Jornal do Commercio
Maio Amarelo

Uso do celular ao volante aumenta em quatro vezes os riscos de acidente no trânsito

Segundo o Detran-PE, só neste ano foram registradas 4.004 infrações pelo uso indevido do celular no trânsito

Publicado em 19/05/2017, às 13h30

O uso do celular ao volante potencializa os acidentes no trânsito / Foto: Mariana Campello/Acervo JC Trânsito
O uso do celular ao volante potencializa os acidentes no trânsito
Foto: Mariana Campello/Acervo JC Trânsito
Bruno Vinícius

Com a popularização do uso dos aparelhos smartphones em todo o mundo, uma coisa que está se tornando bem comum no trânsito é avistar muitos motoristas utilizando-os enquanto dirige. Apenas em 2016, o Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) registrou 46.376 multas do tipo. Mas, além de ser uma infração, o uso pode acarretar riscos. Com o tema #MinhaEscolhaFazADiferença, o Maio Amarelo 2017 busca justamente alertar, entre outros cuidados, sobre os perigos de manusear os aparelhos ao volante.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) proíbe a utilização de celular ou fone de ouvido no trânsito. O parágrafo único do artigo 252 considera multa gravíssima para a utilização de celular no trânsito, sendo no valor de R$ 293,47. A punição é de 7 pontos na carteira. A proibição do uso de fones de ouvido está no artigo VI, que considera como média a multa para o motorista, no valor de R$ 130,16 e 4 pontos na carteira. 

A estudante Juliana Aguiar, 21 anos, sempre teve o costume de utilizar seu celular enquanto dirigia, mas de uns tempos para cá, tem tentado reduzir ao máximo. Isto porque ela percebeu que suas ações estavam ligadas a um vício de estar sempre conectada. "Acho que para além do vício, o uso está relacionado ao imediatismo que vivemos atualmente, criamos urgências falsas, muitas vezes por medo de esquecimento que fazem a gente colocar a segurança em segundo plano", afirmou a estudante. A motivação para a mudança de hábito veio a partir do momento em que Juliana começou a se estressar e a ficar insegura na direção. "Hoje tenho escutado só as musicas que baixei e pus no pendrive, isso já reduz muito o uso dos aplicativos de música".

O gerente da Escola de Trânsito do Detran-PE Ivson Correia afirma que a prática automaticamente gera uma distração no motorista. “Há três tipos de distração: a física, quando o motorista tira a mão do volante; a visual; que é desviar a atenção para o aparelho e cognitiva, porque ele vai estar desempenhando duas funções ao mesmo tempo”, declarou o instrutor. Mesmo assim, esta é a oitava maior infração registrada em Pernambuco. Ainda de acordo com Ivson, muitas pessoas acham correto utilizar o celular no modo do bluetooth, mas que mesmo usando nesse modo, o condutor acaba se distraindo.



Ele comenta que usar o celular ao volante potencializa em quatro vezes o risco de acidentes no trânsito. Engavetamento e atropelamento de pedestres são das principais consequências desse uso. "Muitos atropelamentos acontecem, porque os motoristas estão distraídos utilizando o aparelho de celular e acabam não percebendo a passagem de pedestres na via". A única situação em que o motorista pode utilizar o celular é o GPS. A correria do dia a dia e a pressa para a atender o telefone podem ser contornadas por algumas ações que, segundo Ivson, são essenciais para salvar vidas no trânsito. "Se não puder rejeitar a ligação, o motorista pode estacionar em algum lugar permitido e atender. É melhor reservar cinco minutos para isso do que arriscar a sua vida e a de outras pessoas no trânsito", afirmou.

Uma das opções para facilitar o cotidiano de motoristas é baixar aplicativos disponibilizados nas plataformas digitais. Eles têm a função de bloquear as chamadas e avisar que o motorista está dirigindo e que ele atenderá depois. Um desses exemplos é o aplicativo Mãos no Volante, desenvolvido pelo Ministério das Cidades. Nele, o motorista sinaliza em quanto tempo chegará ao seu destino e ele bloqueia as chamadas durante aquele tempo estimado.

Motocicletas

Ivson explica que os principais acidentes de trânsito envolvem motocicletas. Além disso, o uso do celular por baixo do capacete tem sido constante entre os motociclistas, gerando desatenção. Isso também dificulta a fiscalização com as motocicletas, já que muitos deles utilizam escondido.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM