Jornal do Commercio
Protesto

Motoristas do transporte complementar fazem paralisação nesta segunda

Categoria reivindica falta de pagamento de salários há mais de um mês

Publicado em 16/07/2017, às 20h58

Transporte Complementar não funcionará nesta segunda (16) / Foto: Larissa Alves/Acervo JC
Transporte Complementar não funcionará nesta segunda (16)
Foto: Larissa Alves/Acervo JC
JC Online

Sessenta micro-ônibus distribuídos em 18 linhas na Região Metropolitana do Recife não irão às ruas a partir da 0h desta segunda (17) em decorrência de uma paralisação de funcionários do transporte complementar, que reivindicam a falta de pagamento de salários.

Mais de 150 motoristas e abridores de porta ficarão na garagem, na Avenida Afonso Olindense, na Várzea, a partir das 5h em um ato de protesto. “Vamos ficar concentrados lá, aguardando alguma atitude do governo para a gente receber os salários dos funcionários”, afirma Manuel Dias, presidente do Sindicato dos Permissionários do Transporte Complementar do Estado de Pernambuco (Sintetracope).

Atraso no repasse

De acordo com ele, o Grande Recife Consórcio de Transportes não está fazendo o repasse do dinheiro, sob a responsabilidade do governo estadual, para o pagamento dos funcionários do transporte complementar, responsável por levar passageiros, gratuitamente, a comunidades de difícil acesso até os terminais integrados.



“Nós recebemos por quinzena. Faz um mês e 15 dias que não recebemos salário. Três quinzenas de aproximadamente R$ 1.000.950,00 reais”, afirma Manuel.

Entre os locais em que o transporte complementar atende, estão Sítio dos Macacos, Alto do Deodato, Alto da Telha, Alto da Bondade e UR-07.

Procurada pela reportagem neste domingo (16) à noite, a assessoria do Grande Recife Consórcio de Transporte não foi encontrada.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM