Jornal do Commercio
UFPE

Aluna acusa professor Jorge Zaverucha de assédio

Na queixa, mulher afirma que docente teria tentado segurar a mão da vítima e apalpado seus seios e nádegas

Publicado em 31/05/2011, às 09h22

Do JC Online

Uma mestranda e funcionária da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) prestou uma queixa, na última quinta-feira, na 1ª Delegacia da Mulher, denunciando o professor e cientista político Jorge Zaverucha de tê-la assediado sexualmente.

Segundo a denunciante, o caso ocorreu no início da tarde do dia 26, quando a mulher foi até a sala do docente, no 14º andar do Centro de Filosofia e Ciência Humanas (CFCH) para receber uma orientação sobre seu mestrado em gestão pública. No local, diz a queixa, o cientista teria tentado segurar a mão da vítima e apalpado seus seios e nádegas. Nesse momento, a mulher teria se assustado, empurrado o professor e descido correndo pelas escadas, já que o elevador estava desligado por falta de energia elétrica no centro.

Ao chegar em sua sala chorando, outros funcionários da universidade chamaram a segurança do câmpus e a vítima relatou o ocorrido. "À noite, ela procurou a delegacia e formalizou a denúncia. O depoimento dela foi tomado na quinta e na sexta-feira. Quinta-feira, o marido da vítima foi ouvido", informou o advogado da mulher, José Felix de Lima Santos. A expectativa é que o professor seja intimado a comparecer à unidade policial ainda esta semana.

Contactado pela reportagem do JC por telefone, Jorge Zaverucha se disse surpreso com o teor da denúncia. "Não estava sabendo de nada disso. Essa situação não tem nenhum fundamento. Trabalho com o magistério há mais de 20 anos e nenhum dos meus alunos jamais insinuou esse tipo de coisa contra mim", assegurou. De acordo com ele, o encontro com a orientanda aconteceu sem nenhum tipo de assédio e que os dois desceram a escada juntos, sendo vistos, inclusive, por outras pessoas que passavam pela escadaria no mesmo momento.

Com a mudança na lei de crimes sexuais, constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso é considerado estupro.

A universidade informou, por meio da assessoria de imprensa, que abrirá processo administrativo disciplinar para apurar o fato.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

História das eleições no Recife História das eleições no Recife
JC faz resgate histórico do processo de escolha de prefeitos no Recife.
À luz de Verger À luz de Verger
Especial faz releitura do trabalho do fotógrafo francês Pierre Verger, um dos principais antropólogos e historiadores da cultura brasileira.
Fascinante África do Sul Fascinante África do Sul
Reportagem especial aborda os atrativos turísticos da África do Sul e as relações econômicas do país com o Brasil

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM