Jornal do Commercio
ASSASSINATO

''Deus não queria isso para mim'', diz mãe de fisioterapeuta morta

O velório de Tássia Mirella de Sena, 28 anos, morta na quarta-feira (5) dentro de um flat em Boa Viagem, acontece sob forte comoção em Santo Amaro

Publicado em 06/04/2017, às 10h10

Velória Tássia aconteceu sob forte comoção / Foto: Maria Luísa Ferro/JC
Velória Tássia aconteceu sob forte comoção
Foto: Maria Luísa Ferro/JC
JC Online

Atualizada às 12h15

O enterro da fisioterapeuta Tássia Mirella de Sena Araújo, 28 anos, morta na quarta-feira (5) dentro de um flat em Boa Viagem, aconteceu sob forte comoção no bairro de Santo Amaro, na área central do Recife, na manhã desta quinta-feira (6). Ainda sem acreditar no assassinato brutal, a mãe da vítima, Suely Araújo, pede justiça.  "Eu não aceito a morte da minha filha desse jeito, Deus não queria isso para mim, eu quero justiça. Mirella era uma guerreira e lutava contra a violência contra a mulher. É uma dor muito grande, estou sem forças", afirmou.

A tia da jovem, Solange Cordeiro, criticou a decisão da polícia de não mostrar o rosto do homem quando ele foi detido.  "A gente quer justiça, se fosse filho do juiz ou de alguém de alto escalão, iam dar liberdade a esse homem? A gente vê no jornal todo dia, fulano mata sicrano e mostra o rosto, e ontem sai um monstro desse, porque foi uma brutalidade o que ele fez, de rosto coberto", desabafou.

O comerciante Edvan Luiz, 29 anos, foi autuado em flagrante por homicídio triplamente qualificado pela morte da fisioterapeuta.

Ainda durante o velório, amigos da jovem leram uma carta em homenagem a ela. "O que não podemos esquecer é que queremos justiça. O assassinato de Mirella não pode ficar impune. Precisamos de forma veemente evitar que mais uma Mirella, Maria ou Ana seja morta de forma tão brutal", diz um trecho do texto.

Uma audiência de custódia será realizada no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, na Ilha Joana Bezerra, às 12h, para decidir se o homem será preso ou não.

Morte de fisioterapeuta em Boa Viagem

Segundo informações, por volta das 7h, vizinhos ouviram gritos. Mirella, natural de Vitória de Santo Antão, morava em um dos oito apartamentos do 12º andar do prédio desde dezembro do ano passado. Foi o vizinho da porta ao lado que conseguiu ver, pela janela, o corpo da jovem ensanguentado na sala. Ele chamou o síndico e a polícia foi acionada.



As autoridades teriam chegado rapidamente ao local e isolado as entradas. Mirella foi encontrada no chão, sem roupas, com um corte profundo na garganta e ferimentos nas mãos. A perícia constatou sinais de relação sexual, mas não se sabe se ela foi vítima de estupro.

A polícia chegou ao suspeito ao encontrar manchas de sangue na porta do flat. Após várias tentativas de contatá-lo e com a constatação de que ele não havia deixado o prédio, a polícia invadiu o apartamento e encontrou o homem dormindo no quarto. O suspeito é casado e mora no mesmo andar de Mirella. Ele negou envolvimento no crime, afirmando ter cruzado poucas vezes com a vítima no elevador.

De acordo com os peritos, ele estava com arranhões e hematomas pelo corpo. O homem, que trabalha como comerciante da área de cosméticos, justificou dizendo que teria passado a noite fora e se envolvido em briga com um flanelinha, mas caiu em contradição.

A camisa usada pelo comerciante nas imagens gravadas foi encontrada ensanguentada no prédio ao lado da cena do crime, como se tivesse sido jogada pela janela. Às 21h30, peritos o Instituto de Criminalística (IC) estiveram novamente no flat para uma vistoria complementar.

Autoridades, amigos e familiares desconhecem qualquer relação entre o suspeito e Mirella. "Ela não tinha namorado, era muito focada no trabalho", contou a tia Sílvia Cordeiro. A fisioterapeuta trabalhava como representante de produtos farmacêuticos. O delegado responsável pelo caso é Francisco Océlio, do DHPP. O depoimento do homem seria colhido ontem à noite, mas ele se reservou ao direito de ficar em silêncio.


Recomendados para você


Comentários

Por Carla,07/04/2017

PENA DE MORTE COM TORTURA TRANSMITIDA PELA TV,PRA TODOS VEREM E NUNCA MAIS ALGUÉM COMETER UMA ATROCIDADE DESSAS,E QUE SE EXPLODAM OS POLITICAMENTE CORRETOS

Por JUSTICEIRO,06/04/2017

SEI QUE É UM MOMENTO DIFICIL. MAS INFELIZMENTE AQUI EH O BRASIL. SÓ VAI ENTRAR PARA ESTATÍSTICA DE MULHERES VÍTIMAS DE FEMICÍDIO. : UM CÓDIGO PENAL DE 1940; LEIS BRANDAS QUE DÃO ATÉ VERGONHA; UMA CULTURA DE DIREITOS HUMANOS, ONDE SÓ CRESCEM O NÚMERO DE MONSTROS, BANDIDOS E DEMAIS ESCÓRIAS DA SOCIEDADE. QUE PAÍS EH ESTE???? :( Descanse em paz jovem.... ESPERO QUE ESSE MISERÁVEL SEJA DEGOLADO NO COTEL...

Por Everton,06/04/2017

A sociedade brasileira assiste passivamente e é muito tolerante com todos os tipos de criminosos. Todos os tipos...

Por MARCILIO ,06/04/2017

Infelizmente já estamos acostumado aqui no Brasil a presenciar essa mesma novela, que a vitima é banalizada pela justiça, o assassino é tratado como coitadinho, e depois aparece pessoas de vários niveis da sociedade defendendo esses mostro, como foi o caso de Bruno, de Guilherme de Pádua e muitos outros, que pratica um crime mostruoso e depois passa menos de 6 anos na prisão e depois ainda é coroado com um bom Emprego como jogador de futebol como é o caso de Bruno, então diante de tão impunidade o que mais falar de nossas leis que é fraca e absoleta e com alguns Juízes que fecha os olhos para o clamor de uma sociedade que anda temeroza diante de tanta violência, pois sabemos que esse crime não foi o e nem é o primeiro e nem será o último, pois de justiça mesmo só acredito na de DEUS, pq a justiça dos Homens, principalmente aqui no Brasil, só quem acredita mesmo são aquelas pessoas que pensa que papai Noel existe. Que nesse momento DEUS possa consolar a familia, e que a justiça verdadeira possa vim de DEUS.

Por antonio,06/04/2017

É triste vê mais um brutal assassinato, de uma jovem que deixou sua cidade natal, para tentar vencer na vida. E vem um monstro desse covardemente destruir os sonhos de Mirella, e de toda sua família. Espero que como pai vítima da violência com a perda de minha filha, que seja feita á justiça. Sentimentos á toda família enlutada. Justiça!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM