Jornal do Commercio
grande recife

Após saques e clima de guerra, Abreu e Lima decreta ponto facultativo

Prefeitura tomou decisão para preservar trabalhadores. Vândalos aproveitaram a greve da PM para levar clima de pânico à cidade. Quatro pessoas foram presas.

Publicado em 15/05/2014, às 06h59

 / Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Foto: Hélia Scheppa/JC Imagem

Do JC Online
Com informações do repórter Jorge Cavalcanti

Após o clima de guerra e a grande quantidade de saques em lojas de Abreu e Lima, no Grande Recife, a prefeitura da cidade, temendo novos roubos no município, decretou ponto facultativo para todos os trabalhadores. Moradores da cidade estão com medo de roubos também a residências. Na noite de quarta-feira (14), Abreu e Lima viu cenas de vandalismo, com várias lojas sendo arrombadas e saqueadas. Com a Polícia Militar em greve, ficou mais fácil para os vândalos tocarem o terror.

Novos saques foram feitos na manhã desta quinta (15). Sem se intimidar, vândalos invadiram dois supermercados de Caetés III e roubaram vários produtos. Os saques são feitos por homens, mulheres, crianças e idosos. A situação está de um jeito que a população que realiza os saques, ao ver a reportagem do JC, passou a jogar produtos como frutas e verduras na equipe.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada, mas com o efetivo pequeno, não teve como conter os roubos. Mesmo assim, quatro pessoas - sendo dois homens e duas mulheres - foram presas e autuadas em flagrante por furto qualificado e tipificação penal de saque, sendo levados para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, Colônia Penal Feminina, também de Abreu e Lima.

Otras sete pessoas foram levadas para a Delegacia de plantão de Paulista e vão responder a um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) por perturbação do sossego.

O saldo em Abreu e Lima é de cidade arrasada. Todas as lojas do centro comercial estão fechadas. A grande maioria contabiliza os prejuízos causados pelos saques. "Perdemos tudo. Não tínhamos segurança e eles entraram arrombando a porta, para levar tudo. Não tivemos o que fazer", lamenta o gerente de uma loja de calçados.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM