Jornal do Commercio
PETROLINA

Delegado pede paciência na conclusão do caso Beatriz

Segundo ele, este não é um caso simples de ser solucionado

Publicado em 24/12/2015, às 09h14

Beatriz Angélica foi morta a facadas dentro de uma festa de formatura  / Foto: Reprodução

Beatriz Angélica foi morta a facadas dentro de uma festa de formatura

Foto: Reprodução

Do JC Online
Com informações da Rádio Jornal

Depois de alguns dias em silêncio, a Polícia Civil voltou a se pronunciar sobre a morte da garota Beatriz. O crime ocorre no último dia 10 e chocou a população de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, que aguarda ansiosa pela conclusão do caso. 

No entanto, a expectativa foi frustrada. Durante a coletiva de imprensa, realizada nesta quarta-feira (23), na 26ª Delegacia Seccional, o delegado não apresentou nenhuma novidade. Marcione Ferreira disse que irá dar continuidade às investigações com a exclusividade que o caso requer. “Já se encontra bastante adiantada a investigação. Mais de 50 pessoas já foram ouvidas aqui na delegacia. Inúmeras perícias já foram realizadas e ainda faremos outras. Nós ainda estamos aguardando peritos do Recife que irão comparecer a Petrolina”, destacou o delegado.

Segundo ele, este não é um caso simples de ser solucionado. “Estamos procurando afunilar as linhas de investigação que a gente tem. Vou pedir paciência tanto para a família, quanto para a imprensa e para a população em geral”, comentou.

Questionado sobre a arma do crime, o delegado disse que ainda não tem o laudo conclusivo. “Tudo o que havia na arma do crime, na faca, foi colhido pela polícia, tudo que fosse possível ser extraído daquela faca foi feito”, explicou, dizendo que não tem nada oficial ainda. O delegado preferiu não revelar a quantidade de perfurações sofridas pela garota.  

Beatriz Angélica foi morta a facadas dentro de uma festa de formatura do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Petrolina, um dos mais tradicionais do Estado. O crime teve grande repercussão na Região.

Palavras-chave


Comentários

Por gilvan rodrigues,28/02/2016

Suspeito de matar essa criança foi preso no bairro de pernambués em Salvador/Ba e até o momento nenhum jornal de PE não credito a minha noticia, sou morador do Bairro onde o suspeito foi preso reconhecido por um policial e um amigo PM também me confirmou coloquei no meu face desde manhã https://www.facebook.com/gilvan.rodriguesdeoliveira



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM