Jornal do Commercio
SERTÃO

Duas jovens desaparecem e são encontradas mortas em Petrolina

Famíliares das vítimas tinham denunciado o desaparecimento das garotas à polícia na manhã desta segunda-feira (5)

Publicado em 05/09/2016, às 12h44

Jovens foram encontradas no Distrito Industrial de Petrolina / Foto: Reprodução/Google Maps
Jovens foram encontradas no Distrito Industrial de Petrolina
Foto: Reprodução/Google Maps
JC Online
Atualizada às 23h27

Duas jovens que estavam desaparecidas desde a manhã desta segunda-feira (5) foram encontradas mortas no distrito industrial de Petrolina, no Sertão do Estado. De acordo com a polícia, familiares de Bruna Souza Torres e Taiane de Souza Costa, ambas de 19 anos, denunciaram o desaparecimento após elas terem saído de casa para trabalhar e não terem chegado ao destino.

Segundo o delegado Marceone Ferreira, as vítimas foram encontradas nuas, com as mãos amarradas e com marcas de cortes feitos por armas brancas. As duas, que trabalhavam juntas em uma fábrica do município, seguiam para o local por volta das 6h30 desta manhã quando foram abordadas e mortas.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que as investigações do caso ficarão a cargo da delegada Sara Machado, da Divisão de Homicídios do Sertão. O texto diz ainda que "não há suspeitos presos e nenhuma linha de investigação pode ser descartada (seja latrocínio, estupro seguido de morte, vingança pessoal ou outra)".

Os corpos das jovens foram encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML) de Petrolina foi acionado para recolher os corpos, de onde só devem ser liberados após conclusão da coleta de material para exames no laboratorio de genética, no Recife.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por EXTERMINATOR,06/09/2016

LIXO MARGINAL SOMENTE MORTOOOOOOOOOOOOOOO !!!!!!!

Por Cidadã do bem,06/09/2016

A polícia tem que investigar, se este marginal ou serial killer não é o mesmo que matou a menininha na escola! Um absurdo tanta violência, e a falta de policiamento ostensivo para coibir qualquer ato da bandidagem! Cadê o pacto pela vida?

Por Saco cheio de falta de pulso firme e de trabalho sério,06/09/2016

Gostaria que as pessoas se unissem e fizessem mobilização para colocar as autoridades de Pernambuco e cidades no seu lugar. Esse negócio de fazer show falso com chapéu de palha já era, não está mudando nada, ao contrário, é só para iludir. Enquanto isso a violência só piorando. É tanto, que estão chamando bandidos até do Sul para irem fazer a festa em Pernambuco.

Por pernambucano envergonhado,05/09/2016

E seguimos perdidos, desesperados, atormentados pela falta de segurança. Pela inércia do Estado em tirar de circulação bandidos, muitas vezes beneficiados por uma legislação que parece ter sido feita pela mãe do criminoso. Miséria de vida esta que entregamos nas mãos de políticos incompetentes e descomprometidos. Que desespero para as família destas pobres vítimas?? Será que será desvendado como quando a vítima é filho de autoridade ou de socialites???

Por Maria,05/09/2016

Tem que matar quem mata, só assim vão diminuir esta barbárie.....



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM