Jornal do Commercio
Mudança

Seis linhas de ônibus passam a rodar sem cobrador neste domingo

Por causa da mudança, as linhas só aceitarão pagamento através do VEM trabalhador, estudante, livre acesso e comum

Publicado em 09/03/2017, às 11h48

Por causa da mudança, as linhas só aceitarão pagamento através do VEM trabalhador, estudante, livre acesso e comum / Sérgio Bernardo/JC Imagem
Por causa da mudança, as linhas só aceitarão pagamento através do VEM trabalhador, estudante, livre acesso e comum
Sérgio Bernardo/JC Imagem
JC Online

No dia 1º de março deste ano, duas linhas opcionais deixaram de circular com cobradores na Região Metropolitana do Recife (RMR). A partir deste domingo (12), mais seis linhas não contarão mais com os profissionais e aceitarão o pagamento das passagem exclusivamente através do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM), nas modalidades trabalhador, estudante, livre acesso e comum. São elas: 204 - Loteamento Jiquiá/TI Santa Luzia, 222 - Jardim Uchôa, 242 - Pacheco (Floresta), 412 - San Martin (Largo da Paz), 424 - CDU/Torrões (San Martin) e 812 – Sítio Novo (Av. Norte). 

De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transporte, a retirada dos cobradores se dá devido à baixa demanda de usuários. Juntas, as linhas transportam 8.274 passageiros por dia. Em debate ocorrido na última segunda-feira (6), na Rádio Jornal, o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Público de Passageiros (Urbana-PE), Fernando Bandeira, declarou que a retirada do dinheiro nas linhas de baixa demanda também é uma das medidas na prevenção dos constantes assaltos. 

"Estamos trabalhando para que a bilhetagem eletrônica funcione de uma maneira que a gente retire o dinheiro a bordo dos ônibus. Nas linhas de baixa demanda, estamos promovendo os cobradores", relatou o presidente. Questionado sobre o alvo dos assaltos, Bandeira comentou que a renda dos coletivos também é levada com frequência. "Eles (os assaltantes) vão para o dinheiro do cobrador. Há alguns casos que eles assaltam também nosso cliente. Por isto estamos colocando câmeras, botão do pânico... são formas que estamos encontrando para proteger nossos passageiros", acrescentou.

Reforçando o que foi dito por Bandeira, o Grande Recife Consórcio de Transporte afirma que todos os cobradores, das empresas Metropolitana e Caxangá, serão capacitados e remanejados para outras funções. A empresa lembra que os passageiros estão sendo avisados da mudança através de cartazes afixados nos coletivos. Os cartões VEM podem ser adquiridos nas próprias linhas que ficarão sem cobradores ou no Posto de Atendimento do VEM, que fica na Rua da Soleddade, no bairro da Boa Vista, área Central do Recife.

Linhas opcionais

No dia 1º de março, as linhas são 042 Aeroporto (Opcional) e 053 - Shopping RioMar (Opcional) passaram a rodar sem cobradores. Nestas linhas, o pagamento da passagem só poderá ser feito com os cartões VEM trabalhador e comum. A justificativa do Grande Recife da retirada dos cobradores foi a mesma: baixa demanda.

Juntas, as duas transportam 3.600 passageiros diariamente, sendo 3 mil na Aeroporto (Opcional) e 600 na Shopping RioMar (Opcional). Destes usuários, 1.600 ainda faziam o pagamento em dinheiro, anteriormente à mudança. Segundo o Grande Recife, a linha 042 roda com 10 veículos, enquanto o 053, com dois. Ainda de acordo com o órgão, os 24 profissionais que trabalhavam nas duas linhas como cobradores foram remanejados para outras linhas ou outras funções.

Medida de segurança

Em julho do ano passado, a linha 901 - TI Abreu e Lima/TI Macaxeira começou a rodar sem cobradores, afetando cerca de 6 mil usuários. Na época, o Grande Recife Consórcio de Transporte argumentou que o objetivo da retirada dos cobradores e o pagamento exclusivo pelo VEM tinha como objetivo avaliar se a redução de circulação de dinheiro nos coletivos acarretaria a diminuição do número de assaltos. 

Além dela, a linha 2490 - TI Camaragibe/TI Macaxeira já roda sem cobradores desde 2015; as 060 - TI Tancredo Neves/TI Macaxeira e 2040 - CDU/Boa Viagem/Caxangá, desde 2016 e a 139 - TI Cabo/TI Cajueiro Seco passou a rodar sem os profissionais no início de 2017.

Recomendados para você


Comentários

Por DÉBORA MENDES,10/03/2017

Ou seja, apenas os passageiros é que serão vítimas de assaltos e os donos das empresas continuarão rindo da cara das pessoas que andam de ônibus.

Por Gustavo,10/03/2017

A linha 060 estava operando provisoriamente com tais veículo. A partir de 05 de fevereiro do 2017 foram criadas 02 novas linhas de BRT para atender os usuários do Engenho do Meio, Detran, Brasilit, Roda de Fogo entre outras comunidades. Para isso foi necessário ampliar a frota de veículos BRT e consequentemente a linha 060 voltou a operar com veículos convencionais". Resposta da Ouvidoria do Grande Recife

Por Vitor,09/03/2017

A linha 060 TI Tancredo/ TI Macaxeira voltou a ter cobradores em todos os ônibus das linhas. Não há mais os BRT.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM