Jornal do Commercio
tragédia

Segundo a família, acusado de matar os pais em Olinda voltou diferente dos EUA

"Ele voltou esquisito, com tatuagens espalhadas pelo corpo, mas estava carinhoso. Saiu com a família para comer e tudo (...) O motivo do crime, realmente, ninguém sabe", conta Lúcia Ferreira, sobrinha do bispo

Publicado em 27/02/2012, às 15h47

Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti (foto) é acusado de cometer o crime / Foto: Milton Raulino / Especial para o JC

Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti (foto) é acusado de cometer o crime

Foto: Milton Raulino / Especial para o JC

Do JC Online

Segundo a família do bispo Robinson Cavalcanti, assassinado junto com sua esposa, Miriam Cavalcanti, na noite desse domingo (26), o acusado de ter cometido o crime - o filho adotivo do casal, Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti, de 29 anos - teria voltado um pouco esquisito dos EUA, embora não tenha retornado apresentando sinais de agressividade.

"Ele voltou esquisito, com tatuagens espalhadas pelo corpo, mas estava carinhoso. Saiu com a família para comer e tudo (...) O motivo do crime, realmente, ninguém sabe", conta Lúcia Ferreira, sobrinha do bispo e prima do suspeito.

Segundo Lúcia, a expectativa da família é que o velório ocorra na quarta-feira (29) e que o enterro seja realizado na quinta (1º). A decisão está demorando porque Robinson, por ser bispo e uma "pessoa do mundo", era um homem importante e, portanto, religiosos de outras partes do mundo estão vindo ao Recife para resolverem questões burocráticas da Igreja e, além disso, para participarem do enterro do casal.

A família faz questão que o casal Robinson e Miriam sejam enterrados juntos, pois ficaram unidos até na morte. Ainda de acordo com Lúcia, seus tios fizeram tudo pelo filho e dedicaram suas vidas a ele.

O Instituto de Medicina Legal informou que os corpos já estão prontos para serem liberados.

CASO -
Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti é acusado de ter esfaqueado os pais adotivos por volta das 22h desse domingo (26). Após ferir mortalmente o pai e a mãe, Eduardo desferiu golpes de faca contra si mesmo e ingeriu uma alta dose de substâncias, numa tentativa de suicidar-se. Neste momento, ele se encontra no Hospital da Restauração, onde respira com a ajuda de aparelhos.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM