Jornal do Commercio
cidades cidades
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

UFPE

Aluna acusa professor Jorge Zaverucha de assédio

Na queixa, mulher afirma que docente teria tentado segurar a mão da vítima e apalpado seus seios e nádegas

Publicado em 31/05/2011, às 09h22

Do JC Online

Uma mestranda e funcionária da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) prestou uma queixa, na última quinta-feira, na 1ª Delegacia da Mulher, denunciando o professor e cientista político Jorge Zaverucha de tê-la assediado sexualmente.

Segundo a denunciante, o caso ocorreu no início da tarde do dia 26, quando a mulher foi até a sala do docente, no 14º andar do Centro de Filosofia e Ciência Humanas (CFCH) para receber uma orientação sobre seu mestrado em gestão pública. No local, diz a queixa, o cientista teria tentado segurar a mão da vítima e apalpado seus seios e nádegas. Nesse momento, a mulher teria se assustado, empurrado o professor e descido correndo pelas escadas, já que o elevador estava desligado por falta de energia elétrica no centro.

Ao chegar em sua sala chorando, outros funcionários da universidade chamaram a segurança do câmpus e a vítima relatou o ocorrido. "À noite, ela procurou a delegacia e formalizou a denúncia. O depoimento dela foi tomado na quinta e na sexta-feira. Quinta-feira, o marido da vítima foi ouvido", informou o advogado da mulher, José Felix de Lima Santos. A expectativa é que o professor seja intimado a comparecer à unidade policial ainda esta semana.

Contactado pela reportagem do JC por telefone, Jorge Zaverucha se disse surpreso com o teor da denúncia. "Não estava sabendo de nada disso. Essa situação não tem nenhum fundamento. Trabalho com o magistério há mais de 20 anos e nenhum dos meus alunos jamais insinuou esse tipo de coisa contra mim", assegurou. De acordo com ele, o encontro com a orientanda aconteceu sem nenhum tipo de assédio e que os dois desceram a escada juntos, sendo vistos, inclusive, por outras pessoas que passavam pela escadaria no mesmo momento.

Com a mudança na lei de crimes sexuais, constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso é considerado estupro.

A universidade informou, por meio da assessoria de imprensa, que abrirá processo administrativo disciplinar para apurar o fato.

imprima
envie para um amigo
reportar erro

Comentários

Por Ludmila,29/02/2012

nossa, quanta consideração com o indiciado.... queria ver se fosse com alguma mulher da sua família, se estaria tão preocupado com o cara... "Acho dificil isto ter acontecido", sério? pq? eu realmente gostaria de saber pq uma mulher acha que outrra mulher estaria mentindo sobre seu assediador sem nem conhece-los? Impressionante esse pensamento. Depois não entendem pq uma mulher hesita em denuciar seu abusador...

Por Ian,02/11/2011

É essencial saber o que houve e o que não houve. Condenar um inocente é, pelo menos, um erro tão grave quanto inocentar um culpado. Se culpado, aplique-se a lei; se inocente, houve mentira e acusações falsas. Também são crimes. Qual a pena justa para acusações falsas?

Por Uriar,12/06/2011

Relação de poder... sempre dá margem ao avanço!

Por giovana MML,09/06/2011

Acho importante a preocupação com o acusado...mas acho que a preocupação deveria ser com a APURAÇÃO. São diversos casos de assédio nas universidades...quem é ou foi do CFCH/UFPE sabe do que eu estou falando...precisamos de providências para evitar que a apuração fique sem resultado.

Por rubia uchoa,03/06/2011

Muita , muita prudencia .Acho dificil isto ter acontecido. O pior e que no fim sempre deixa uma macula pro acusado.

Comentar


nome e-mail
comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

Últimas notícias

Anteriores
Próximos

Fotos do dia

Vale do Douro, no interior de Portugal: terra do Vinho do Porto no foco de turistas e investidores
Rui Manoel Ferreira/ Especial para o JC

> JC Imagem

Vale do Douro, no interior de Portugal: terra do Vinho do Porto no foco de turistas e investidoresPatrimônio da Humanidade: mais antigos registros de vinhos no Douro remontam ao século 3Douro foi primeira região do mundo a ter, em 1756, rigor no controle da origem e qualidade do vinhoVinho do Porto surgiu há 330 anos por interesse de ingleses por um mercado alternativo à FrançaAdegas atuais são espetáculo visual, como a Quinta do Portal, maior da região

Ranking do dia

Especiais JC

Cobertura das eleições 2014 Cobertura das eleições 2014
Confira a cobertura completa das eleições 2014
Periferia travada Periferia travada
Especial mostra as dificuldades que pessoas que moram no subúrbio do Grande Recife têm para deslocar na periferia
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM