Jornal do Commercio
Manifestação

Em protesto, rodoviários estacionam ônibus em ruas do Centro do Recife

A categoria prometeu paralisar as atividades por uma hora em protesto contra a retirada dos cobradores

Publicado em 20/04/2017, às 11h50

A manifestação é contrária à retirada dos cobradores de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR) / Foto: Monitoramento/CTTU
A manifestação é contrária à retirada dos cobradores de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR)
Foto: Monitoramento/CTTU
JC Online

O Sindicato dos Rodoviários de Pernambuco realizou um protesto, na manhã desta quinta-feira (20), na Avenida Guararapes e na Ponte Duarte Coelho, no bairro da Boa Vista, na área Central do Recife. A manifestação teve início por volta das 11h30. A categoria estacionou os ônibus na via, mas liberaram o tráfego às 12h20. A manifestação é contrária à retirada dos cobradores de ônibus da Região Metropolitana do Recife (RMR).

Na noite dessa quarta-feira (19), o Sindicato dos Rodoviários publicou, em sua página do Facebook, uma nota falando sobre o assunto. Confira a íntegra: 

O Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana, vem, por meio desta nota, repudiar veementemente as declarações recentes do Promotor de Justiça de Transportes do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Humberto Graça, a respeito das demissões de cobradores do sistema de transporte da Região Metropolitana.

Em primeiro lugar, cumpre esclarecer que diferentemente do que foi falado pelo promotor, ainda não existe avanço tecnológico e estrutural que permita a bilhetagem antecipada para a utilização de ônibus, o que, consequentemente, ainda torna necessária a função do cobrador. Exemplo disso é a dificuldade encontrada pela população tanto para adquirir quanto para depositar créditos nos cartões “VEM”.

Além disso, o cobrador também é necessário no auxílio dos motoristas no objetivo de evitar acidentes na entrada e principalmente saída de passageiros, no auxílio para realização de manobras cotidianas, auxílio aos usuários do sistema de transporte público, entre outras situações do dia-dia.



Outro ponto é que tendo em vista a situação atual do país com aumento do desemprego, defender a demissão de trabalhadores é uma atitude extremamente reprovável e que demonstra a insensibilidade de quem deveria ser fiscalizador do cumprimento das leis, principalmente no que se refere ao argumento de que ele impede o “avanço tecnológico”.

Ora, deve ser ressaltado que tal justificativa vai de encontro ao estipulado em nossa Constituição Federal, que já é alvo de tantas violações cotidianas daqueles que não possuem como missão institucional de defendê-la, uma vez que lá é estabelecida à proteção do trabalhador em face da automação, que, entre outros pontos, visa à proteção do mercado de trabalho e da classe trabalhadora em razão do crescente uso de tecnologias.

Também é importante destacar que a justificativa inicial utilizada pelas empresas de ônibus de que a ausência dos cobradores traria como consequência a diminuição de assaltos aos coletivos, não possui qualquer embasamento, pelo contrário, o índice de assaltos a ônibus é cada vez maior, tendo em vista, inclusive, que sem a presença de outro trabalhador a auxiliar o motorista toda coletividade transportada fica ainda mais vulnerável.

A luta do Sindicato é que para além de demissões sem justificativa, o Ministério Público, Urbana-PE, empresas de ônibus, entre outros setores, busquem cada vez mais assegurar a segurança tanto dos rodoviários como dos passageiros. Ademais, importa destacar que mesmo estando sempre disposto a discutir e propor encaminhamentos para a solução dos problemas referentes ao transporte público de passageiros, este sindicato profissional sequer foi convidado a estar presente na reunião onde foram proferidas as declarações aqui refutadas, apesar da presença do sindicato patronal, Grande Recife Consórcio de Transporte, Governo do Estado, entre outras entidades. É fundamental que a classe profissional esteja sempre representada em qualquer espaço de discussão institucional que conte com a presença do patronato tendo em vista os princípios democráticos basilares esculpidos em nossa Carta Magna.

Por fim cumpre ressaltar que é cada vez maior o número de rodoviários expostos a situações de precariedade e insegurança, causando, além do risco à integridade física, problemas de saúde como a depressão, ansiedade, síndrome do pânico, etc. Dessa forma, ressaltamos que o Sindicato estará sempre disposto a dialogar e a propor medidas reais que visem tanto a segurança quanto a qualidade do transporte público e continuaremos cobrando ao Ministério Público de Pernambuco, através de sua Promotoria de Justiça de Transportes, o cumprimento de sua missão constitucional de prezar por uma prestação de serviço público de transporte de qualidade e cidadão, sem comprometer o emprego de milhares de trabalhadores.

Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana, 19 de abril de 2017
 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM