Jornal do Commercio
Estado de saúde

Vítimas de envenenamento em Camaragibe recebem alta nesta sexta

Das vítimas que estavam internadas no Hospital da Restauração, apenas Débora Regina, ex-namorada do principal suspeito, permanece internada em estado grave

Publicado em 19/05/2017, às 10h32

Débora Regina Belo Soares permanece internada em estado grave na sala vermelha do HR / Reprodução/Facebook
Débora Regina Belo Soares permanece internada em estado grave na sala vermelha do HR
Reprodução/Facebook
JC Online

Três das seis vítimas envenenadas em Camaragibe no último domingo (14) que ainda estavam internadas receberam alta do Hospital da Restauração na manhã desta sexta-feira (19). Valquilene Maria Soares, 34 anos, Nilva Maria da Silva, 65 anos e

Augusto Francisco Soares, 88, são respectivamente tia e avós de Débora Regina Belo Soares, 20 anos, que ainda permanece internada em estado grave.

Os outros dois familiares, Talison Gomes Soares e Regivaldo Francisco Soares, estão no Hospital Nossa Senhora do Ó. De acordo com parentes, eles apresentam melhora progressiva, mas ainda não se sabe quando receberão alta da unidade de saúde.



Entenda o caso

Nove pessoas da mesma família foram envenenadas no último fim de semana na cidade de Camaragibe, Região Metropolitana do Recife (RMR). A principal suspeita é de que o ex-namorado de Débora, 20 anos, insatisfeito com o fim do relacionamento na semana anterior, tenha planejado se vingar executando o envenenamento. Ele se apresentou à Polícia na última quarta (17) e está preso preventivamente. 

Os exames realizados pela Polícia Científica de Pernambuco confirmaram as nove pessoas foram envenenadas com chumbinho, produto clandestino, irregularmente utilizado como raticida, que foi introduzido no alimento do almoço do Dia das Mães, no último domingo (14). A perita criminal Vanja Coelho disse não ter "a menor dúvida" do envenenamento, já que coletas do alimento e dos vômitos das vítimas comprovaram a presença do princípio ativo do agrotóxico chumbinho.

Vítimas de envenenamento compareceram na tarde dessa terça-feira (16) à Delegacia de Camaragibe para prestar depoimento sobre o caso. Vilma Maria Soares, tia de Débora Regina Belo Soares, José Edson Soares da Silva e Gleice Kelly Soares, primos dela, foram chamados pela delegada Euricélia Nogueira para prestarem depoimento após receberem alta da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos Torrões.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM