Jornal do Commercio
SOCIOEDUCANDOS

Suspeitos de matar interno na Funase são identificados

Ao todo, dez adolescentes envolvidos no crime, durante rebelião nesse domingo (19), foram identificados por meio das imagens das câmeras de segurança

Publicado em 20/03/2017, às 10h01

Segundo a Funase, o clima é de tranquilidade no Case Abreu e Lima após rebelião no domingo (19) / Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
Segundo a Funase, o clima é de tranquilidade no Case Abreu e Lima após rebelião no domingo (19)
Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem
JC Online

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) informou, nesta segunda-feira (20), que dez adolescentes envolvidos diretamente na morte de um interno de 17 anos, durante rebelião nesse domingo (19), na unidade de Abreu e Lima, foram identificados por meio das imagens das câmeras de segurança.  

Os dois suspeitos maiores de idade foram encaminhados ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, no Grande Recife. Já os oito menores de idade seguiram para a Unidade de Atendimento Inicial (Uniai), na Boa Vista, área central da cidade. 

Os familiares da vítima foram comunicados do fato e todo o apoio será dado aos parentes. Nenhum interno ficou ferido durante o tumulto. A Funase disse ainda que o clima é de tranquilade no local, nesta segunda-feira (20).

Motim foi registrado nesse domingo (19), na Funase

O motim foi registrado por volta das 20h do domingo (19) e controlado com a chegada do Batalhão de Choque da Polícia Militar. De acordo com moradores que residem próximo à unidade da Funase, os primeiros reforços só chegaram ao local por volta das 21h30, cerca de 1h30 depois de iniciada a rebelião.

Os adolescentes tocaram fogo em colchões e o Corpo de Bombeiros controlou rapidamente os focos. Um trabalho de varredura foi realizado pelos homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar e nenhuma fuga foi registrada. 

Vídeo mostra momento exato da rebelião

 

Veja a nota da Funase sobre o ocorrido

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) esclarece que o clima no Case Abreu e Lima é de tranquilidade. Por meio de sua Corregedoria, a instituição abriu uma Sindicância para apurar as causas e possíveis responsabilidades da rebelião. Uma equipe de técnicos da Diretoria Geral da Política de Atendimento (DGPAT) e da Assessoria Técnica de Unidades de Internação (Atin) segue à unidade para dar todo o suporte técnico e administrativo. O motim foi registrado por volta das 20h do último domingo (19), sendo controlado com a chegada do Batalhão de Choque da Polícia Militar. Os adolescentes tocaram fogo em colchões e o Corpo de Bombeiros controlou rapidamente os focos. Um trabalho de varredura foi realizado pelos homens do Batalhão de Choque da Polícia Militar, não sendo registrada nenhuma fuga. Ao todo, dez adolescentes envolvidos diretamente na morte do socioeducando de 17 anos foram identificados por meio das imagens das câmeras de circuito interno da unidade e encaminhados ao Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que, ainda na noite de ontem, enviou uma equipe ao local para iniciar a apuração dos fatos. Os dois maiores de idade envolvidos foram encaminhados ao Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel). Já os oito menores de idade seguiram para a Unidade de Atendimento Inicial (Uniai). Nenhum interno ficou ferido. Os familiares da vítima foram comunicados do fato e todo o apoio será dado aos parentes.

Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM