Jornal do Commercio
Aplicativo

Uber completa 1 ano de funcionamento no Recife em meio a polêmicas

O serviço começou a funcionar às 14h do dia 3 de março de 2016 no Recife

Publicado em 03/03/2017, às 10h25

Ao longo deste um ano, vários protestos foram realizados por taxistas contra o funcionamento do Uber na cidade / Foto: Arnaldo de Carvalho/JC Imagem
Ao longo deste um ano, vários protestos foram realizados por taxistas contra o funcionamento do Uber na cidade
Foto: Arnaldo de Carvalho/JC Imagem
JC Online

No dia 3 de março de 2016, o Jornal do Commercio produziu uma matéria testando um serviço de transporte individual de passageiros que havia acabado de aportar no Recife: o Uber. Ao longo deste ano, o aplicativo deu o que falar. Inicialmente, causou muito frisson entre os usuários, devido à qualidade do serviço e aos baixos preços que eram cobrados nas corridas. A resposta da concorrência foi imediata: ainda em março, os taxistas realizaram o primeiro de uma série de protestos. 

A discussão sobre a legalidade e regulamentação do Uber no Recife foi um tema recorrente. Inclusive, por medo das fiscalizações realizadas pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), os motoristas passaram a pedir para que os usuários sentassem no banco da frente, evitando assim que eles fossem identificados como "parceiros do Uber", como são chamadas as pessoas que trabalham na empresa. 

Aos poucos, os motoristas começaram a conseguir liminares que impediam que eles tivessem o carro apreendido e fossem multados. Até que uma liminar concedida pelo juiz Haroldo Carneiro Leão, da 7ª Vara da Fazenda Pública da Capital, garantiu aos motoristas o direito de trabalhar no serviço, proibindo a prefeitura do Recife autuá-los. Em Olinda e Jaboatão dos Guararapes, o Ministério Público Federal (MPF) enviou um pedido para que as prefeituras não aplicassem leis que proíbam o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos. 

Neste ano foram feitas mudanças no aplicativo. Para citar exemplos, os usuários tiveram a possibilidade de pagar suas corridas em dinheiro e foi retirado o multiplicador do preço dinâmico das corridas. Este foi um dos motivos para os usuários alegarem a queda na qualidade dos serviços do Uber, além do aumento da frequência em que o preço dinâmico estava sendo cobrado e da diminuição de regalias oferecidas aos passageiros, como água e balas.

Entenda as principais polêmicas que envolveram o Uber no Recife:

Protestos

No Grande Recife, tanto os taxistas quanto os próprios motoristas do Uber realizaram protestos. Os taxistas, contrários ao serviço, fizeram oito atos no último ano. Já os motoristas de Uber organizaram apenas um. Confira onde e como aconteceram as manifestações:

Queda no serviço

Para testar o Uber, o Jornal do Commercio fez duas viagens, no primeiro dia de funcionamento do aplicativo no Recife. No vídeo, a repórter Emídia Felipe conversa com o motorista, que oferece água, bala e até uma toalha para ela se enxugar (a reportagem foi feita em um dia de chuva). Se os diferenciais do Uber sempre foram os baixos valores das corridas e algumas regalias, os usuários relatam que houve uma queda na qualidade do serviço. 

Em janeiro, o JC Trânsito fez uma matéria que mostra passageiros insatisfeitos com o aumento na frequência da tarifa dinâmica do aplicativo. Outra reclamação é com o estado de conservação dos veículos e o tratamento dos motoristas, como relata a aposentada Josefa Cavalcante. "Eu estava indo a um casamento e o veículo estava com um forte cheiro de cigarro. O carro era desconfortável e velho. Nos últimos tempos tem aparecido muitos veículos aquém do padrão que o Uber costuma oferecer", relata.

Sobre o assunto, a assessoria de comunicação do Uber comentou que apenas os motoristas com médias acima de 4,6 (em uma escala de 1 a 5 estrelas) permanecem no sistema. Assim como o condutor, o passageiro também pode ser excluído da plataforma se tiver uma nota baixa de avaliações ou conduta que viole os termos de uso.

Justiça

Em fevereiro, o Ministério Público Federal (MPF) enviou às prefeituras de Olinda e de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), um pedido para que os órgãos não apliquem leis que proíbam o "uso de carros particulares cadastrados em aplicativos (carona solidária ou remunerada) no âmbito do município", resguardando, assim, o funcionamento do Uber nestas cidades. O documento foi assinado pelo procurador da república Alfredo Carlos Gonzaga Falcão Júnior.

No Recife, em outubro do ano passado, uma liminar concedida pelo juiz Haroldo Carneiro Leão, da 7ª Vara da Fazenda Pública da Capital, garantiu aos motoristas do Uber o direito de trabalhar no serviço, proibindo a prefeitura autuá-los. O magistrado ainda estipulou uma multa diária de R$ 5 mil em caso de restrição de atividade e de R$ 1 mil para cada veículo que venha a ser recolhido pelo executivo municipal. 

Ainda em outubro, a 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) indeferiu o recurso impetrado pelo município do Recife para suspender a liminar que permite o funcionamento do Uber. O relator do recurso, o desembargador Anterno Cardoso, comentou na decisão que não notava "prejuízo à ordem pública", em relação às razões elencadas pela prefeitura no recurso.

Falta de novidades

Ao completar um ano, o Uber não tem previsão de novidades para Recife, como a implantação dos formatos UberBLACK, a famosa versão dos grandes carros pretos; o UberPOOL e o UberEATS. Estima-se que essa não ampliação dos serviços se dê por razões estratégicas e análise de mercado. 

Vovó da Uber

A história da aposentada Edna Albuquerque, de 62 anos, viralizou em janeiro deste ano. Ela resolveu completar a renda da casa virando motorista do Uber. Pela sua simpatia, Edna recebeu o apelido de "Vovó do Uber". A história dela ficou famosa após relato de outro motorista do aplicativo, Cândido Junior, no Facebook. "Essa senhora encosta o carro perto de mim perguntando se eu sabia onde era o píer em Olinda... prontamente expliquei, quando do nada ela diz: 'sou Uber, estou indo buscar uma cliente lá. Independente da idade, quanto queremos algum objetivo temos que ir atrás... Parabéns vovó", afirmou. 

Em janeiro deste ano, a Vovó da Uber foi assaltada, enquanto trafegava com uma passageira na Avenida Presidente Dutra, em Jaboatão dos Guararapes. Os bandidos, armados, levaram o veículo e os pertences das duas. Comovido com a história, o dono de um lava jato na Zona Norte do Recife ofereceu um trato geral no carro dela, deixando o veículo pronto para que ela retornasse ao trabalho. 

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Romero,13/03/2017

A regularização deveria existir já! Com isto, podemos escolher e avaliar os prestadores de serviço, bem como optar se queremos ou não "viajar" com aquele que aceitou nossa chamada, observando suas avaliações. Uso 99, uber e easy taxi em Recife, sempre avaliando os preços e descontos. No Rio de janeiro, uso cabify, Uberpool, UberBlack, 99pop e easygo. Taxi, sem ser por aplicativo, é MUITO raro (infelizmente, só em aeroporto), simplesmente pelo fato de não poder avaliar o serviço, ou minha avaliação não servir de nada, quando ligo para cooperativa e reclamo. A qualidade dos carros e da atenção dos motoristas da Cabify, é indiscutível. Bem, concorrência é sempre mais interessante para o consumidor! Para aqueles que DECIDEM e tiverem oportunidade de usar esses serviços que mencionei (que uso no RJ), deem oportunidade que as pessoas usem aqui no Recife, sem se "esconderem", que escolham a qualidade do serviço de transporte que querem para seus filhos, pais, esposa... um só ator legalizado por décadas é terrível.

Por nobre,04/03/2017

A questão é o preço, a diferença em relação aos táxis chega a 40%! Isso por si só já faz da Uber um sucesso.

Por Antonio,04/03/2017

Também sou motorista e usuário do Uber, onde acho muito válido a concorrência. MInha mãe e minha irmã já forma maltratadas por motoristas de táxi, um por ter feito um trajeto curto e outro porque a rua estava com poça de lama. Na época eu pensei seria bom se tivesse um concorrente para melhorar o serviço do taxi, pois muitos taxistas não sabe tratar um passageiro, na Uber se o motorista tratar mal, o carro não tiver de acordo com as exigências ou acontecer algo que venha prejudicar o usuário ele é mal avaliado podendo ser excluído.

Por Mauro Ribeiro,04/03/2017

Mais um SN ( SEM NOÇÃO ), acorda garoto, vc acha que mora aonde !!! Vale melhor a economia de dez conto de reis para ir a balada e assim gastar o troco da corrida em uma dose a mais de bebida. Cai na real.

Por JF,03/03/2017

Parabéns ao UBER, ainda não peguei nenhum que deixasse o atendimento a desejar, UBER neles!!!!!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM