Jornal do Commercio
Mobilidade

Metroviários decidem fazer greve por 48h no Grande Recife

Os trabalhadores cobram mais segurança e criticam falta de investimento no Metrô do Recife e a política de arrocho salarial

Publicado em 05/09/2017, às 21h39

Sucateamento do Metrô do Recife é uma das críticas dos metroviários em greve / Foto: Acervo JC Imagem / Ricardo B. Labastier
Sucateamento do Metrô do Recife é uma das críticas dos metroviários em greve
Foto: Acervo JC Imagem / Ricardo B. Labastier
JC Online

Os metroviários realizarão uma paralisação de 48h nos dias 14 e 15 de setembro. A decisão foi tomada na noite desta terça-feira (5) durante uma assembleia da categoria, realizada na praça em frente à Estação Central do Recife, bairro de São José, área central da capital pernambucana. Os trabalhadores cobram mais segurança e criticam falta de investimento no Metrô do Recife e a política de arrocho salarial.

A categoria, que já estava em estado de greve há cerca de três meses, afirmou que a paralisação é necessária para mostrar o descontentamento dos metroviários com a política de privatização do sistema. "O sentimento da categoria era de fazer greve por tempo indeterminado, mas os trabalhadores querem dar a oportunidade da empresa se posicionar com propostas concretas", disse Levi Arruda, diretor de Comunicação do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Metroviários e Conexos de Pernambuco (Sindmetro-PE).



"Não se trata de aumento salarial. Essa pauta já seguiu para dissídio no TST [Tribunal Superior do Trabalho], até porque a empresa ofereceu aumento de 0%. O que está em pauta agora é o completo desmonte do sistema metroviário. Essa situação de insegurança, trens lotados. A situação é de estresse e medo, tanto da população como dos trabalhadores", explicou Levi Arruda.

Especial sobre os 32 anos do Metrô do Recife

"Um metrô esquecido. Ainda esquecido. Que sofre para se manter em operação. Que pena para manter o sonho de crescer um dia. De se expandir. Um sistema forte e capaz de muito, mas que continua sendo renegado pela cidade, pelas gestões políticas e administrativas. Essa é a situação do metrô do Recife, um sistema com 32 anos de vida, de importância para o setor transportando 400 mil passageiros, em média, por dia, e que corta as regiões Sul e Oeste da Região Metropolitana do Recife."


Recomendados para você


Comentários

Por LUCIA,11/09/2017

REALMENTE E TRISTE VE COMO ESTA O METRO, AMBULANTES EM TODA PARTE... DEPOIS QUE DEIXARAM ISSO ACONTECER E SO SUJEIRA E OS ASSALTOS VIERAM. E TERRÍVEL A SUJEIRA , GENTE NO BARRO E HORRÍVEL DE TANTO AMBULANTE

Por EDWIN,06/09/2017

A CBTU,tem uma parcela de culpa no caos do sistema de trens urbanos do Recife.lembro-me quando foi iniciado o sistema era tudo limpo e organizado não existia sujeira e nem a presença de ambulantes a segurança funcionava.porém a CBTU,relaxou e deixou o sistema se transformar nesta bagunça que estar hoje.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM