rua São Bento, a versão mirim do bloco vermelho e amarelo atrasou meia hora para deixar a chuva passar. Como o tempo não abriu, a agremiação seguiu com os pais transformando guarda-sóis em guarda-chuvas.

O bloco, que tem a versão para os mini-foliões desde 1982, seguiu em trajeto, da Sede, para a Praça do Carmo, no bairro homônimo. É o momento em que as famílias iniciam as crianças à Festa do Momo. Uma delas é Gabrielle Takahashi, que leva seu filho todos os anos para se divertir.



Na família, a tradição em seguir o bloco é tão importante, que o avô decidiu fazer uma homenagem, refazendo uma fantasia usada logo nos primeiros anos de criação da agremiação. “A fantasia dele este ano o pai usou há 28 anos atrás. O avô refez para o neto usar”, contou Gabrielle.

Pitombeira dos Quatro Cantos

Já a Pitombeira dos Quatro Cantos fez a folia do público adulto. Também debaixo de chuva, a troça, existe desde 1957, garantiu a folia de quem decidiu seguir uma das marcas históricas do Carnaval olindense. O trajeto seguiu da sede da agremiação, na Rua 27 de Janeiro, para o Amparo.

Veja as imagens


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas


Recomendados para você


Comentários

Por eduardo,12/02/2018

OLINDA ATRÁS DOS BLOCOS SÓ TÊM LADRÕES, ACABEI DE CHEGAR DESSE LUGAR SEBOSO, SÓ ASSISTIR EM MENOS DE 30 MINUTOS TRÊS ASSALTOS, QUEM NÃO QUISER SER ROUBADO, NÃO SE DIRIJA A OLINDA....INFELIZMENTE É A REALIDADE.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM